PROFESSORES FASCINANTES  Farnciele   Cópia (2)
2 pág.

PROFESSORES FASCINANTES Farnciele Cópia (2)


Disciplina<strong>pedagogiaestágio</strong>3 materiais14 seguidores
Pré-visualização1 página
PROFESSORES FASCINANTES
Franciele Rocha Pereira 
 Educar é provocar a inteligência, é a arte dos desafios. A exposição interrogada transforma a informação em conhecimento, e o conhecimento, em experiência. O melhor professor não é o mais eloqüente, mas o que mais instiga e estimula a inteligência. Através da arte da pergunta, o professor estimula mais ainda o estresse positivo da dúvida. Ele cativa a atenção dos alunos e penetra no território da emoção e no anfiteatro de suas mentes. O conhecimento pronto estanca o saber e a dúvida provoca a inteligência.
 Dentro das escolas o cenário que vemos é com certeza bastante desafiador, pois sabemos que existem muitos professores bons em seu trabalho, entretanto a necessidade encontrada vai muito além de ser apenas bom, a escola  clama por profissionais fascinantes, capazes de despertar em seus alunos o que cada um tem de melhor, sem desistir do seu difícil papel de educador, acomodando-se e desanimando-se diante dos desafios, mas sendo aquele que irá nutrir sonhos e caminhar junto na conquista destes sonhos.
	Os professores fascinantes transformam a informação em conhecimento e o conhecimento em experiência. Sabem que apenas a experiência é registrada de maneira privilegiada nos solos da memória, e somente ele cria avenidas na memória capazes de transformar a personalidade. Por isso, estão sempre trazendo as informações que transmitem para a experiência de vida.
A educação passa por uma crise sem precedentes na História. Os alunos estão alienados, não se concentram, não tem prazer em aprender e são ansiosos. De quem é a culpa? Dos alunos ou dos pais? Nem de uns nem de outros. As causas são mais profundas. As causas principais são frutos do sistema social que estimulou de maneira assustadora os fenômenos que constroem os pensamentos.
O palco da mente dos jovens de hoje é diferente dos jovens do passado. Os fenômenos que estão nos bastidores da mente deles e que produzem pensamentos são os mesmos, mas os atores que estão no palco são distintos. A qualidade e a velocidade dos pensamentos mudaram. Precisamos conhecer alguns papéis da memória e algumas áreas do processo de construção da inteligência para encontrar as ferramentas necessárias e capazes de dar uma revira volta na educação.
O primeiro hábito de um professor fascinante é entender a mente do aluno e procurar respostas incomuns, diferentes daquelas a que o jovem está acostumado.