A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
152 pág.
Administracao Geral Giovana Carranza

Pré-visualização | Página 5 de 50

clientes fortes podem deixar os 
fornecedores poderosos se forem invertidos! Os fornecedores são fortes quando: são poucos e/ou dominam o mercado, 
quando o custo de trocar de fornecedor é alto, quando os clientes são pouco importantes e quando podem se tornar 
competidores, ou seja, passar a concorrer no mercado do cliente. 
Ameaça de Produtos Substitutos – Um produto é substituto quando satisfaz a mesma necessidade dos clientes 
(exemplo: manteiga e margarina). Se existem muitos produtos que podem substituir o produto que sua empresa fornece, a 
posição estratégica é difícil e o setor será menos atraente e lucrativo. 
Rivalidade entre os Concorrentes – Se existem muitos concorrentes em um mercado e se a força deles é semelhante, 
pode ocorrer uma guerra de preços, levando a uma queda na atratividade do setor. Outros fatores que levam a isso são: 
custos fixos elevados, que podem levar as empresas a buscar operar com capacidade total, e uma grande barreira de saída, 
ADMINISTRAÇÃO GERAL PARA CONCURSOS 
| Apostila 2016 / Profa. Giovanna Carranza 
 
 
CURSO PRIME ALDEOTA – Rua Maria Tomásia, 22 – Aldeota – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208. 2222 
CURSO PRIME CENTRO – Av. do Imperador, 1068 – Centro – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208.2220 9 
 
OS: 0014/9/16-Gil 
como instalações caras, de difícil venda, maquinário específico e altas indenizações que podem levar empresas a continuar 
investindo e operando em mercados com lucratividades baixas. 
 
 
Para a elaboração do Prognóstico, definição de estratégias, temos: 
A matriz de Stevenson contempla quatro posturas 
SWOT 
AMBIENTE 
INTERNO 
Predominância de Pontos fracos Predominância de Pontos fortes 
AMBIENTE 
EXTERNO 
Predominância de: 
Ameaças 
Estratégias de Sobrevivência Estratégias de Manutenção 
Predominância de: 
Oportunidade Estratégias de Crescimento Estratégias de Desenvolvimento 
 
• Estratégias de Sobrevivência, quando existem mais ameaças e pontos fracos, e a empresa deverá pautar-se por 
objetivos e estratégias emergenciais, no sentido de eliminar os pontos fracos. É uma postura preocupante. As ações 
deverão ser pautadas pela rapidez e tentar diminuir o impacto das ameaças. Esta postura demonstra fragilidade singular 
da organização. 
• Estratégias de Manutenção, quando existem mais ameaças e pontos fortes, não apresenta a fase aguda da 
sobrevivência. Todavia, poderá simultaneamente atuar com objetivos e estratégias para eliminar os pontos fracos e 
potencializar os pontos fortes. Permanece a nuance das ameaças. 
• Estratégias de Crescimento, quando existem mais oportunidades e pontos fracos, o impacto dos pontos fracos não é 
tão agudo. Nessa situação, a organização pode partir para eleger objetivos e estratégias que permitam corrigir os pontos 
fracos e também aproveitar mais intensamente as oportunidades que o ambiente externo oferece. 
• Estratégias de Desenvolvimento, quando existem mais oportunidades e pontos fortes, é o ideal de Postura Estratégica. 
Nesse quadrante, a organização encontra-se em sua plenitude. Ela pode potencializar seus pontos fortes e maximizar as 
oportunidades. 
ADMINISTRAÇÃO GERAL PARA CONCURSOS 
| Apostila 2016 / Profa. Giovanna Carranza 
 
 
CURSO PRIME ALDEOTA – Rua Maria Tomásia, 22 – Aldeota – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208. 2222 
CURSO PRIME CENTRO – Av. do Imperador, 1068 – Centro – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208.2220 10 
 
OS: 0014/9/16-Gil 
Matriz de Ansoff 
 
PRODUTOS 
Tradicionais Novos 
MERCADOS 
Tradicionais Penetração no mercado Desenvolvimento de produto 
Novos Desenvolvimento de mercado Diversificação 
 
Estratégias segundo Porter 
Segundo Porter, as estratégias podem ser classificadas em três categorias: diferenciação, liderança do custo e foco. 
• Diferenciação. Consiste em criar uma identidade própria do produto ou serviço oferecido pela empresa, tornando-o 
diferente dos demais produtos ou serviços existentes no mercado, que o diferencie da concorrência, na linguagem 
popular, que chame a atenção do consumidor. Consiste em criar diferenciais, vantagens competitivas, como qualidade, 
serviço, prestígio ao consumidor etc. 
• Liderança do custo. Nessa estratégia, busca-se oferecer um produto ou serviço a preço baixo, barato. Essa técnica é 
muito utilizada por empresas na área de tecnologia, tornando-a mais acessível e barateando os componentes. 
• Foco. Segundo Porter, a estratégia do foco (também chamada estratégia da concentração ou do nicho) consiste em 
escolher um nicho ou segmento do mercado e concentrar-se nele. Por exemplo, digamos que a minha empresa quer se 
especializar em serviços turísticos apenas para idosos; essa seria uma estratégia de nicho. Outro exemplo pode ser 
escrever um livro apenas para concurseiros da área fiscal. A estratégia, portanto, é ser o melhor e tirar o máximo 
proveito de mercados ou produtos e serviços. 
 
Benefícios do Planejamento 
As empresas estão cada vez mais em ambientes altamente mutáveis e complexos, enfrentam uma enorme variedade 
de pessoas, fornecedores e concorrentes. Do lado externo, temos os concorrentes, o governo e suas regulamentações, a 
tecnologia, a economia globalizada, os fornecedores etc. No ambiente interno, existe a necessidade de trabalhar de forma 
cada vez mais eficiente, novas estruturas organizacionais, funcionários, recursos e muitos desafios administrativos. 
O planejamento oferece inúmeras vantagens nessas situações, inclusive melhora a capacidade da empresa de se 
adaptar às mudanças (flexibilidade organizacional), ajuda na coordenação e administração do tempo. 
Vejamos algumas vantagens: 
 permite utilizar os recursos de forma eficaz (alcance de resultados) e eficiente (economia); 
 aumenta o conhecimento sobre o negócio/projeto e seu potencial de mercado; 
 facilita a percepção de novas oportunidades ou riscos e aumenta a sensibilidade do empresário/executivo frente a 
problemas futuros; 
 cria um “espírito de negócio” e comprometimento com o negócio/projeto, tanto em relação ao “dono” ou responsável 
pelo negócio, como também junto aos funcionários/parceiros envolvidos; 
 determina tarefas e prazos com responsabilidade definida, viabilizando o controle do processo e do andamento do 
negócio; 
 deixa claro para o empresário/executivo qual é o diferencial competitivo de seu negócio; 
 pode ser utilizado como suporte para conseguir credibilidade e apoio financeiro interno e/ou no mercado; 
 maior flexibilidade; 
 agilidade nas tomadas de decisões; 
ADMINISTRAÇÃO GERAL PARA CONCURSOS 
| Apostila 2016 / Profa. Giovanna Carranza 
 
 
CURSO PRIME ALDEOTA – Rua Maria Tomásia, 22 – Aldeota – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208. 2222 
CURSO PRIME CENTRO – Av. do Imperador, 1068 – Centro – Fortaleza/CE – Fone: (85) 3208.2220 11 
 
OS: 0014/9/16-Gil 
 melhor conhecimento dos seus concorrentes; 
 melhor comunicação entre os funcionários; 
 maior capacitação gerencial, até dos funcionários de níveis inferiores; 
 orientação maior nos comportamentos de funcionários; 
 maior capacitação, motivação e comprometimento dos envolvidos; 
 consciência coletiva; 
 melhor conhecimento do ambiente em que os funcionários trabalham; 
 melhor relacionamento entre empresa-ambiente; 
 maior capacidade e rapidez de adaptação dentro da empresa; 
 visão de conjunto; 
 aumenta o foco (concentração de esforços) e a flexibilidade (facilidade de se adaptar e ajustar); 
 melhora a coordenação e o controle. 
De acordo com Chiavenato: “O planejamento ajuda o administrador em todos os tipos de organização a alcançar o 
melhor desempenho, porque: 
1) O planejamento é orientado para resultados. Cria um senso de direção, de desempenho orientado para metas e 
resultados a serem alcançados. 
2) O planejamento é orientado para prioridades. Assegura que as coisas mais importantes

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.