Corante Verde Direto 6
1 pág.

Corante Verde Direto 6


DisciplinaQuímica Orgânica II1.173 materiais32.871 seguidores
Pré-visualização1 página
Corante Verde Direto 6
Um corante é toda substância que, se adicionada a outra substância, altera a cor desta. Pode ser uma tintura, pigmento, tinta ou um composto químico.  Os corantes devem ser estáveis à luz, especialmente a ultravioleta e aos processos de lavagem e à ação da água, como da chuva. Também devem apresentar fixação uniforme com as fibras do substrato.

O emprego de corantes e pigmentos pela humanidade é, na verdade, uma indústria antiga. O homem utiliza as cores há mais de 20 mil anos. O primeiro corante a ser conhecido pela humanidade foi o negro-de-fumo (carbon black). Por volta de 3.0 a.C., foram produzidos alguns corantes inorgânicos sintéticos, como o Azul Egípcio.
Foi nos anos mais recentes, entretanto, que a indústria de corantes e pigmentos obteve os maiores avanços, os quais podem ser atribuídos aos resultados da pesquisa científica e à aplicação da engenharia moderna. O primeiro corante orgânico sintetizado com uma técnica mais apurada foi o Mauve (malva), obtido em 1856, por William H. Perkin.
Corante = cromógeno + auxocromo
O cromógeno é um corpo aromático que contém um grupo denominado cromóforo. Cromóforo quer dizer portador de cor, e é um radical químico como os seguintes: 1. O grupo nitroso: 2. O grupo nitro, 3. O grupo azo, 4. O grupo etileno, 5. O grupo carbonila: 6. Os grupos carbono-nitrogênio, 7. Os grupos enxofre.

Embora possa ser corado, o cromógeno pode não ter as afinidades químicas necessárias para fazer a cor aderir às fibras têxteis, e são necessários grupos auxiliares, auxocromos, que são em geral grupos formadores de sal, como o -NH2, o -OH, e os seus derivados, ou os radicais solubilizantes, como o -COOH ou -SO3H. Estes auxocromos, cromóforos e cromógenos, ficam aparentes na classificação de corantes que segue; contudo, certos radicais auxiliares, como -OH, -NH2, -SO3H e \u2013COOH, em geral têm maior influência na inclusão do corante em um grupo que visa à coloração de certa fibra do que sua classificação por estrutura química.
Os corantes são classificados do ponto de vista químico ou de acordo com a finalidade, ou emprego. Os fabricantes encaram os corantes pelo aspecto químico e classificam-nos e fabricam-nos em grupos, usualmente com as mesmas conversões químicas.
A nitração é uma das mais importantes conversões químicas, operadas na fabricação de intermediários e corantes. Na indústria, muito poucos grupos nitro aparecem no produto final, sendo usual a redução do radical nitro às aminas, muito reativas, ou sua sujeição a outras modificações. A nitração, porém, é com freqüência o passo inicial de entrada no anel aromático, seja do benzeno ou de outros anéis mais complicados.
Pigmentos Verdes
O pigmento verde mais importante é a ftalocianina verde. Um dos pigmentos verdes mais antigos é o oxido de cromo (Cr2O3). Tem muitas desvantagens, como o custo elevado e a falta de brilho e de opacidade. É feito pela calcinação do dicromato de sódio ou de potássio com o enxofre, num forno de re- verberação:
Um verde de boa permanência para uso em tintas de guarnições externas pode ser obtido pela mistura íntima de uma ftalocianina de cobre com o cromato de zinco ou amarelo Hansa. O verde permanente mais brilhante existente, a ftalocianina de cobre clorada, é caro, mas é durável. Existem tipos dispersáveis em água e massas para uso com tintas a látex.

Verde Direto 6

As matérias-primas são: 4- Aminophenol \u2192 4- Aminoazobenzeno
Sinônimo: Diamina Verde B.
C34H22N8Na2O10S2

Conclusão: A formação do Verde Direto 6 se dá por meio de uma reação com um sal diazônico. Os sais diazônicos são instáveis, portanto devem ser usados logo após a sua síntese.