GLOMERULONEFRITES
9 pág.

GLOMERULONEFRITES


DisciplinaNefrologia815 materiais2.464 seguidores
Pré-visualização4 páginas
CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS 
 
SD. NEFRÓTICA 
-Caracterizada por edema decorrente de hipoalbuminemia (?), proteinúria (> 3,5g/1,73m2 de superfície 
corporal em adultos ou >50mg/kg/dia em crianças) e aumento na reabsorção de sódio e H20 renal, podendo ser 
acompanhado ou não de dislipidemia, lipidúria, estado de hipercoagulabilidade (aumento de fatores pró-
coagulantes e diminuição de anticoagulantes) e susceptibilidade a infecções e eventos trombóticos. 
-Sinais e sintomas: edema (anasarca, derrame cavitário, periorbital pela manhã, mmii no final do dia), urina espumosa 
(proteinúria), hipertensão 
-Exames diagnósticos e etiológicos: 
Urina I \u2013 proteinúria (realizar nova coleta de 24h), e glicosúria (dosar glicemia), lipidúria, hematúria e 
leucocitúria podem ou não estar presentes. 
Proteinúria de 24h \u2013 > 3,5g/1,73m2 de superfície corporal 
Dosagem de albumina \u2013 hipoalbuminúria (< 3,5g/dL), realizar eletroforese. 
Eletroforese de proteína \u2013 informatiza sobre outras alterações proteicas (alfa-2 e betaglobulina em geral 
elevadas e gamaglobulina normal, baixa ou aumentada). 
Perfil lipídico \u2013 dosado após o diagnóstico; colesterol e TG podem estar aumentados. 
Complemento sérico \u2013 classificação da glomerulopatia; dosagem total e das frações C1q, C2, C3, C4, 
Pesquisa de doença de base \u2013 HMG (dç sistêmica associada?), glicemia (DM?), exame de fezes 
(esquistossomose? Estrongiloidíase?), dosagem de anticorpos antinucleares (LES?) e anti-HIV (SIDA?), sorologia para 
hep B/C e sífilis, avaliação dirigida para neoplasia (principalmente em idosos) e outros. 
Ultrassonografia \u2013 solicitada quando houver déficit de função renal e necessidade de biópsia renal 
Biópsia renal: somente em adultos com rins de tamanho normal e sem contraindicações (distúrbio de 
coagulação \u2192 antes realizar coagulograma, HMG, pesquisar uso de anticoagulante (AP, HV); indicada sempre em Sd. 
nefrótica idiopática em de adultos, e em crianças com tratamento imunossupressor não responsivo. 
-Exames de seguimento: HMG, glicemia (avaliar se a medicação não causa diabetes secundária), Proteinúria 24h ou 
relação proteína/creatinina, creatinina séria e depurada (avaliar déficit renal), complemento, anticorpos 
(principalmente no acompanhamento de LES), potássio (avaliar a repercussão diante do tratamento com diuréticos e 
bloqueadores do SRAA), nível sérico das medicações (se disponível). 
-TRATAMENTO: dieta hipossódica e normoproteica se FG normal, restrição hídrica cuidadosa (ingesta=diurese atual), 
diuréticos de alça (com cuidado para evitar hipotensão e LRA), expansores plasmáticos somente em caso de 
instabilidade hemodinâmica, anti-hipertensivos (IECA, BRA, IR \u2013 manter pressão < 125x75 mmHg), 
imunossupressores* 
*Tto da GP: para iniciar o tto deve-se identificar o tipo histológico primeiro, salvo casos de crianças, em que a 
imunossupressão pode ser iniciada antes do diagnóstico etiológico por biópsia. 
Remissão completa: proteinúria neg. OU <0,3g/dia 
Remissão parcial: proteinúria entre 0,3 e 2g/dia OU <3,5g/1,73m2 (nível não nefrótico) 
Recidiva frequente: resposta inicial ao corticoide seguida de 2 recidivas em 6 mese ou 4 em 1 ano. 
 
SD. NEFRÍTICA 
-Caracterizada por hematúria súbita + pelo menos um outro sintoma (proteinúria, oligúria, déficit renal, HAS ou 
edema). 
-Sinais e sintomas: urina escura (marcohematúria), oligúria, edema, hipertensão 
-É uma inflamação glomerular aguda focal (<50% glomérulos) ou difusa (>50%), causando hematúria, leucocitúria e 
diminuição da função renal; a oligúria decorre da diminuição da FG e consequente redução do vol. urinário. O edema 
é consequência da retenção de Na, o qual também atua no aumento pressórico. 
-Exames: Urina I \u2013 hematúria (macro ou micro) na maioria das vezes com dismorfismo eritrocitário (>5% de acantócitos 
e/ou codócitos), cilindrúria (menos frequente), proteinúria (presente ou não, se sim realizar nova coleta de 24h, 
geralmente estará <3g/dia) e leucocitúria, em geral, estéril (indica inflamação). 
Creatinina sérica \u2013 aumentada quando houver déficit de função renal. 
Complemento sérico \u2013 permite classificar em normo ou hipocomplementemia, geralmente são dosados o 
CH50 e as frações C3 e C4. 
Pesquisa de doença de base \u2013 dosagem de anticorpos (antiestreptococos, antinucleares \u2013 FAN, ANCA, anti-
MBG), pesquisa de crioglobulinas sanguíneas, hemocultura, HBsAg anti-HBs anti-HBc, anti-HCV, sorologia para Epstein-
Barr, CMV, anti-HIV e outros 
Ultrassonografia \u2013 solicitada quando houver déficit de função renal e necessidade de biópsia renal 
-TRATAMENTO: dieta hipossódica, repouso, diurético, anti-hipertensivo e, em casos de oligúria prologada, proteinúria 
nefrótica com hipoalbuminemia ou GNRP, imunossupressores. 
 
GLOMERULONEFRTE RAPIDADEMENTE PROGRESSIVA (GNRP) 
-Evolução da sd. nefrítica 
-Caracterizada por rápido declínio da função renal (ao longo de dias ou semanas), associado à achados sugestivos 
de sd. nefrítica \u2013 presença de macro ou microhematúria, edema, redução do vol urinário e, eventualmente, 
proteinúria e alteração da creatinina 
-Sinais e sintomas: pode ser assintomático ou apresentar hematúria, edema, olugúria e, eventualmente, urina 
espumosa, HAS 
-À histopatologia, se apresenta como uma glomerulopatia crescêntica (lesão formada por acúmulo de céls epiteliais 
parietais, inflamatórias ou fibrose no espaço urinário com aparência de semilua ao MO em >50% dos glomérulos 
avaliados) 
-Seu diagnóstico e classificação é dado por biópsia renal 
-Exames: Urina I \u2013 proteinúria (<3,5g/1,73m2), hematúria (em geral, macro - >1.000.000hemácias/ml) e leucocitúria 
 Creatinina sérica \u2013 aumentada (>3mg/dL) 
Ultrassonografia \u2013 para realização de biópsia; geralmente rins normais ou aumentados 
Outros: proteinúria de 24h, dosagem de anticorpos e imunocomplexos 
-Classificação quanto aos achados da biópsia IF: característica do depósito de IC 
-tipo I: presença de depósitos lineares- GN anti-MBG, dç de Goodpasture 
-tipo II: presença de depósitos granulares difusos\u2013 GNPI, GNL, GN idiopática, GN da crioglobulinemia e dç de 
Berger, púrpura de Henoch-Schonlein 
-tipo III: ausência de depósitos significativos \u2013 GN PAUCI-IMUNE 
*por ser uma clínica rapidamente evolutiva, é necessário um rápido diagnóstico para realização de biópsia o quanto 
antes. 
-TRATAMENTO: específico para cada categoria 
\u2192GN crescêntica por anti-MBG: Pulsoterapia endovenosa: adm de metilprednisolona 7-15mg/kg/dia até um 
máximo de 1g/dia por 3 dias, seguido de prednisona 60mg/dia VO, com redução progressiva + Plasmaférese: (salvo 
pacientes anúricos sem hemorragia pulmonar) troca de 4L de plasma/dia por albumina por 14 dias ou até os Ac anti-
MBG desapareçam + ciclosfosfamida (dosagem com base na função renal) VO por 8 semanas -- tto até anti-MBG não 
ser detectável 
\u2192GN crescêntica por IC: Pulsoterapia endovenosa com metilpredinisolona + seguimento do protocolo de acordo 
com cada doença base 
\u2192GN crescêntica Pauci-imune: -se ANCA + \u2192uso prolongado de corticoide e ciclofosfamida ou adm de rituximab 
-se ANCA \u2013 \u2192adm de metilprednisolona 7-15mg/kg/dia até um máximo de 1g/dia 
por 3 dias, seguido de prednisona 1mg/kg/dia por 30 dias, com redução gradual nos próximos 6 a 12 meses + 
ciclosfosfamida por 6 a 12 meses sendo: 2mg/kg/dia VO, ajustada para manter contagem de leucócitos entre 3.000 e 
5.000/mL OU 0,5g/m2/mês, aumentando mensalmente 0,25mg atá um máximo de 1g/m2/mês, sendo a sode ajustada 
para manter o menor valor possível de leucócitos entre 3.000 e 5.000/mL (dosagem feita 2 semanas após o tto) 
Recidivas: tto semelhante 
 
ALTERAÇÕES ASSINTOMÁTICAS 
-Proteinúria assintomática: 
-Investigar conforme sd. nefrótica; 
-A causa é determinada, em geral, por biópsia, porém indicada