A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Pré-visualização | Página 2 de 3

da educação corporativa. Tradução de Sabine Alexandra Holler. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.
RESPOSTA ESPERADA: 
Planejar situações de aprendizagem considerando o contexto dos educandos. 
Promover um ambiente de relações saudáveis sustentados na confiança mútua de respeito e valorização da diversidade
Criar relações que favoreçam a troca de conhecimento e a partilha dos saberes. 
Trazer o aluno à participação efetiva das atividades, na elaboração de objetivos relevantes ao seu contexto.
Utilizar recursos que agreguem valor aos conteúdos, facilitando a aprendizagem.
08. Há diferentes terminologias destinadas à Educação de Jovens e Adultos, como foi a "Educação Permanente", que é o termo utilizado por Furter (1983). O termo "Andragogia" foi formulado pelo professor alemão Alexander Kapp, em 1833, "Aprendizagem ao longo da vida" e "Educação Popular". No que concerne à terminologia na educação básica brasileira, o termo em questão é Educação de Jovens e Adultos. Frente às diferentes expressões, descreva o contexto em que cada uma delas está inserida.
FONTE: FURTER, Pierre. Educação e vida. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1983.
RESPOSTA ESPERADA: A Educação Permanente se destina para quem não teve acesso ao ensino em tempo certo. Segundo Furter (1983), as pesquisas demonstraram ser o adulto avesso a qualquer esforço educativo. O conceito Aprendizagem ao Longo da Vida rompe a distinção tradicionalista entre educação formal inicial e educação permanente.
O termo Andragogia remete a uma nova ciência advinda da pressão de um contexto social, que nos obriga a pensar na educação de adultos de um modo especial e planejado.
Educação de Jovens e Adultos está ligada às escolas públicas, municipais e particulares ou ao sistema "S", absorve pessoas analfabetas ou fora da faixa etária, do Ensino Fundamental ou Médio, que não conseguiram o ensino em tempo certo.
A Educação Popular é destinada a toda a população, abrange todas as camadas da sociedade.
09. Por volta dos anos 80, o pesquisador Kolb apresentou estudos sobre a aprendizagem vivencial, a qual considera que o conhecimento resulta de forma mais eficiente se for experienciado pelo aluno. Este estudo passou a ser chamado de Ciclo de Kolb e seus estágios, o "aprender fazendo" de Kolb, subdivididos em quatro estágio, a experiência concreta (EC), observação reflexiva (OR), conceitualização abstrata (CA), e a experimentação ativa (EA). Nesse contexto, descreva cada uma dessas subdivisões que esclarecem o estudo de Kolb sobre a aprendizagem vivencial.
RESPOSTA ESPERADA: Experiência concreta (EC): aprender algo pelo que experimentou e não decorando sem sentido. Estratégia sugerida: estudo de caso, visita de estudo.
Observação reflexiva (OR): refletir sobre a experiência da qual se participou, por meio da observação e escuta. Estratégia sugerida: debates sobre pontos de vista dos alunos.
Conceitualização abstrata (CA): fazer a ligação da experiência com a teoria, aprende-se pensando. Estratégia sugerida: aula expositiva, leitura.
Experimentação ativa (EA): colocar em prática o que aprendeu, ou seja, aprende-se fazendo. Estratégia sugerida: dramatização e/ou uso de vídeos.
10. Os movimentos educativos resultaram numa construção coletiva em torno da Educação de Adultos, que, no Brasil, objetivava a promoção da instrução popular, tanto no aspecto metodológico de transmitir conhecimento, quanto no aspecto político-social do país. Esses  movimentos tinham discussões que abrangiam os diferentes contextos e concepções na Educação de Adultos, denominados assim de entusiastas, otimistas, realistas e tecnocratas. Escreva uma redação com o tema: A IMPLICAÇÃO DOS MOVIMENTOS EDUCATIVOS NA CONSTRUÇÃO DA EJA.
RESPOSTA ESPERADA: O movimento entusiasta surgiu em prol da educação popular, preocupados com o distanciamento entre o ruralismo e o industrialismo. Tentaram desvincular o analfabetismo como motivo de vergonha, mas trazer a alfabetização como a solução de problemas, num sentimento mais humanitário.
Os otimistas, preocupados com a qualidade e a eficiência do ensino de adultos, não consideravam o contexto social nas metodologias de ensino. Já os realistas buscavam a qualidade do ensino como condição indispensável ao preparo do homem para tarefas específicas (sociais, econômicas, políticas).
Os tecnocratas mantinham o foco mais na rentabilidade da educação para fins do crescimento econômico do país, do que questões políticas ou ensino obrigatório.
11. O Programa Brasil Alfabetizado (PBA) está voltado à Alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos. O Brasil Alfabetizado é promovido em todo o território nacional, com prioridade a municípios que possuem alta taxa de analfabetismo. Pesquisas indicam que 90% destes localizam-se na região Nordeste. Sendo assim, esses municípios recebem auxílio técnico na prática das ações do programa, colaborando para garantir o prosseguimento dos estudos aos alfabetizandos. Disserte sobre os objetivos que o programa Brasil Alfabetizado (PBA) propõe atingir.
RESPOSTA ESPERADA: O programa se destina primeiramente a alfabetizar jovens e adultos, em consequência a isso inseri-los na sociedade, valorizando-os como cidadãos, acatando os direitos humanos, contribuindo para a superação do analfabetismo no Brasil e a universalização do Ensino Fundamental.
12. As metodologias andragógicas auxiliam o processo de aprendizagem. Elas estão subdivididas em: aprendizagem autodirecionada, representada por Knowles e Rogers, aprendizagem transformadora, sob os estudos de Mezirow. Nesse aspecto, disserte sobre a aprendizagem autodirecionada e aprendizagem transformadora.
RESPOSTA ESPERADA: A aprendizagem autodirecionada está centrada no aprendiz, no estímulo às descobertas por meio de debates e vivências significativas. Baseia-se numa formação cidadã, desenvolvendo no educando a capacidade de pensar, criar, argumentar.
A aprendizagem transformadora objetiva a mudança no indivíduo, sua evolução pessoal e sua percepção de mundo. Os riscos e o erro são valorizados como mola propulsora da transformação e amadurecimento. O docente, nesse contexto, deve respeitar os limites do aluno, sem interferir em suas escolhas, contribuindo positivamente.
13. Paulo Freire, diante da realidade educacional brasileira, dos incontáveis brasileiros sem vez e sem voz, tomou posição e uma das iniciativas foi a elaboração e a aplicação de um método de alfabetização de adultos. Apresente algumas considerações que retratem o método idealizado por este destacável educador brasileiro.
RESPOSTA ESPERADA: É um método voltado à alfabetização de pessoas que não foram alfabetizadas em idade própria.
Sua preocupação era transcender as letras, formar consciência e alcançar a dignidade humana tendo por base a educação.
O trabalho partia de temas geradores que contemplassem uma relação direta com a vivência dos alunos, que transcendessem o uso de cartilhas estruturadas para o mundo infantil.
O método visava promover a educação nas pessoas, um aprendizado para atendimento às necessidades da atualidade.
Ele era organizado em três etapas distintas: a investigação, a tematização e a problematização.
Por meio dos círculos de cultura, ele levantava as palavras do cotidiano que integravam o universo dos alunos. Com essas palavras geradoras, promovia o debate, e nesta relação de diálogo e conscientização, fazia acontecer a real alfabetização.
14. A Educação de Jovens e Adultos, na atualidade, possui, dentro da LDB – Lei de Diretrizes e Bases –, um espaço significativo. Já o Conselho Nacional da Educação e da Câmara de Educação Básica em seu Parecer nº 11/2000, dá à EJA três funções. São elas: reparadora, equalizadora e qualificadora. Com relação a esta tríade, disserte sobre essas três funções.
RESPOSTA ESPERADA: As três funções da modalidade EJA estão apresentadas no Parecer nº 11/2000 do CNE e têm como finalidade suprir a ideia de Educação de Jovens e Adultos paternalista e compensadora, abrindo espaço para novas possibilidades de construção de conhecimento

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.