Patologia dor
105 pág.

Patologia dor


DisciplinaPrincípios em Fisiatria12 materiais29 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Resumo de Patologia
5 ETAPA \u2013 MÓDULO 1
Nervo Normal 
\u2022 Um nervo periférico é composto 
por fascículos separados e 
envolvidos por tecido conjuntivo 
colágeno, chamado epinêurio.
\u2022 O epinêurio não somente 
envolve o nervo por fora mas as 
traves fibrosas entre os fascículos 
são também epinêurio.
\u2022 Cada fascículo é envolto por uma 
camada de células 
especializadas, o perinêurio, e 
contém axônios mielínicos e 
amielínicos em meio a tecido 
conjuntivo frouxo, o endonêurio
Endoneuro: camada de tecido conjuntivo que reveste 
cada neurofibra, seja ela mielinizada ou não.
Perineuro: envolve o conjunto de feixes nervosos 
denominados fascículos.
Epineuro: Terceira camada de tecido conjuntivo que 
reveste o conjunto de fascículos, externa e 
internamente, que se uniram para formar os nervos 
O perinêurio é formado por camadas de células pavimentosas, intimamente unidas 
entre si, constituindo uma barreira que isola o endonêurio e os axônios. A espessura 
do perinêurio, ou seja, o número de camadas celulares é proporcional ao diâmetro do 
fascículo.
O endonêurio é constituído por fibras colágenas arranjadas longitudinalmente, 
sintetizadas por fibroblastos do endonêurio. Em meio a elas são observados 
os axônios mielínicos de vários diâmetros.
\u2022 Proteína S-100: marca 
células derivadas da crista 
neural, inclusive células de 
Schwann. Como as baínhas
de mielina são formadas por 
múltiplas camadas da 
membrana da célula de 
Schwann, marcam-se pelo 
anticorpo. A marcação é 
levemente mais acentuada 
na periferia da baínha, pois aí 
está o maior volume do 
citoplasma da célula de 
Schwann. Demais 
elementos, como axônios e 
tecido conjuntivo, ficam 
incolores.
\u2022 NODO DE RANVIER. Onde 
os 'gomos' da baínha de 
mielina (os internodos) 
formados por duas células 
de Schwann contíguas se 
encontram está o nodo de 
Ranvier. Neste ponto se dão 
as trocas iônicas da 
condução saltatória
Axônios amielínicos são diminutos 
demais para serem bem visualizados 
em microscopia óptica. Formam 
agrupamentos no endonêurio, sendo 
circundados individualmente por 
prolongamentos de células de 
Schwann. Nesta foto, em corte 
transversal, os axônios são as 
estruturas mais claras, os processos 
de células de Schwann mais escuros. 
Aqui e acolá é possível observar a 
parte central da célula de Schwann
com seu núcleo.
\u2022 Os axônios amielínicos têm 
contorno arredondado, 
citoplasma pouco eletrodenso, 
contêm microtúbulos e 
neurofilamentos e várias 
mitocôndrias. Os 
prolongamentos de células de 
Schwann os circundam 
completamente, e o conjunto é 
envolvido por membrana 
basal. De permeio há fibras 
colágenas do endonêurio.
Neuropatias Periféricas
\u2022 Nueropraxia
\u2192Lesão leve com perda motora e sensitiva, sem alteração estrutural
\u2192 recuperação total
Axonotmese
\u2192Lesões por esmagamento/ estiramento 
\u2192Perda da continuidade axonal e subsequente degeneração walleriana 
do segmento distal
\u2192Sem perda das células de Schwann
\u2192 recuperação depende do grau de desorganização e número de 
axônios perdidos + distância de órgão terminal 
\u2022 Neurotmese
- Separação completa do nervo
- Desorganização do axônio causada por uma fibrose tecidual com
consequente interrupção do crescimento axonal
- Recuperação espontânea é pobre sem intervenção cirúrgica 
Degeneração Walleriana 
Degeneração de axônios e suas baínhas de 
mielina após secção do nervo, geralmente 
traumática.
O material resultante da degeneração da 
mielina e dos axônios tende a formar 
enovelados de membranas conhecidas 
como figuras de mielina. Estas são 
encontradas tanto no citoplasma das células 
de Schwann como em macrófagos que afluem 
ao local para auxiliar na remoção dos debris.
Sabe-se que é uma célula de 
Schwann pela membrana 
basal (seta)
Neuromas 
\u2022 Quando há o corte do axônio, que, geralmente, é acidental, nasce o 
neuroma de amputação. O neuroma de amputação é um axónio de um 
neurônio, que cresce desordenadamente, às vezes, de forma muito 
dolorosa na extremidade do nervo. Esse neuroma faz parte de um 
processo biológico que acontece em células nervosas, chamado 
"Degeneração Walleriana".
\u2022 Essa degeneração é processo que a célula nervosa faz para regenerar 
um axônio cortado ou danificado. Como o neuroma de amputação são 
ramos do axônio, e o axônio faz parte do caminho de onde as 
informações do ambiente externo chegará ao cérebro, então as 
informações sobre o ambiente externo do corpo não serão levadas ao 
cérebro por uma célula nervosa com o axônio cortado. Com isso, as 
únicas informações que o cérebro receberá de uma célula nervosa com 
neuroma de amputação será uma grande dor, que é causada quando 
um corpo qualquer choca-se contra a região cortada do corpo.
N
O
R
M
A
L 
PA
TO
LÓ
G
IC
O
\u2022 Na área menos afetada há preservação da arquitetura fascicular, notando-se 
grandes fascículos individualizados e envolvidos por perinêurio. A principal 
alteração é a diminuição da população de axônios mielínicos de grande 
calibre, restando pequenos axônios e axônios amielínicos. Na área mais 
afetada, além das alterações axonais, prevalece perda da arquitetura 
fascicular, com muitos pequenos fascículos não envolvidos por perinêurio e 
orientados em várias direções, em meio a denso tecido fibroso cicatricial
Reticulina
Tricrômico
de Masson
proteína de neurofilamento cora especificamente os 
axônios
marca células derivadas da crista neural, inclusive 
células de Schwann.
Neuropatia axonal 
\u2022 Degeneração de axônios 
- Afeta primeiro e de forma mais intensa o de maior calibre 
- POBREZA DAS BAINHAS DE MIELINA
- Na neuropatia axonal o processo patológico está nos neurônios 
sensitivos e motores que originam os axônios 
- Porções distais sofrem mais precocemente que as proximais 
- Avanço da doença\u2192 a porção ainda viável do axônio vai se
encurtando\u2192 DYING BACK NEUROPATHY
Neuropatia axonal
\u2022 Alterações morfológicas inespecíficas 
\u2022 CAUSAS MAIS COMUNS:
- Alcoolismo crônico
- DM
- Carência de vitaminas 
- Produtos tóxicos
- Distúrbios metabólicos \u2192 uremia, hipoglicemia, hiperglicemia, porfiria
- HIV 
TEM QUE OLHAR OS AXÔNIOS AMIELINICOS\u2192 ELES QUE
DIFERENCIAM A NEUROPATIA AXONAL DO NORMAL by giuliana
Neuropatia axonal crônica 
\u2013 perda quase que 
completa dos axônios 
mielínicos 
\u2022 Aguda \u2192 perda de axônios
mielínicos mas sem que a
maioria restante sejam os
amielínicos
\u2022 Crônica \u2192 pequena quantidade 
de axônio mielínicos e pequena 
quantidade de axônios 
amielínicos
\u2022 NEUROPATIA AXONAL GRAVE 
\u2192 grande redução numérica 
dos axônios amielínicos
Quando os amielínicos estão 
ausentes a patologia se deve à 
uma lesão axonal e não da 
bainha de mielina 
Na neuropatia axonal grave de 
longa duração não é raro 
observar-se prolongamentos 
de células de Schwann
circundando feixes de fibras 
colágenas em vez de axônios 
amielínicos. É um achado 
curioso, que denota uma 
tendência da célula de 
Schwann a enrolar-se em torno 
de 'qualquer coisa'
\u2022 Os axônios crescem ao longo das 
células de Schwann originais e seus 
tubos de membrana basal \u2192
membrana basal intacta \u2192
caminho de volta é mais fácil que se 
tivesse havido secção do nervo 
\u2022 SE AXÔNIOS REGENERADOS 
SOFREM REMIELINIZAÇÃO \u2192
FORMAM CLUSTERS 
\u2022 SE TEM CLUSTER TEVE 
REGENERAÇÃO 
Desmielinização segmentar 
\u2022 Na desmielinização segmentar há acometimento de internodos isolados 
ou múltiplos da baínha de mielina
\u2022 Afecção fundamental está na bainha de mielina ou na célula de Schwann
\u2192 não há doença primária no axônio 
\u2022 Ínicio\u2192 NODOS DE RANVIER \u2192 propagando-se nas regiões centrais dos 
internodos
\u2022 O material resultante da degeneração da mielina forma\u2192