A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
PCC 2 SEMESTRE - ANALISAR COMO OS PCN E OS PCN+ INDICAM COMO DEVEM SER TRABALHADOS O TEMA DAS DESIGUALDADES SOCIAIS NA ATUALIDADE E OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO DESEMPREGO. A PARTIR DAS REFERÊNCIAS TEÓR

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIP
 UNIVERSIDADE PAULISTA
 EAD – EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA 
 
 LICENCIATURA EM SOCIOLOGIA
TÍTULO DO TRABALHO:
ANALISAR COMO OS PCN E OS PCN+ INDICAM COMO DEVEM SER TRABALHADOS O TEMA DAS DESIGUALDADES SOCIAIS NA ATUALIDADE E OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO DESEMPREGO. A PARTIR DAS REFERÊNCIAS TEÓRICAS VISTAS NAS DISCIPLINAS DO SEMESTRE E DOS PCNS, ELABORAR UM PLANO DE AULAS.
 ANA PAULA LIMA DIE
 RA: 1802674
 POLO: SÃO BERNARDO DO CAMPO
 2018
 PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR (PCC) 
 PLANO DE AULAS
 SUBTÍTULO: 
 Atividade de Prática como Componente Curricular – PCC -
 Referente às Disciplinas: “Comunicação e Expressão”, -
 “Ciências Sociais”, “História da Antropologia”, “Pensamen-
 -to Político Moderno”, “Metodologia de Ensino das Ciências
 Sociais”, “Prática de Ensino: Observação e Projeto”, “Psico-
 -logia do Desenvolvimento/Aprendizagem.
 Cursadas no 2º Semestre de 2018 do Curso de Licenciatura –
 Em Sociologia.
 
 
 POLO: SÃO BERNARDO DO CAMPO
 2018 
 SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO.......................................................................................................3 
1.1 ANALISAR COMO OS PCN E OS PCN+ INDICAM COMO DEVEM SER TRA- 
-BALHADOS O TEMA DAS DESIGUALDADES SOCIAIS NA ATUALIDADE E -
 OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO DESEMPREGO.............................................3 
2. PLANO DE AULAS (SOCIOLOGIA NO ENSINO MÉDIO)...................................6
2.1 OBJETIVOS...........................................................................................................6
2.2 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS.......................................................................6
2.3 ATIVIDADES........................................................................................................7
3. DESENVOLVIMENTO............................................................................................7
4. METODOLOGIA.....................................................................................................8
4.1 AVALIAÇÃO........................................................................................................8
5. CONCLUSÃO.........................................................................................................9
6.REFERÊNCIAS........................................................................................................9
1. INTRODUÇÃO
1.1 ANALISAR COMO OS PCN E OS PCN+ INDICAM COMO DEVEM SER TRABALHADOS O TEMA DAS DESIGUALDADES SOCIAIS NA ATUALIDADE E OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO DESEMPREGO
Analisando o conjunto das disciplinas curriculares que formam a área de Ciências Humanas e suas Tecnologias, a Sociologia engloba conhecimentos e como deve ser trabalhado esses conceitos, mostrando aos alunos (as) do Ensino Médio, como identificar, analisar, refletir e comparar os diferentes temas sobre as desigualdades sociais e suas consequências, trazer ao aluno (a), as principais questões voltadas à realidade em que se vive. 
Compreendendo assim, as diferenças culturais, sociais e a questionar, investigar as desigualdades e os problemas causados por ela, inclusive pelo desemprego. 
Assim, enfatizando uma investigação do social, a partir das questões conceituais e metodológicas da Sociologia enquanto ciência; o que é conhecimento científico e as diferenças entre ciência e senso comum. 
Também incentiva se ao aluno (a), que leve para sala de aula, materiais de estudo, como textos, artigos, letras de músicas, charges, pesquisas em sites, dessa forma, o aluno (a), estará mais consciente para analisar com mais precisão a realidade social, dentro dos princípios científicos e mais capacitado para um olhar mais social, perante a sociedade. 
Em uma sociedade desigual e injusta, como a brasileira, o debate provocado pelo estudo dos conceitos é necessário e inadiável, pois com a compreensão do social, pode-se facilitar sua transformação. O que se constata visivelmente é que os valores estão se perdendo.
São os preconceitos e as desigualdades que denigrem a humanidade, em particular, a sociedade. 
Consciência, respeito, família, solidariedade, compaixão e até mesmo à Democracia são itens que norteiam a vida do cidadão (a). 
A sociedade brasileira deve perceber que sem um efetivo Estado Democrático, não há como combater ou mesmo reduzir significativamente a desigualdade social no Brasil. 
Fica evidente que essa intensa desigualdade brasileira, durante as últimas décadas, não como herança pré-moderna, mas sim como decorrência do efetivo processo de modernização que tomou o país, a partir do início do séc. XIX, desde então com o próprio desenvolvimento econômico, cresceu também a miséria, o desemprego, a fome que atinge milhões de brasileiros (as), levando-os à desnutrição, mortalidade infantil, baixa escolaridade, sem falar na violência...
Ou seja, assim, o educando poderá demonstrar uma reflexão crítica do mundo moderno, para que o aluno (a),tenha uma noção de qual caminho trilhar e suas obrigações como cidadão (a). 
É de suma importância que o cidadão (a), e o poder público devem ter, ao mesmo tempo, direitos e deveres a serem cumpridos.
Devendo orientar os alunos (as), no sentido de avaliar, refletir, pesquisar, sobre o impacto que a crise econômica, o desemprego, as desigualdades sociais atingem o país e individualmente cada um. 
Fortalecendo assim a formação de cidadão (a), para esses alunos (as) e a consciência da realidade. O cidadão (a) consciente tem coerência para pensar e agir, de forma civilizada.
No entanto, a grande preocupação é promover uma reflexão, avaliando os conceitos e categorias utilizadas por Karl Marx, Max Weber e Émile Durkheim no que se refere à compreensão da complexidade do mundo atual. 
Segundo Rousseau, “a desigualdade tende a se acumular, os que vêm de família modesta, tem menos probabilidade de obter um nível alto de instrução, impossibilitando assim à chance de se alcançar status social elevado, de exercer profissão de prestígio e automaticamente ser bem remunerado”. 
Destaca-se que principalmente nos países não desenvolvidos, a desigualdade social, incluindo o desemprego, é mais abrangente e seus fatores são a falta de oportunidade, de renda, de escolaridade e até mesmo de gênero. 
No Brasil, segundo os dados da ONU (Organização das Nações Unidas), sobre o tema, o país caiu 19 posições na classificação que corresponde à diferença de renda entre ricos e pobres, na comparação entre 2014 e 2015. Foi a primeira vez que o indicador social do IDH Brasileiro (Índice de Desenvolvimento Humano), piorou desde 1990, quando o levantamento começou a ser publicado anualmente. O Banco Mundial estima que o número de “miseráveis” no País, pode aumentar para 4,2% até o fim de 2017, e atingir um total de 8,5 milhões de indivíduos.
Sendo assim, afirma-se que desigualdade social, é um indicador negativo, desastroso e com resultados problemáticos,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.