identificação dos solos atraves de ensaios
4 pág.

identificação dos solos atraves de ensaios

Pré-visualização1 página
Aluno: Evellyn Vilas Boas Silva 
RGM: 12142500264
IDENTIFICAÇÃO DE SOLOS POR MEIO DE ENSAIOS
Durante a avaliação de caracterização do solo, é muito difícil saber seu tipo apenas visualmente, podem existir partículas de solos diferentes num mesmo aglomerado, tornando sua classificação e comportamento errôneos. Através de ensaios identificamos as partículas deste conjunto de aglomerados, é utilizado a análise granulométrica e os índices de consistência.
No ensaio de análise granulométrica são necessárias 2 etapas: separação e sedimentação, onde o 1º passo é separar o tamanho das partículas do solo através de peneiramento da amostra do solo, o peso do material que passa em cada peneira, em relação ao peso seco da amostra, é considerado como a \u201cporcentagem que passa\u201d, e representado graficamente em função da abertura da peneira, a abertura nominal da peneira é considerada como o \u201cdiâmetro\u201d das partículas. Trata-se, evidentemente, de um \u201cdiâmetro equivalente\u201d, pois as partículas não são esféricas. Para a 2º etapa é realizado a técnica da sedimentação, que se baseia na Lei de Stokes: a velocidade de queda de partículas esféricas num fluído atinge um valor limite que depende do peso específico do material da esfera, do peso específico do fluído, da viscosidade do fluído, e do diâmetro da esfera.
Deve ser colocado uma certa quantidade de solo em suspensão em água, as partículas cairão com velocidades proporcionais ao quadrado de seus diâmetros. No instante em que a suspensão é colocada em repouso, a sua densidade é igual ao longo de toda a profundidade. Quando as partículas maiores caem, a densidade na parte superior do frasco diminui. Numa profundidade qualquer, em um certo momento, a relação entre a densidade existente e a densidade inicial indica a porcentagem de grãos com diâmetro inferior ao determinado pela Lei de Stokes.
As densidades de suspensão são determinadas com um densímetro, que também indica a profundidade correspondente. Diversas leituras do densímetro, em diversos intervalos de tempo, determinarão igual número de pontos na curva granulométrica conforme exemplo da curva granulométrica realizada após os testes:
Para os ensaios Índices de consistência (Limites de Atterberg), os limites se baseiam na constatação de que um solo argiloso ocorre com aspectos bem distintos conforme o seu teor de umidade. Quando muito úmido, ele se comporta como um líquido; quando perde parte de sua água, fica plástico; e quando mais seco, torna-se quebradiço. Este fato é bem ilustrado pelo comportamento do mineral transportado e depositado por rio ou córrego que transborda invadindo as ruas da cidade. Logo que o rio retorna ao seu leito, o barro resultante se comporta como um líquido: quando um automóvel passa, o barro é espirrado lateralmente. No dia seguinte, tendo evaporado parte da água, os veículos deixam moldado o desenho de seus pneus no material plástico em que se transformou o barro.
Os teores de umidade correspondentes às mudanças de estado, como se mostra na figura abaixo, são definidos como: Limite de Liquidez (L) e limite de Plasticidade (LP) dos solos. A diferença entre estes dois limites, que indica a faixa de valores em que o solo se apresenta plástico, é definida como o índice de Plasticidade (IP) do solo. Em condições normais, só são apresentados os valores do L e do IP como índices de consistência dos solos. O LP só é empregado para a determinação do IP.
Figura \u2013 Limites de Atterberg dos solos
O Limite de Liquidez é definido como o teor de umidade do solo com o qual uma ranhura nele feita requer 25 golpes para se fechar numa concha. Diversas tentativas são realizadas, com o solo em diferentes umidades, anotando-se o número de golpes para fechar a ranhura, obtendo-se o limite pela interpolação dos resultados. O procedimento de ensaio é padronizado no Brasil pela ABNT (Método NBR 6459).
O Limite de Plasticidade é definido como o menor teor de umidade com o qual se consegue moldar um cilindro com 3 m de diâmetro, rolando-se o solo com a palma da mão. O procedimento é padronizado no Brasil pelo Método NBR 7180. Deve ser notado que a passagem de um estado para outro ocorre de forma gradual, com a variação da umidade. A definição dos limites acima descrita é arbitrária. Isto não diminui seu valor, pois os resultados são índices comparativos. A padronização dos ensaios é que é importante, sendo, de fato, praticamente universal.
Referências Bibliográficas
http://profqualificado.blogspot.com/2015/03/identificacao-dos-solos-por-meio-de.html - Acesso em 18/09/2019.
http://www.suportesolos.com.br/blog/anlise-granulomtrica-do-solo-ensaios-geotcnicos-o-objetivo-e-as-fraes-de-solo/71/ - Acesso em 18/09/2019.