A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
ED THAU III 4º/5º SEMESTRE UNIP

Pré-visualização | Página 1 de 1

1° exercício: 
Já se observou que, enquanto a arquitetura medieval prega a humildade cristã, 
a arquitetura clássica e a do Renascimento proclamam a dignidade do homem. 
Sobre esse contraste pode-se afirmar que: 
 
a. Corresponde, em termos de visão de mundo, ao que se conhece como teocentrismo 
e antropocentrismo; 
 
b. Aparece no conjunto das artes plásticas, mas não nas demais atividades culturais e 
religiosas decorrentes do humanismo; 
 
c. Surge também em todas as demais atividades artísticas, exprimindo as mudanças 
culturais promovidas pela escolástica; 
 
d. Corresponde a uma mudança de estilo na arquitetura, sem que a arte medieval como 
um todo tenha sido abandonada no Renascimento; e. Foi insuficiente para quebrar a 
continuidade existente entre a arquitetura medieval e a renascentista; 
 
Resposta: A 
 
2° exercício: 
Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu domínio 
sobre a natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da 
invenção tecnológica, os cientistas também iriam se atirar nessa aventura, 
tentando conquistar a forma, o movimento, o espaço, a luz, a cor e mesmo a 
expressão e o sentimento (SEVCENKO, N. O Renascimento. Campinas: Unicamp, 
1984). O texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção 
artística, marcada pela constante relação entre: 
 
a. Fé e misticismo. 
b. Ciência e arte. 
c. Cultura e comércio 
d. Política e economia. 
e. Astronomia e religião 
 
Resposta: B 
 
3° exercício: 
O ambiente que deu origem ao Maneirismo foi marcado por profundas 
mudanças na economia, na política, na cultura e na religião. Assinale a 
alternativa que não descreve o contexto deste ambiente: 
 
a. A invasão da Itália pela França, Alemanha e Espanha [fim do século XV e o início do 
século XVI] levou a uma radical alteração no equilíbrio de forças do continente, 
culminando no Saque de Roma de 1527, que assinala o fim do Renascimento como um 
movimento unificado e o início "oficial" do Maneirismo italiano: fuga de artistas e 
intelectuais para outras paragens; 
 
b. A principal fonte de inspiração é o espírito religioso reinante na Europa naquele 
momento. Não só a Igreja, mas toda a Europa estava dividida após a Reforma de Lutero. 
Reinam a desolação e a incerteza. Os grandes impérios começam a se formar, e o 
homem já não é a principal e única medida do universo; 
 
c. A transformação econômica que deu seus primeiros passos ao redor dos séculos 11 e 
12 (na região do Flandres, ao redor do rio Reno e do rio Sena) tendo como conseqüência 
a ressurreição da vida urbana: competição entre as cidades para ver quem construía 
catedral cuja torre seria a mais alta possível; 
 
d. Os elementos classicistas, já sendo cultivados em vários pontos da Europa, se 
expandem de forma decisiva e consistente para além dos Alpes, mas vão encontrar 
arraigadas tradições góticas ainda em pleno vigor. Da fusão dessas correntes resulta 
uma diversidade de sínteses ecléticas, a que se atribuiu o nome genérico de Maneirismo 
internacional; 
 
e. Na economia, a abertura de novas rotas comerciais em vista das grandes navegações 
deixou a Itália fora do centro do comércio internacional, deslocando o eixo econômico 
para as nações do oeste europeu. Portugal e Espanha se erguiam como as novas 
potências navais, acompanhados pela França, Inglaterra e Países Baixos. O ouro e outras 
riquezas das colônias americanas, africanas e asiáticas afluíam para eles em uma 
quantidade inaudita, e sustentavam a sua ascensão política. Com a industrialização em 
larga escala, as atividades primárias declinam em prestígio, as classes mais baixas 
perdem toda a segurança e, como esse contexto é instável, ocorrem bancarrotas 
nacionais na França (1557) e Espanha (1557 e 1575), com consequências sérias para 
grandes massas da população. 
 
Resposta: C 
 
4° exercício: 
“A arquitetura medieval desenvolveu-se a partir da tentativa de cobrir uma 
ampla sala com um telhado a prova de fogo, construído com pedra. [...] Essa 
longa história divide-se em dois estilos: românico e gótico. É verdade que o estilo 
românico, normando da Inglaterra, usou o arco de volta perfeita e as paredes 
grossas e pesadas, enquanto o gótico, com seu arco em ogiva, conseguiu alcançar 
flexibilidade e leveza” (JORDAN, 1979) 
 
 
a) Salisbury 
 
b) Catedral de Espira. 
 
Observe as imagens acima e assinale a alternativa correta: 
 
a. A Catedral de Espira (b) pertence ao estilo gótico, devido ao seu arco em ogiva; 
 
b. A Catedral de Salisbury (a) é um exemplo clássico do estilo românico dentro da 
arquitetura medieval; 
 
c. Ambas pertencem ao estilo gótico da arquitetura medieval, devido ao uso de paredes 
grossas e pesadas; 
 
d. A Catedral de Espira é um exemplo do estilo românico da arquitetura medieval, 
enquanto a Catedral de Salisbury é um um exemplo do estilo gótico: tal diferença pode 
ser percebida no ´peso´ da primeira versus a 'leveza' da segunda; 
 
e. A principal característica da Catedral de Espira é uso do arco em ogiva, enquanto a 
Catedral de Salisbury mostra-se 'leve' pelo uso do arco de volta perfeita. 
 
Resposta: D 
 
5° exercício: 
Analise o texto de Giulio Carlo Argan, Brunelleschi em Clássico e Anticlássico, e 
escolha a alternativa correta: É igualmente claro que a vocação arquitetônica de 
Brunelleschi revelou-se justamente por ocasião do projeto da cúpula; e não há 
dúvida de que, na solução da questão da cúpula, o espírito novo se impõe sobre 
a tradição. Essa questão se concretiza numa longa controvérsia entre 
Brunelleschi e Ghiberti, uma controvérsia que não se limita à escolha dos 
procedimentos construtivos, mas tampouco investe diretamente no problema 
artístico. O que Filippo afirma e defende, pela primeira vez, é o 
“profissionalismo” do arquiteto contra o “magistério” genérico do artífice, a 
prioridade da invenção técnica em relação à perícia do ofício. Ghiberti apoia-se 
na experiência tradicional dos mestres de obras, na antiga solidariedade e 
colaboração do canteiro; Brunelleschi acha que deve fazer tudo sozinho, e que 
não pode utilizar operários senão para a execução material. São duas posturas 
que implicam duas avaliações opostas das condições concretas do sistema 
produtivo (ARGAN, 1999, p.94). 
 
a. O texto trata da amizade e do trabalho cooperativo que Lorenzo Ghiberti e Filippo 
Brunelleschi desenvolveram na cidade de Florença. 
 
b. O texto trata do declínio do espírito de comunidade artesã medieval lastreado nas 
corporações de ofício e coincide com o surgimento do arquiteto profissional. 
 
c. O texto trata da divergência profissional e artística entre Lorenzo Ghiberti e Filippo 
Brunelleschi sem maiores desdobramentos para a organização moderna da atuação 
profissional do arquiteto. 
 
d. O texto diz respeito ao concurso para confecção das portas do batistério realizado em 
1401, que entre vários escultores contou com a participação de Brunelleschi e Ghiberti. 
 
e. O texto mostra o embate entre tradição e renovação, especialmente aplicado às 
relações de trabalho. Ghiberti defende a renovação e a modernização do 
empreendimento construtivo. Brunelleschi é um tradicionalista que defende a 
organização corporativa das guildas medievais. 
 
Resposta: B 
 
6° Exercício: 
Abaixo, segue imagem da Vila Rotonda de Palladio. Analise as imagens e assinale 
a alternativa que faz a associação correta. 
 
I. A planta da Vila Rotonda é simétrica. 
II. Palladio é um arquiteto maneirista e tal fato, pode ser observado nas imagens, pois o 
mesmo usa elementos da arquitetura clássica, dispostos com certa liberdade. 
III. A planta centrada foi amplamente utilizada no renascimento e no gótico, pois 
acreditavam que o círculo representava o divino. 
 
 
 
a. As três afirmações estão corretas 
b. Apenas a afirmação III está correta. 
c. Apenas a afirmação II está correta. 
d. As afirmações I e II estão corretas. e. As afirmações II 
e. III estão corretas. 
 
Resposta: D

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.