A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
assepsia e lavagem das mãos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Técnicas Assépticas
utilizadas para reduzirem risco de infecção e proporcionar maior segurança ao paciente e a equipe de saúde.
As infecções podem ser provocadas por causas ligadas ao meio ambiente, ao material e a própria equipe.
CONCEITOS BÁSICOS:
Antissepsia: conjunto empregado para impedir a proliferação microbiana. Utiliza-se esse termo quando usadas soluções germicidas em pele e mucosas.
Assepsia: processo pelo qual se consegue afastar germes patogênicos de determinado local ou objeto.
Classificação da assepsia:
cirúrgica: emprego de técnicas com o objetivo de não propagar microrganismo em local ou objeto estéril. 
Técnicas importantes: não falar, não tossir ou espirrar sobre o material; não considerar estéril o que estiver úmido, sem data, aberto anteriormente; abrir pacotes estéreis com técnica;guardar os materiais estéreis em local apropriado.
médica: medidas para evitar ou diminuir a disseminação de microrganismo patogênicos de um indivíduo para outro.
Esse tipo de assepsia aconteceatravés de medidas:
individuais: cada um deverá utilizar técnicas para proteger-se e evitar disseminação de microrganismo, por exemplo lavagem das mãos, não misturar objetos de uso pessoal.
coletivas: métodos que visam à comunidade. Por exemplo: saneamento básico, eliminação de insetos e roedores.
hospitalares: práticas especiais que abrangem:
medidas gerais: isolamento de pessoas que apresentem MI (moléstia infecciosa), limpeza terminal e concorrente, etc.
degermação: remoção ou redução do número de bactérias na pele por meio de limpeza mecânica ou por aplicação de preparado químico. descontaminação prévia: antes de iniciar o processo de limpeza, os artigos contaminados por matéria orgânica (sangue, pus, secreções), são expostos a produto químico, com a finalidade de proteger as pessoas que procederão a limpeza.
limpeza: remoção física de sujidades, com a finalidade de manter limpos os artigos, sem a presença de matéria orgânica (pois dificulta a ação do produto químico no processo de desinfecção e esterilização.
desinfecção: destruição ou inativação dos microrganismos patogênicos ou não, não matando os esporos.
esterilização: é a destruição de todos os microrganismos em sua forma vegetativa ou esporulada. 
desinfestação: é a destruição ou exterminação de insetos, roedores e outros transmissores de infecções ao homem. 
LAVAGEM DAS MÃOS
UMA CONDUTA DE BAIXO CUSTO E GRANDE VALOR
É uma medida simples para controle da infecção hospitalar.
Medida menos dispendiosa para reduzir risco de disseminação de infecções, tanto para os clientes quanto para si.
Adesão percebida:10 a 60%(E.U.A)
- Sabão: tem ação detergente, remove a sujidade, impurezas e microrganismos viáveis, age por ação mecânica e não bactericida.
Antisséptico: formulação germicida para ação em pele e mucosas, com ação residual (persiste sobre a pele). Mais usados: álcoois, compostos de iodo(PVPI)), clorohexidina.
Finalidades:
 Reduzir quantidade das bactérias residentes e transitórias das mãos;
 Evitar transferência de microrganismos do ambiente para o cliente, e deste para os profissionais de saúde.
Indicações: 
quando estiverem sujas
início e fim do plantão
antes e após contato direto com o paciente
Entre clientes distintos
antes de administrar medicações
após contato com materiais e superfícies potencialmente contaminadas
antes e após o uso do banheiro
preparo de materiais e equipamentos
coleta de material
antes e após colocação de luvas
ao tossir ou espirrar
Obs.: Vídeo recomendado : “Anvisa lavagem das mãos” (em anexo)
Técnica:
1-molhar as mãos(cuidado para não molhar roupas e encostar na pia).
2-aplicar sabão líquido.
3-ensaboar palma das mãos(fricção)
4-lavar dorso da mão D com palma da mão E e vice-versa.
5-entrelaçar dedos ,friccionando região interdigital.
6-lavar dedos em movimentos circulares.
7-lavar sob as unhas da mão D ,utilizando as unhas da mão E, e vice-versa.
8-lavar polpas digitais, friccionando-as na palma da outra mão.
9-enxágue.
10-secar com toalha de papel.
Obs. Não encostar-se à torneira após assepsia das mãos. Se necessário utilize papel toalha.
 Aplicando e removendo luvas esterilizadas
-Finalidade: evitar a transferência de microrganismos das mãos para os objetos estéreis ou ferida aberta.
 -cuidados: identifique o momento de necessidade da utilização da luva.
 -verifique o estado das unhas, ausência de joias além de lesões ou cortes nas mãos.
 -inspecione a embalagem das luvas(integridade,validade,umidade).
-Procedimento:
 1-lave as mãos;
 2-remova embalagem externa separando os lados;
 3-deposite a embalagem interna sobre superfície limpa e plana ao nível da cintura;
 4-abra a embalagem interior sem tocar nas luvas; 
 5-segure a borda interna da luva E com polegar e os dois primeiros dedos da mão Introduzindo a mão E na luva (procedimento realizado acima da linha da cintura e sem permitir reparos nesse momento);
 6-deslize a mão enluvada por baixo do punho da luva D, introduzindo a mão D na luva;
 7-faça os ajustes necessários sem tocar em qualquer outra superfície não estéril.
-Remoção: -com a mão D segure a face externa da luva E abaixo do polegar, retirando-a sem tocar no punho exposto;
 - Coloque a mão sem luva sob a luva D(região do polegar), puxando-a no sentido dos dedos. A luva E permanece dentro da luva D;
 -descarte no lixo e lave as mãos.
 Preparar e manter um campo esterilizado
-Finalidade: criar um ambiente para evitar a transferência de microrganismos durante procedimentos esterilizados, assegurando a esterilidade dos materiais durante o procedimento.
cuidados: 
avalie e separe quais são os materiais necessários para o procedimento;
inspecione a embalagem dos materiais(integridade,validade,umidade);
selecione a área onde será montado o campo(considere 
sujeira,umidade,aglomerações,altura); 4- durante todo o procedimento não vire de costas para o campo.
-Procedimento:
1-lave as mãos;
2-coloque o campo estéril no centro da superfície de trabalho com a dobra externa longe de você;
3-toque apenas a parte externa da dobra, esticando-se ao redor(não por sobre)do campo para abrir a dobra para longe de você;
4-abra as dobras laterais do mesmo modo, não cruzando sobre o campo;
5-por fim, abra a dobra que se volta para você,com atenção para não tocar em sua roupa.
Ao colocar objetos no interior do campo,observe:
1-abra-o, afastando para trás a borda parcialmente selada e com atenção em não tocar no material estéril;
2-segure-o numa altura em torno de 25 cm(se for liquido, considerar 15 cm) ,deixando cair no centro do campo.