A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
152 pág.
Administracao Geral Giovana Carranza

Pré-visualização | Página 10 de 50

órgãos 
da organização. A atribuição significa que a pessoa recebe autoridade e responsabilidade, ficando sujeita a reportar-se e a 
justificar os resultados de suas atividades aos seus superiores na cadeia de comando. A atribuição pode ser incentivada 
através de programas de incentivos e recompensas. As pessoas que recebem atribuição passam a ter o seu desempenho 
monitorizado e recebem pagamentos de bonus pelos resultados bem-sucedidos. 
 
Delegação 
Outro conceito relacionado com autoridade é a delegação. Delegação é o processo pelo qual o administrador 
transfere autoridade e responsabilidade aos seus subordinados abaixo na hierarquia. Muitas organizações encorajam os 
administradores a delegar autoridade aos níveis mais baixos da organização a fim de proporcionar o máximo de flexibilidade 
para atender às necessidades do cliente e adaptar-se ao ambiente mutável e dinâmico que as envolve. Contudo, muitos 
administradores encontram enorme dificuldade em delegar autoridade. 
Autoridade de linha e staff. Dá-se o nome de linha aos órgãos incumbidos de realizar a missão primária da 
organização. Um departamento de linha é o responsável pelo cumprimento dos objetivos principais da organização. Em uma 
organização industrial e comercial, os departamentos de linha (como produção e vendas) fazem e vendem o produto. Os 
órgãos de staff têm uma função de complementar e apoiar os órgãos de linha para que eles trabalhem melhor. Um 
departamento de staff é o responsável pela assessoria e consultoria interna dentro da organização. 
 
Tipos de poder 
Como eles funcionam nas empresas 
O poder é a capacidade do indivíduo de influenciar. Nem sempre quem tem autoridade tem poder, e quem tem poder tem 
autoridade. Isso significa que o poder se concentra sobre o exercício da autonomia que pode ter um membro ou mais de uma 
organização sem que este esteja em uma posição de autoridade formal. 
1) O poder coercitivo ou de punição está associado com pessoas que estão em uma posição para punir outros. As pessoas 
temem as consequências de não fazer o que foi pedido deles. É o poder baseado no medo, que emana possibilidades de 
aplicações de punições ou frustrações causadas por impedimentos e controles; 
2) poder de conexão é baseado em quem você conhece. Esta pessoa conhece, e tem peso na opinião de outras pessoas 
poderosas dentro da organização; 
3) poder da expertise vem da experiência de uma pessoa. Isto é, normalmente uma pessoa com uma habilidade aclamada ou 
valorizada; 
4) poder da informação ou de persuasão é quando uma pessoa que tem acesso a informações valiosas ou importantes e 
influencia os outros; 
5) poder legítimo vem da posição que uma pessoa detém. Isto está relacionado com o título de uma pessoa e 
responsabilidades de trabalho. Você também poderá ouvir este tipo de poder ser referido como poder posicional. Em 
outras palavras, é o poder que determinada pessoa recebe como resultado de sua posição hierárquica formal da 
ADMINISTRAÇÃO GERAL PARA CONCURSOS 
| Apostila 2016 / Profa. Giovanna Carranza 
 
 
CURSO PRIME ALDEOTA – Rua Maria Tomásia, 22 – Aldeota – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208. 2222 
CURSO PRIME CENTRO – Av. do Imperador, 1068 – Centro – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208.2220 20 
 
OS: 0014/9/16-Gil 
organização e que tem a aceitação dos seus membros; 
6) poder de referência, referente ou carismático existe quando as pessoas são bem-queridas e respeitadas; 
7) poder da recompensa está baseado na capacidade de uma pessoa dar recompensas. Estas recompensas podem vir na 
forma de missões de trabalho, horários, salários ou benefícios. É o poder com base na submissão obtida com a distribuição 
de benefícios tidos como valiosos; 
8) poder de conhecimento ou do talento é quando alguém possui conhecimentos (know-how) ou competências ou habilidades 
específicas que fazem de si um especialista. Ouvimos os peritos e seguimos os seus conselhos. Obedecemos a um médico que 
nos prescreve uma injeção, ainda que não conheçamos perfeitamente os efeitos e a composição do produto. 
 
AMPLITUDE ADMINISTRATIVA 
A amplitude administrativa ou amplitude de controle significa o número de empregados que se devem reportar a um 
administrador. Determina o quanto um administrador deve monitorar estreitamente seus subordinados. Quanto maior a 
amplitude de controle, tanto maior é o número de subordinados para cada administrador, e vice-versa. 
Durante muito tempo, o problema central da administração foi saber qual o número adequado de subordinados para 
cada administrador. De 1930 até bem recentemente, os teóricos recomendavam uma amplitude de controle ideal que se 
situava entre quatro a sete subordinados. A partir da década de 1980, passou-se a preferir amplitudes maiores e 
organizações mais achatadas. 
A amplitude de controle pode ser maior e com menor envolvimento do administrador em função dos seguintes 
fatores: 
1. O trabalho executado pelos subordinados é estável e rotineiro. 
2. Os subordinados executam tarefas similares. 
3. Os subordinados estão concentrados em uma única localização física. 
4. Os subordinados estão treinados e requerem pequena direção para a execução das tarefas. 
5. Existem regras e procedimentos que definem todas as atividades. 
6. O administrador conta com sistemas de apoio e de pessoal. 
7. As atividades não-administrativas, como planejamento ou coordenação com outros departamentos, exigem pouco tempo. 
8. As preferências e o estilo pessoal do administrador favorecem uma amplitude larga. 
 
A amplitude administrativa estreita provoca custo administrativo maior, porque existem mais administradores para 
cuidar de um número menor de pessoas. Cada administrador tem poucos subordinados a supervisionar e, portanto, mais 
tempo e energia para os deveres gerenciais e para o trabalho não-administrativo. Com a supervisão mais estreita, as pessoas 
recebem maior atenção individual e suporte do chefe, mas tem menos autonomia e menos oportunidade para autodireção. 
A amplitude estreita tende a produzir estruturas organizacionais altas e alongadas, com mais níveis hierárquicos, co-
municações mais lentas e mais dificuldade de coordenação entre os diferentes grupos. 
Ao contrário, a amplitude de controle larga permite custos administrativos menores, porque existem menos 
administradores para cuidar de um número maior de pessoas. Como os subordinados são mais numerosos, a tarefa 
administrativa é mais difícil, pois o administrador deve dispersar seus esforços entre maior número de subordinados. Isso 
significa que outros meios devem ser encontrados para garantir a coordenação, comunicação e outros trabalhos que a 
organização atribui aos administradores. As pessoas são encorajadas a desenvolver mais habilidades e maior iniciativa, pois 
tem maior oportunidade para exercitar seu próprio julgamento na tomada de decisões a respeito de seu trabalho. Essa é a 
maior fonte de satisfação das pessoas. Uma maior amplitude de controle tende a produzir estruturas organizacionais mais 
baixas e achatadas, nas quais o número de níveis hierárquicos é menor, proporcionando comunicação direta entre as pessoas 
situadas nos níveis mais baixos e mais altos da organização. Na base inferior, as pessoas que necessitam de apoio direto e 
intensivo de seu chefe certamente não o receberão. 
 
 
 
ADMINISTRAÇÃO GERAL PARA CONCURSOS 
| Apostila 2016 / Profa. Giovanna Carranza 
 
 
CURSO PRIME ALDEOTA – Rua Maria Tomásia, 22 – Aldeota – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208. 2222 
CURSO PRIME CENTRO – Av. do Imperador, 1068 – Centro – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208.2220 21 
 
OS: 0014/9/16-Gil 
Organizações altas e organizações achatadas 
A amplitude de controle média utilizada por uma organização determina se a sua estrutura organizacional será alta ou 
achatada. Uma estrutura alta produz uma amplitude geral estreita

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.