A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
85 pág.
ESTRESSE POR FRIO

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
 CAMPUS DE ARAGUAÍNA 
ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA
ZOOTECNIA - BIOCLIMATOLOGIA 
Alan Marques;
Ana Carolina;
Bárbara Pércya; 
Ecione Martins;
Jéssica Lene;
Paulo Sérgio;
Suzana Dias;
Thalita Rodrigues.
ESTRESSE POR FRIO 
1
INTRODUÇÃO
O clima é um dos componentes ambientais que exerce efeito importante no bem-estar animal;
Os animais portam-se como um sistema termodinâmico;
Os fatores externos do ambiente tendem a produzir variações internas no animal;
2
Os principais animais de produção de carne, leite, lã e ovos são homeotérmicos;
Para manter a temperatura corporal constante os animais passam por variações fisiológicas, comportamentais e metabólicas;
Termogênese produção de calor;
Termólise perda de calor;
Conforto térmico.
3
 Perdas de calor estresse por frio;
Quando em vez de eliminar calor, há necessidade de reter o calor produzido, com temperatura ambiente bastante baixa, ocorre a vasoconstrição;
4
5
HIPOTERMIA 
6
O QUE É HIPOTERMIA??
Diminuição excessiva da temperatura normal do corpo;
Normalmente causada pela longa permanência em um ambiente frio.
7
RESPOSTAS À HIPOTERMIA
8
TERMORREGULAÇÃO
9
CONCEITO
Termorregulação: Capacidade de manutenção da temperatura corporal, dentro dos limites fisiológicos da espécie.
10
11
HOMEOTÉRMICOS
12
Os homeotérmicos podem sobreviver em uma ampla variedade de ambientes e podem ficar ativos no inverno. Porém, eles precisam ingerir mais alimento que outros animais, pois para manter sua temperatura necessitam de processos metabólicos que demandam grande quantidade de energia. 
12
PECILOTÉRMICOS
13
Já os PECILOTER... são capazes de sobreviver a longos períodos sem alimento porque precisam de muito menos energia para a manutenção do seu metabolismo.
13
HOMEOTÉRMICOS
Esses animais são dotados de um aparelho fisiológico termorregulador. 
Hipotálamo;
14
P/ manterem sua tempe. corporal, relativamente constante, necessitam através de variações fisiológicas, comportamentais e metabólicas produzir calor(p aumentar a temp. corporal quando a temp. diminue), ou perder calor
14
Hipotálamo
15
HIPOTALAMO: RECEPTOR DE ESTIMULOS
15
Dispõem de dois mecanismos essenciais para manter sua condição de homeotermia. 
16
O adequado balanço entre produção de calor corporal e eliminação do calor corporal resulta na adaptação d animal, tanto no sentido termorregulador, como nas suas possibilidades pecuárias.
16
TERMÓLISE x TERMOGÊNESE
Termólise: perda de calor dos animais;
Termogênese: a produção de calor.
17
18
PRODUÇÃO DE CALOR
Termogênese:
 
	O ganho de calor pelo corpo pode provir do metabolismo e de fontes externas:
Oxidação dos alimentos: toda energia (calorias) dos alimentos é convertida em calor. 
Aquisição de calor do ambiente: radiação solar ou de matéria, condução.
19
o calor é um subproduto de todos os processos que envolvem carboidratos, gorduras e proteínas. Sem esquecer que pode ter origem externa a partir da radiação, condução e convecção.
19
RELAÇÃO SUPERFÍCIE / VOLUME EM PEQUENOS ANIMAIS 
A superfície de perda de calor dos pequenos animais é relativamente maior que nos grandes animais. Assim precisam gerar mais calor, pois trocam mais facilmente com o meio. 
20
PRODUÇÃO DE CALOR 
Relação entre o peso corporal e a produção de calor (CUNNINGHAM, 2008). 
Grandes animais produzem uma quantidade de calor maior que a quantidade de calor que perdem para o meio.
21
PRODUÇÃO DE CALOR 
 O tremor produz calor pela contração muscular: 
Grupos musculares dos membros são ativados de modo que não produzem trabalho útil; 
A energia química usada no tremor é transferida para o centro do corpo como calor. 
22
PERDA DE CALOR / TERMÓLISE
O calor é perdido para o ambiente por radiação emitida da superfície do corpo para um objeto mais frio. 
Por evaporação, das secreções das vias respiratórias, do suor, ou da saliva. 
Por condução, para superfícies mais frias, com as quais o animal está em contato. 
Uma pequena quantidade de calor também é perdida pela urina e pelas fezes.
23
Eliminação de calor corporal com temperatura ambiente menor que a da superfície do corpo. 
23
ELIMINAÇÃO DE CALOR CORPORAL POR CONVECÇÃO E CONDUÇÃO
	Com temperatura ambiente maior que a da superfície do corpo também pode ocorrer dissipação de calor orgânico por convecção e por condução, mas no interior do organismo. 
Por convecção: O aquecimento do ar inspirado, no interior do aparelho respiratório, rouba calor do organismo. 
Por condução: O aquecimento da água fria ingerida, principalmente ou de outros alimentos ingeridos frios, no interior do aparelho digestivo, rouba calor ao corpo.
24
25
C: 
25
Evaporação;
26
RETENÇÃO DE CALOR CORPORAL
	Nos climas frios, com temperatura ambiente muito baixa no inverno, há necessidade de conservar e não eliminar o calor corporal. 
O aparelho termorregulador age então em sentido inverso ao da eliminação. 
Evitando ou diminuindo a perda de calor corporal. - eriçamento dos pêlos - vasoconstrição superficial.
27
TRANSFERENCIA DE CALOR PELO CORPO
Como os tecidos são maus condutores térmicos, o calor é transferido mais efetivamente pelo sangue. 
Produção de calor → Músculos dos Membros e Fígado; 
Eliminação → pele e trato respiratório. 
28
TRANSFERENCIA DE CALOR PELO CORPO
Sob condições de estresse provocado pelo frio: 
Arteríolas dos leitos vasculares cutâneos se contraem; 
Anastomoses arteriovenosas se fecham → temperatura da pele e dos membros diminuem resultando em uma menor perda de calor. 
29
REGULAÇÃO DA TEMPERATURA
Em geral, os animais podem ser divididos em dois grupos, com base em sua forma de regulação da temperatura corporal:
 Endotérmicos 
Ex. Mamíferos
Ectodérmicos. 
Ex. Invertebrados
30
É regulado pelo SN e endócrino;
O centro regulador está no hipotálamo;
O hipotálamo recebe informações dos termorreguladores situados na pele.
31
O controle pelo hipotálamo da produção ou perda de calor é realizado pelos mecanismos:
Vasomotor;
Pilomotor;
Aparelho sudoríparo;
Frequência respiratória;
Modificação de taxa metabólica.
32
Resposta ao estresse:
Vasoconstrição periférica;
Piloereção;
Produção de calor metabólico por termogênese.	
33
FEBRE
Resposta a uma elevação no ponto de ajuste termorregulatório.
34
HORMÔNIOS TERMOGÊNICOS
GERAÇÃO DE CALOR
35
Modificação hormonal;
Alteração nível celular;
Maior mobilização e disponibilização de substratos energéticos para promover o incremento calórico.
36
ADRENAL, TIREÓIDE E PÂNCREAS
	
	OS HORMÔNIOS FORMADOS: Importante efeito calorigênico nos animais domésticos.
37
HORMÔNIOS TIREOIDIANOS
T3 E T4:
Aumenta absorção intestinal da glicose;
Facilita captação glicose pelas células adiposas e musculares;
Aumenta taxa consumo Oxigênio;
Controle colesterol sanguíneo.
38
HORMÔNIOS PANCREÁTICOS
INSULINA E GLUCAGON.
39
HORMÔNIOS DAS ADRENAIS
CORTÉX DA ADRENAL: Mineralcorticóides (aldosterona) e glicocorticóides (cortisona, cortisol e coticosterona);
MEDÚLA DA ADRENAL: Adrenalina e noradrenalina.
40
SN Simpático ativado: liberando adrenalina e noradrenalina
41
ALDOSTERONA:
	Mantém o equilíbrio de eletrólitos (ex: sódio e potássio) e água;
GLICOCORTICÓIDES:
	Junto com as catecolaminas: Regula metabolismo de carboidratos, proteínas e lipídeos.
42
CATECOLAMINAS: (Promove a degradação do glicogênio no fígado e nos músculos esqueléticos, mobilizando gordura das reservas e estimulando a taxa metabólica basal e a geração de calor).
Adrenalina (mais importante em mamíferos);
Noradrenalina (mais importante em aves).
CORTISOL: (reduzir inflamações, contribuir para o funcionamento do sistema imune e manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial).
43
ESTRESSE NA REPRODUÇÃO