BIODIREITO - FADI - Biodireito e Direios Humanos
151 pág.

BIODIREITO - FADI - Biodireito e Direios Humanos


DisciplinaProfª Ana Laura Vallarelli Gutierres Araujo7 materiais108 seguidores
Pré-visualização8 páginas
BIODIREITO E DIREITOS HUMANOS 
 
 ANA LAURA VALLARELLI GUTIERRES ARAUJO 
 
REFERÊNCIAS 
ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. São Paulo: Ed. Martins Fontes. 2000. 
ALEXY, Robert. Teoria de los Derechos Fundamentales. Madri: Centro de Estudios 
Políticos y Constitucionales, 2001. 
ANDORNO, Roberto. El embrión humano ¿merece ser protegido por el derecho?. site 
http://www.bioeticaweb.com/Inicio_de_la_vida/embrion_humano.htm, acessado em 
04/09/2008. 
BARACHO, José Alfredo de Oliveira. A identidade genética do ser humano. 
Bioconstituição: bioética e direito. São Paulo: RT, Revista de Direito Constitucional e 
Internacional, v. 32, jul.-set. 2000. 
BENDA, Ernst et al. Dignidad humana y derechos de la persona. In: Manual de Derecho 
Constitucional. Trad. Antonio López Pina. Madri: Instituto Vasco de Administración 
Pública Marcial Pons, Ediciones Jurídicas y Sociales, 1996. 
BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: 
Campus, 1992. 
_________. Igualdade e liberdade. Trad. Carlos Nelson Coutinho. 4. ed. Rio de Janeiro: 
Ediouro, 2000. 
BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. São Paulo: Malheiros Editores, 1993. 
CAMPOS, Diogo Leite de. Lições de direitos da personalidade. Boletim da Faculdade de 
Direito, vol. LXVII, 1991. 
CITTADINO, Gisele. Pluralismo, direito e justiça distributiva. Elementos da filosofia 
constitucional contemporânea. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2000. 
 
COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 2. ed. rev. e 
ampl. São Paulo: Ed. Saraiva, 2001. 
CUPIS, Adriano de. Os direitos da personalidade. Trad. Adriano Vera Jardim e Antonio 
Miguel Caeiro. Lisboa: Livraria Morais Editora, 1961. 
DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro: parte geral. São Paulo: Saraiva. 
________. In: Dicionário jurídico. São Paulo: Ed. Saraiva, vol. 2. 
França, R. Limongi. Instituições de direito civil. 5. ed. rev. e atual. São Paulo: Ed. Saraiva, 
1999. 
KANT, Immanuel. Fundamentos da metafísica dos costumes e outros escritos. Trad. 
Leopoldo Holzbach. São Paulo: Editora Martin Claret, 2003. 
LAFER, Celso. A reconstrução dos direitos humanos: um diálogo com o pensamento de 
Hannah Arendt. 4. reimp. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 
LALANDE, André. Vocabulário técnico e crítico de filosofia. São Paulo: Ed. Martins 
Fontes, 1996. 
LOCKE, John. Segundo tratados sobre o governo civil. In: MORRIS, Clarence. Os 
grandes filósofos do direito: leituras escolhidas em direito. Trad. Reinaldo 
Guarany;revisão técnica Sérgio Sérvulo da Cunha. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 
2002. 
MIRANDA, Jorge. Manual de direito constitucional. 2. ed. Coimbra: Coimbra Editora, 
Tomo IV, Direitos fundamentais,1998. 
 
 
 
MONTESQUIEU. O espírito das leis. 1. ed. São Paulo: Abril, Coleção Os Pensadores, v. 
XXI, 1973. 
MORAES, Alexandre de. Direito constitucional. 6. ed. São Paulo: Atlas, 1999. 
_________. Direitos humanos fundamentais: teoria geral, comentários aos arts. 1o ao 5o 
da Constituição da República Federativa do Brasil, doutrina e jurisprudência. 2. ed. São 
Paulo: Atlas, Coleção Temas Jurídicos, v. 3, 1998. 
REALE, Miguel. Lições preliminares de direito. 24. ed., 3. reimpr. São Paulo: Ed. Saraiva, 
1999. 
_________. O Estado Democrático de Direito e os conflitos das ideologias. São Paulo: Ed. 
Saraiva, 1998. 
SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direitos fundamentais na 
Constituição Federal de 1988. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2001. 
SILVA, José Afonso. Curso de direito constitucional positivo. 6. ed. revista e ampl. de 
acordo com a nova Constituição. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1990. 
_________. A dignidade da pessoa humana como valor supremo da democracia. Revista 
de Direito Administrativo. Rio de Janeiro: Renovar, n. 212, abr.-jul, 1998. 
TELLES JR, Goffredo. Iniciação na ciência do direito. São Paulo: Ed. Saraiva, 2001. 
VENOSA, Sílvio Salvo de. Direito Civil: parte geral. São Paulo: Atlas. 
Noções preliminares 
 
Direito: 
\uf0fc É um fenômeno social e humano. 
\uf0fc O direito é parte integrante da realidade social. 
\uf0fc Tem o seu fundamento na própria natureza humana, 
pois existe em função do ser humano. 
\uf0fc Não é estático, mas dinâmico, pois evolui no tempo e 
no espaço. 
\uf0fc \u201cDireito é a realidade histórico-cultural\u201d (Venosa) 
 
Origem da palavra: 
\uf0fc Dirigere - serve para guiar-nos. 
\uf0fc directum (de + rectum ) - reto, justo. 
 
Noções preliminares 
 
Goffredo Telles Júnior propõe a 
ideia de uma linha reta, de uma 
seta (\uf0e0) do ordenamento jurídico 
como que a nos apontar o 
caminho a ser seguido para que 
possamos viver em harmonia, 
numa determinada comunidade. 
 
A ideia de Direito exige uma ordem 
com determinado sentido, uma 
ordem justa. 
 
Noções preliminares 
 
 
Finalidade do Direito: 
\uf0fc \u201cdeterminar regras que permitam ao homem 
viver em sociedade\u201d (Mazeaud e Mazeaud). 
 
\uf0fc \u201cordenar aspectos fundamentais da 
convivência humana, criando as condições 
exteriores que permitam a conservação da 
sociedade e a realização pessoal de seus 
membros\u201d - o fim do direito é o bem comum 
(José de Oliveira Ascensão). 
Noções preliminares 
Direito e sociedade 
 
Aristóteles (384-322 a.C.) ensinava 
que o homem é um animal 
político porque se congrega em 
cidades, agrupamentos, para 
assegurar a sua subsistência e a 
realização de seus fins. 
 
Noções preliminares 
O Direito é um fenômeno humano - o 
homem não está isolado, mas há ligação 
com a sociedade: 
 
Ubi societas, ibi ius. 
Onde está a sociedade, está o Direito. 
Ubi ius, ibi societas. 
Onde está o Direito, está a sociedade. 
 
 
Noções preliminares 
Ciência do dever-ser 
O mundo do ser (leis naturais) existe 
independentemente da ação humana, numa 
relação de causa e efeito. 
 
O mundo do dever ser, por sua vez, depende da 
valoração da conduta humana, pois admite a 
liberdade de escolha, assim sendo, é criado 
pelo homem. 
 
Noções preliminares 
Função do direito 
Garantir a coexistência. 
 
Tem função ordenadora e de coordenação 
dos interesses, com o fim de superar e 
compor os conflitos que podem surgir 
entre as pessoas. 
Noções preliminares 
Visa \u201charmonizar as 
relações intersubjetivas, 
a fim de ensejar a 
realização do máximo 
dos valores humanos, 
com o mínimo de 
sacrifício e desgaste\u201d 
(GRINOVER). 
Noções preliminares 
Fundamentos do Direito 
 
\uf0fcSegurança 
\uf0fcJustiça 
\uf0fcBem comum 
\uf0fcLiberdade 
\uf0fcIgualdade 
Noções preliminares 
O Direito e seus significados: 
 
\uf0fc \u201cÉ o conjunto das normas gerais e positivas, que 
regulam a vida social\u201d (RADBRUCH). 
 
\uf0fc \u201cConjunto das normas gerais e positivas, 
ditadas por um poder soberano e que 
disciplinam a vida social\u201d (MONTEIRO). 
 
\uf0fc \u201cÉ o princípio de adequação do homem à vida 
social\u201d (PEREIRA). 
Noções preliminares 
O Direito e seus significados 
 
\uf0fc \u201cÉ uma ordem de consciência humana com um 
sentido \u2013 Justiça\u201d (JOÃO BAPTISTA 
MACHADO). 
 
\uf0fc \u201cNós concebemos o direito como atributo da 
pessoa, como fenômeno na vida social, como 
norma de agir ou lei\u201d (MONTORO). 
Noções preliminares 
Direito-Ciência 
 
\u2022 \u201cDireito é a exposição sistematizada de 
todos os fenômenos da vida jurídica e a 
determinação de suas causas\u201d 
(HERMANN POST). 
 
\u2022 Investiga e sistematiza os fenômenos 
jurídicos. 
Noções preliminares 
Direito-Norma 
Direito objetivo \u2013 conjunto de normas que regulam o 
comportamento humano. Jus est norma agendi.