aps práticas de enfermagem IV
9 pág.

aps práticas de enfermagem IV


DisciplinaPráticas de Saúde e Enfermagem III56 materiais89 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Práticas de Enfermagem IV
Profª Alceni e Profª Luana
Enfermagem- 4° Semestre- Manhã.
Nomes:
\u2022 Ana Luiza Estorce
\u2022 Giulia Tisseu 
\u2022 Priscylla Yuri
\u2022 Rafaela Tisseu
\u2022 Vitoria Alves
\u2713 Oleo vegetal 
composto por 
ácido linoleico;
\u2713 Ácido caprílico
\u2713 Ácido cáprico
\u2713 Vitamina A, E; 
\u2713 Lecitina de soja.
Indicação Tipo de Ferida Contraindicação
Mecanismo 
de Ação
Modo de uso
Periodicidade 
de troca
Composição
Á
c
id
o
s
 G
ra
x
o
s
 
E
s
s
e
n
c
ia
is
-
D
e
rs
a
n
i
\u2713 Prevenção e 
tratamento de 
dermatites
\u2713 Úlceras de 
pressão, venosa 
e neurotrófica
\u2713 Tratamento de 
úlceras abertas 
com ou sem 
infecção.
\u2713 Promove a 
quimiotaxia e a 
angiogênese, 
mantém o meio 
úmido e acelera 
o processo de 
granulação 
tecidual. A 
aplicação em 
pele íntegra tem 
grande absorção, 
forma uma 
película protetora 
na pele, previne 
escoriações 
devido à alta 
capacidade de 
hidratação e 
proporciona 
nutrição celular 
local.
\u2713 Lesões abertas.
\u2713 Remover o 
exsudato e o 
tecido 
desvitalizado. 
Espalhar o AGE 
no leito da ferida 
ou embeber 
gazes estéreis 
de contato o 
suficiente para 
manter o leito da 
ferida úmido até 
a próxima troca. 
Ocluir com 
cobertura 
secundária 
estéril de gaze e 
fixar.
\u2713 Feridas com 
cicatrização 
em 1ª 
intenção.
\u2713 sempre que o 
curativo 
secundário 
estiver 
saturado ou, 
no máximo, a 
cada 24 horas.
H
id
ro
c
o
ló
id
e
s
 
\u2713 Camada externa-
espuma de 
poliuretano; 
\u2713 Camada interna-
gelatina, pectina 
e 
carboximetilcelul
ose sódica.
\u2713 Feridas abertas 
não infectadas, 
com leve a 
moderada 
exsudação;
\u2713 Prevenção ou 
tratamento de 
úlceras de 
pressão não 
infectadas.
Indicação Tipo de Ferida Contraindicação
Mecanismo 
de Ação
Modo de uso
Periodicidade 
de troca
Composição
\u2713 Estimula a 
angiogênese e o 
desbridamento 
autolítico.
\u2713 Acelera o 
processo de 
granulação 
tecidual.
\u2713 Feridas abertas 
não infectadas, 
com leve a 
moderada 
exsudação;
\u2713 Prevenção ou 
tratamento de 
úlceras de 
pressão não 
infectadas.
1. Lavar a ferida;
2. Escolher o 
hidrocolóide, 
com diâmetro 
que ultrapasse a 
borda da ferida 
pelo menos 3 
cm. 
\u2713 Feridas 
colonizadas ou 
infectadas;
\u2713 Feridas com 
tecido 
desvitalizado 
ou necrose;
\u2713 Queimaduras 
de 3° grau.
\u2713 7 em 7 dias.
H
id
ro
g
e
l 
\u2713 Gel transparente, 
incolor, 
composto por: 
água (77,7%), 
carboximetilcelul
ose (CMC-2,3%) 
e propileno glicol 
(PPG-20%).
\u2713 Feridas 
superficiais 
moderada ou 
baixa exsudação.
\u2713 Amolece e 
remove tecido 
desvitalizado 
através de 
desbridamento 
autolítico. A água 
mantém o meio 
úmido, o CMC 
facilita a re-
hidratação 
celular e o 
desbridamento. 
O PPG estimula 
a liberação de 
exsudato.
\u2713 Feridas com 
crostas, fibrinas, 
tecidos 
desvitalizados e 
necrosados.
1. Lavar o leito da 
ferida;
2. Espalhar o 
curativo ou 
introduzi-lo na 
cavidade; 
assepticamente. 
3. Ocluir a ferida 
com cobertura 
secundária 
estéril.
\u2713 Pele íntegra e 
incisões 
cirúrgicas 
fechadas.
\u2713 3 em 3 dias.
Indicação Tipo de Ferida Contraindicação
Mecanismo 
de Ação
Modo de uso
Periodicidade 
de troca
Composição
P
ro
to
s
a
n
 G
e
l
\u2713 0,1% de 
undecilaminopro
pil betaína;
\u2713 0,1% de 
polihexanida;
\u2713 Glicerol;
\u2713 Hidroxietilcelulos
e;
\u2713 Agua purificada.
\u2713 Feridas de 
espessura 
parcial a total;
\u2713 Ulceras por 
pressão de 
estágio I a IV;
\u2713 Ulceras arteriais, 
venosas e 
mistas;
\u2713 Ulceras pós-
cirúrgicas;
\u2713 Queimaduras de 
1º e 2º grau;
\u2713 Áreas doadoras 
de enxerto
\u2713 Ulceras 
infectadas ou 
não.
\u2713 Composto por 
0,1% de 
undecilaminopro
pil betaína, que 
auxilia no efeito 
de limpeza, 0,1% 
de polihexanida 
(biguanida), um 
conservante com 
alta tolerância 
tissular glicerol, 
que propicia a 
hidratação 
hidroxietilcelulos
e, um agente de 
gelificação e 
água purificada, 
assim, 
proporcionando 
limpeza e 
hidratação de 
lesões cutâneas.
\u2713 Não relatado.
1-Higienize a ferida 
com solução 
fisiológica ou 
qualquer outro 
produto indicado para 
limpeza de feridas;
2- Aplicar Prontosan 
Gel diretamente 
sobre a ferida, se a 
troca do curativo for 
diária (24 horas) 
colocar uma camada 
de pelo menos 3mm, 
já em intervalos 
maiores que 24 horas 
colocar uma camada 
de 3 a 5 mm; 
3- Cobrir o mesmo 
com um curativo 
secundário de 
escolha;
\u2713 Queimaduras 
grau III e IV;
\u2713 Aplicação em 
carlilagem 
hialina.
\u2713 24 em 24 
horas.
Indicação Tipo de Ferida Contraindicação
Mecanismo 
de Ação
Modo de uso
Periodicidade 
de troca
Composição
P
a
p
a
in
a
 G
e
l 
1
0
%
\u2713 Papaína
\u2713 Quimiopapaína 
A e B
\u2713 Papayapeptidase
.
\u2713 Feridas com 
presença de 
tecido inviável, 
mas que tenha 
tecido viável.
\u2713 Dissociação das 
moléculas de 
proteína;
\u2713 Anti-inflamatório, 
bactericida e 
bacteriostático;
\u2713 Estimula a força 
tensil;
\u2713 acelera o 
processo 
cicatricial; 
\u2713 Lesões com 
necrose úmida.
\u2713 Aplicação tópica.
\u2713 Contato com 
metais, devido 
ao poder de 
oxidação;
\u2713 Tempo 
prolongado de 
preparo devido 
à instabilidade 
da enzima 
(que é de fácil 
deterioração).
\u2713 24/24 h.
S
u
lf
a
d
ia
z
in
a
 d
e
 
P
ra
ta \u2713 Sulfadiazina de 
prata a 1% 
hidrofílica.
\u2713 Feridas 
causadas por 
queimaduras ou 
que necessitem 
ação 
antibacteriana. 
\u2713 O íon prata causa 
a precipitação de 
proteínas e age 
diretamente na 
membrana 
citoplasmática da 
célula bacteriana, 
exercendo ação 
bactericida 
imediata, e ação 
bacteriostática 
residual, pela 
liberação de 
pequenas 
quantidades de 
prata iônica.
\u2713 Queimaduras.
\u2713 Remover o 
excesso de 
pomada e tecido 
desvitalizado. 
Lavar a ferida e 
aplicar o creme, 
assepticamente, 
em toda 
extensão da 
lesão (5 mm de 
espessura). 
Colocar gaze de 
contato úmida. 
Cobrir com 
curativo estéril.
\u2713 Hipersensibilid
ade a sulfas.
\u2713 12/12 h
Indicação Tipo de Ferida Contraindicação
Mecanismo 
de Ação
Modo de uso
Periodicidade 
de troca
Composição
B
o
ta
 d
e
 U
n
n
a
\u2713 Pasta a base de 
óxido de zinco, 
glicerol, álcool 
ceto-estearílico, 
óleo de rícino, 
goma acácia, 
conservantes e 
água..
\u2713 Tratamento 
ambulatorial de 
úlcera venosa e 
edema linfático 
dos membros 
inferiores.
\u2713 Contenção de 
edema ao 
auxiliar no 
melhor retorno 
venoso e 
redução de 
exsudato.
\u2713 Feridas 
decorrente de 
insuficiência 
venosa.
\u2713 Aplicar 
preferencialmente 
no período da 
manhã, Solicitar 
ao paciente 
manter os 
membros afetados 
elevados acima do 
nível do corpo por 
no mínimo 15 
minutos, antes do 
procedimento, na 
primeira aplicação 
e sempre que 
necessário na 
presença de 
edema.
\u2713 Hipersensibilid
ade aos 
componentes 
do produto;
\u2713 Ulcera arterial.
\u2713 4 em 4 dias.
\u2713 Colagenase;
\u2713 Cloranfenicol;
\u2713 Vaselina.
\u2713 Ulcerações e 
necroses;
\u2713 Lesões de difícil 
cura.
\u2713 Desbridamento 
de feridas 
superficiais, que 
promovem a 
limpeza 
enzimática das 
áreas afetadas, 
limpando assim 
os tecidos 
necrosados e 
crostas.
\u2713 Ferida com 
tecido 
desvitalizado.
\u2713 Remover