Administração
8 pág.

Administração

Disciplina:Adm134 materiais303 seguidores
Pré-visualização2 páginas
TRABALHO DE GSP

Disciplina: Teoria Geral de Administração

Aluno (a): DAVID SOARES SILVA DATA: 04/10/2018

1-Orientações para o desenvolvimento do trabalho

Capa (nome da instituição, nome da disciplina, nome do aluno-(1pagina)

Introdução: (é a apresentação simples, objetiva e sintética do que serão abordados ao longo do trabalho-

no mínimo dois parágrafos)

Desenvolvimento: (deve-se ler sobre o assunto, anotar os pontos principais e dissertar as questões

apresentadas a cada ponto solicitado- no mínimo 03 e no Maximo 07 paginas).

Conclusão: (destacar-se os objetivos alcançados, o resumo das principais idéias – no mínimo dois

parágrafos)

Referências bibliográficas: (quais fontes de pesquisas utilizadas- no mínimo duas). 2-

Trabalho Digitado:

Fonte: Arial ou Times New Roman, - Tamanho: 12- Cor: preta

Espaçamento entre linhas: 1,5

Margem superior: 3 cm margem inferior : 2cm

Margem esquerda: 3 cm margem direita: 2cm

Justificado

3- Trabalho Manuscrito:

Letra legível e folha pautada.

4- Objetivos do Trabalho e Pontuação:

• O trabalho tem por objetivo o complemento da nota e poderá somar de 2 a 10 pontos.

• Poderá utilizar a apostila apenas como orientação para pesquisa e referência.

• Quantidade de páginas: observar orientações:

• Será avaliada a capacidade do aluno em fazer síntese, interpretação de texto, coerência,

organização, em cumprir com os itens pedidos, e cumprir com a metodologia.

TEMA A SER DESENVOLVIDO:

Jobs Rico e famoso aos 20 e poucos anos, com o nascimento da computação

pessoal, ele virou mito. De acordo com Weber a concordância voluntária pode ser

baseada, em TRÊS tipos de autoridade. Descreva cada uma delas e destaque

aquela que você acha que Steve Jobs pode se encaixa. Justifique sua

escolha.

INTRODUÇÃO

 Max Weber (1864-1920) foi um dos mais importantes intelectuais do final do século XIX

e inicio do XX, considerado um dos fundadores da Sociologia. Dedicou-se a vários estudos

sobre Sociologia da Religião e entre suas principais obras está "Economia e Sociedade", onde

ele fala sobre os três tipos ideais de autoridade.

No presente trabalho, estes serão descritos. Ademais, ocorrerá uma análise paralela

entre a pessoa de Steve Jobs (1955 - 2011) - empresário norte-americano co-fundador da

Apple, uma das empresas de informática mais importantes do mundo - e a opção que mais se

adequa à sua história.

“OS TRÊS TIPOS DE DOMINAÇÃO LEGÍTIMA”

O poder, isto é, a possibilidade de encontrar obediência a uma ordem determinada, pode

assentar em diferentes motivos de acatamento: pode ser condicionado apenas pela situação de

interesses, portanto, por considerações racionais das vantagens e desvantagens por parte de

quem obedece. Ou, além disso, mediante o simples “costume”, pela habituação monótona à

ação tornada familiar; ou pode ser justificado pela tendência puramente afetiva, simplesmente

pessoal do governado. Nos governantes e nos governados, o poder costuma antes assentar

internamente em razões jurídicas, razões da “sua legitimidade”, e o abalo desta fé

legitimadora costuma ter consequências de vasto alcance.

Nas “razões de legitimidade” do poder há, numa forma de todo pura, apenas três, das

quais cada uma está ligada a uma estrutura sociológica radicalmente diversa do corpo

administrativo e dos meios da administração.

PODER CARISMÁTICO

Se deve ao apreço puramente dito. É importante distinguir que a origem do poder é

intrínseca às qualidades do líder, seus apóstolos não o obedecem por sua posição ou cargo, ou

mesmo pela tradição, mas pura e simplesmente por suas qualidades, tendo esse carisma

desaparecido assim desaparece também sua dominação.

No Brasil, temos vários exemplos de liderança carismática. Apenas nos primeiros anos

da República, temos três casos de grande importância: Lampião, o chefe do maior e mais

duradouro bando de cangaceiros; Antônio Conselheiro, o profeta fundador do Arraial de

Canudos; e Padre Cícero, até hoje cultuado como santo pelos sertanejos.

Usando o exemplo de Lampião, um estrato do livro de Chico Alencar,

intitulado História da Sociedade Brasileira, exemplifica bem a importância do carisma para

definir a preponderância e a extensão do poder do Líder, perceptível pelo tamanho dos

bandos: “O tamanho dos bandos variava (...) segundo o prestígio do líder. O bando de

Lampião, Rei do Cangaço, foi o maior de todos (...)”.

A análise desses exemplos históricos leva-nos a perceber que a autoridade carismática é

em geral de caráter autoritário, despótico, mas caracteriza uma força revolucionária, afinal

toda revolução elege seus líderes em geral pelo carisma, por suas qualidades de liderança

essenciais à revolução.

 PODER TRADICIONAL

Esse é o segundo tipo de dominação, é o poder da tradição, sendo a sua forma mais pura

o patriarcalismo. Nessa dominação quem manda é o Senhor, e quem obedece é o súdito.

A estrutura administrativa se baseia na fidelidade, ela é constituída de pessoas próximas

ao senhor, pessoas de confiança, familiares, estreitando-se o elo público-privado. Isso é claro

nas antigas monarquias europeias da baixa idade média e nos próprios feudos, existia uma

família real, uma dinastia, quanto mais próximo sanguineamente do senhor, maior seu cargo.

Weber distingue para este tipo de quadro administrativo duas classificações distintas:

1. Estrutura patriarcal: não há distinção entre o público e o privado, os funcionários são

estritamente dependentes do senhor, muitas vezes pertencentes a ele (escravos). A

administração é pura extensão do poder senhorial, é heterônoma e heterocéfala.

2. Estrutura estamental: nesse caso, os funcionários não são dependentes do senhor, são

pessoas mais ou menos ligadas a ele que conquistaram seu cargo. Possuem poder

administrativo limitado, porém autocéfalo e autônomo.

PODER LEGAL

Neste tipo de dominação, está descrita a situação de poder característica dos Estados

Modernos e também a descrição do quadro administrativo das grandes corporações

empresariais, nas quais os dirigentes são eleitos ou nomeados para o exercício específico de

um cargo. Este, por sua vez está sujeito a regras que instituem tanto as atribuições e limites do

poder estabelecido, como também as regras de sucessão, eleição e nomeação. Estas regras,

possuindo caráter heterônomo e heterocéfalo, não são estabelecidas por aquele que exerce o

cargo ou função.

STEVE JOBS: LIDERANÇA, CARISMA E INOVAÇÃO

A palavra carisma vem do latim charísma, que significa dom da natureza, graça divina.

O dicionário Priberam define o termo como:

1. “Autoridade de um chefe fundada em certos dons sobrenaturais.”

2. “Grande prestígio de uma personalidade excepcional ou ascendente que ela exerce

sobre outrem.”

A liderança carismática é aquela pautada na implementação de valores e ideias novas

que inspirem todos os relacionados à cultura organizacional. Isso ocorre a partir da definição

de padrões e valores que norteiam esforços para criação de metas e concretização de

objetivos.

Um líder carismático é aquele que consegue engajar seus colaboradores, inspirando-os a

aprimorar constantemente suas próprias performances e separar o lado pessoal do profissional

de modo a potencializar o foco das equipes.

“Estou procurando um lugar que precise de muitas reformas e

consertos, mas que tenha fundações sólidas. Estou disposto a demolir

paredes, construir pontes e acender fogueiras. Tenho uma grande

experiência, um monte de energia, um pouco dessa coisa de Visão e

não tenho medo de começar do zero.”

 - Currículo de Steve Jobs no site Mac da Apple

O que se