A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AV1.2 - DIAGNÓSTICO PATOLÓGICO POR ANÁLISE DE IMAGEM

Pré-visualização | Página 1 de 1

1.NOME COMPLETO
2.MATRÍCULA
3.DESCREVA O ASPECTO ULTRASSONOGRÁFICO DAS ADRENAIS DOS CÃES NO HIPOADRENOCORTICISMO.
As adrenais são hipoecogênicas em relação à gordura abdominal, possuem contornos regulares, parênquima com ecotextura homogênea e dimensões menores que o normal, caracterizando em adrenais atrofiadas. Por estarem hipoplásicas, a visualização das adrenais pode ser dificultada no hipoadrenocorticismo. 
4.O PÂNCREAS É UM ÓRGÃO DIFÍCIL DE SER VISUALIZADO NA ULTRASSONOGRAFIA DE PEQUENOS ANIMAIS. EM CONDIÇÕES FISIOLÓGICAS NORMAIS, EM UM PACIENTE SADIO, DIGA O POR QUÊ DESTA DIFICULDADE DE VISUALIZAÇÃO.
O pâncreas é um órgão de pequena dimensão, com limites pouco definidos e com sua ecogenicidade bem similar ao mesentério e gordura presente ao redor. A ecogenicidade se torna muito semelhante às estruturas adjacentes levando a dificuldade na visualização. 
5.QUAIS AS IMPORTÂNCIAS DO EXAME ULTRASSONOGRÁFICO DO SISTEMA LOCOMOTOR DE EQUINOS?
É um exame diagnóstico muito importante para animais de salto e corrida, pois avalia tendões, ligamentos e bordas ósseas de forma precisa e não invasiva, auxiliando no prognóstico da lesão e acompanhamento da evolução do quadro clínico. Também pode auxiliar procedimentos ecodirigidos. 
6.DESCREVA O PASSO A PASSO DA TÉCNICA DE BIÓPSIA POR TRU CUT, GUIADA POR ULTRASSONOGRAFIA, REALIZADA PARA PUNCIONAR O FÍGADO DE UM CÃO DE 10KG DE PESO VIVO.
Solicita-se jejum alimentar de 12 horas para evitar a sobreposição do fígado ao estômago e o acúmulo de gases no trato gastrintestinal bem como avaliação prévia de possíveis alterações hemostáticas com histórico clínico, anamnese e hemograma. Realizar a tricotomia e antissepsia da região de inserção de agulha, que serve para minimizar o risco de complicações e visualização do fígado. É necessário proteger o transdutor com material estéril como um preservativo, usar EPI e que faça sedação ou anestesia, pois ocorre uma reação dolorosa intensa. A equipe e os materiais devem estar preparados e estéreis. 
Depois de toda preparação, posiciona-se animal em decúbito lateral ou dorsal, de modo a facilitar o acesso ao órgão. O fígado pode ser acessado tanto pela abordagem intercostal como pela subcostal. É importante localizar o alvo e estabelecer a rota mais curta entre o alvo e pele. Deve-se realizar pequena incisão sobre a pele com o uso de bisturi, por onde a agulha passará. Introduzir a agulha pela pele até a mesma atingir 1 cm do alvo, em seguida disparar o gatilho. Depois, retirar a agulha de modo lento, retirar a agulha da pistola e retirar o fragmento do tecido de dentro da agulha. Armazenar este fragmento em formol 10% e realizar um ponto (sutura) para aproximar a pele. Importante realizar um fast ultrassonográfico após a punção e observar se há indício e hemorragia ou ruptura de órgãos. Orientar o tutor que o paciente deve realizar repouso por 24 horas após a realização do exame e colocar gelo na pele para evitar hematoma. 
7.QUAIS AS INDICAÇÕES CLÍNICAS PARA A REALIZAÇÃO DE UM EXAME DE ENDOSCOPIA RESPIRATÓRIA E COM QUAL ENDOSCÓPIO CONSEGUIMOS AVALIAR A PORÇÃO CAUDAL/POSTERIOR DESTE SISTEMA?
As indicações são neoplasias como tumores nasais, corpos estranhos, estenose, pólipos nasais, sinusites e rinite; as infecções em rinopatias podem ser de origem micótica, bacteriana, parasitária, inflamatória ou alérgica como ocorre de forma secundária nas afecções dentais. O endoscópio utilizado é o endoscópio flexível.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.