A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Av PSICOLOGIA GERAL i

Pré-visualização | Página 1 de 1

Avaliação: SDE0644_AV_201002258121 » PSICOLOGIA GERAL I
	Tipo de Avaliação: AV
	Aluno: 201002258121 - KIAMAMBU MALUKISA
	Professor:
	ROBERTO SENA FRAGA FILHO
	Turma: 9008/AC
	Nota da Prova: 5,0        Nota de Partic.: 1,5        Data: 15/06/2015 10:30:50
	
	 1a Questão (Ref.: 201002482039)
	Pontos: 0,0  / 1,5
	Como podemos definir os esteótipos?
		
	
Resposta: Os esteriótipos são as pessoas que tem uma crença que é caracterizada a considerar os outros errados naquilo que eles acreditam. Isso significa aquele que não tem a mesma crença como ele, é errado. São os prencoceitosos e discrimina os outos injustamente.. Eles pensam que são donos da razão ou da verdade.
	
Gabarito: Define-se estereótipo social como crença coletivamente compartilhada acerca de algum atributo, característica ou traço psicológico, moral ou físico atribuído extensivamente a um agrupamento humano, formado mediante a aplicação de um ou mais critérios, como por exemplo, idade, sexo, inteligência, filiação religiosa e outros.
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201002540657)
	Pontos: 1,5  / 1,5
	A violência doméstica contra crianças e adolescente pode se manifestar de diversas maneiras além da agressão física. Assim, é comum a violência através de ameaças, humilhações e outras formas que afetam psicologicamente as crianças e adolescentes. O que fazer diante de suspeitas ou de casos de violência?
		
	
Resposta: Primeiramente devo reconhecer o caso e buscar as causas da violeencia ou mal trato. Depois providenciar os meios protetivos da vitima da violencia. Se através a instigação descubrimos que a família não demostra o arrependimento; o vítimo deve ser encaminhado no abrigo onde ele receberá todas assistencias para garantir o seu futuro.
	
Gabarito: Quando a criança ou o adolescente passa a apresentar várias características de maus tratos associadas, há que se levantar a hipótese de que esteja sofrendo agressões. Nesse caso, uma averiguação cuidadosa deve ser realizada. É conveniente que esse procedimento seja desenvolvido com a ajuda de outros profissionais, como psicólogos, professor, assistente social, enfermeiros, médicos e advogados.
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201002482033)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Os gestaltistas também tomam o comportamento por objeto de estudo, contudo para eles o comportamento deve ser estudado nos seus aspectos mais :
		
	 
	Globais.
	
	Individuais.
	
	Isolados.
	
	Específicos.
	
	Gerais.
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201002542060)
	Pontos: 0,0  / 0,5
	O protagonista de erros de interpretação, ou delírios, é sempre o próprio paciente, nos quais se sente absolutamente convencido de que as pessoas que o rodeiam ou mesmo as próprias circunstâncias estão contra ele, tendo constantemente a sensação de ser ameaçado ou perseguido por pessoas que o querem prejudicar, acreditando de forma errada que sofre de uma grave doença e ninguém gosta dele ou considerando, sem fundamento algum, que a sua parceira o engana. Estes sintomas permitem o diagnóstico da:
		
	 
	perda de interesse pela vida nas realizações pessoais e sociais
	
	apatia emocional
	
	perturbação psíquica duradoura e intensa
	
	histeria
	 
	paranoia
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201002482037)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Complete a frase com as expressões que forem mais adequadas à compreensão desta afirmativa: O preconceito está para ________________ assim como a discriminação está para ______________________.
		
	 
	Uma atitude desfavorável/um ato injusto
	
	Opressão e a segregação.
	
	A opressão/a tolerância.
	
	A tolerância / a opressão
	
	Uma ação injusta e atitude favorável
	
	
	 6a Questão (Ref.: 201002491647)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Na base do preconceito, estão as crenças sobre características pessoais que atribuímos a indivíduos ou grupos, chamadas de:
		
	 
	Estereótipos.
	
	Internalização.
	
	Discriminação.
	
	Externalização.
	
	Assimilação.
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201002482052)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	A família, com o advento da Constituição de 1988, passou a ser reconhecida, não somente com base na identidade instituída pelo matrimônio. Assim, além da família oriunda do casamento, passou-se a admitir a: I. A união estável como entidade familiar. II. A família monoparental, aquela formada por qualquer um dos pais e seus descendentes. III. A união homoafetiva.
		
	 
	I e II são verdadeiras.
	
	III é verdadeira.
	
	II é verdadeira.
	
	I é verdadeira.
	
	I, II e III são verdadeiras.
	
	
	 8a Questão (Ref.: 201002482051)
	Pontos: 0,5  / 0,5
	Com o advento da nova Constituição de 1988 foi possível acirrar a demanda pelos direitos da criança e do adolescente. A Constituição Federal, em seu artigo 227, afirma que será ¿com absoluta prioridade¿ que deverá assegurar os direitos às crianças e aos adolescentes. O novo ordenamento jurídico trazia em seu conteúdo a extinção do estigma que era preconizado, pelo Código de Menores, através da noção:
		
	
	Acolhimento e pobreza.
	
	Cidadania e pobreza.
	
	Educação e abrigamento.
	 
	Pobreza e delinqüência.
	
	Infância e juventude.
	
	
	 9a Questão (Ref.: 201002535423)
	Pontos: 0,0  / 1,0
	PUC-PR - 2012 Sobre o direito à convivência familiar, é correto afirmar que:
		
	
	A adoção post mortem não é admitida pelo direito brasileiro
	 
	A Lei 12010/2009 instituiu importantes modificações a respeito da colocação de crianças e adolescentes em família substituta
	 
	A guarda implica necessariamente a destituição do poder familiar
	
	O pátrio poder poderá ser renunciado por meio de documento escrito e assinado pelo gerador renunciante
	
	Embora o acolhimento institucional seja admitido pelo direito pátrio, a alternativa do acolhimento familiar de crianças em situação de risco não foi contemplada pela legislação
	
	
	 10a Questão (Ref.: 201002542056)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	A violência doméstica, dada a sua complexidade e contradições, pressupõe uma abordagem e intervenções interdisciplinares e intersetoriais. Discutindo as dificuldades para se discutir sobre este tema, aponta-se também a necessidade de se reorganizar as práticas assistenciais considerando que a violência doméstica deve ser abordada de forma que:
		
	
	se deve criar, no espaço de atuação das equipes de saúde da família, assistentes locais para enfrentamento da violência doméstica contra as mulheres.
	
	seja uma estratégia de reorientação do modelo assistencial vigente no Brasil
	
	se proponha a abordagem somente institucional em suas dimensões estrutural, singular e particular.
	 
	a equipe de saúde possa apoiar as mulheres no reconhecimento do problema da violência, propiciando espaços de escuta individual e coletiva
	
	aliada à reflexão há que se buscar junto às próprias mulheres a construção de alternativas de fuga ou aceitação da violência