A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Atividade 1 (A1) Gestão em Serviços de Saúde EAD20 FMU

Pré-visualização | Página 1 de 1

Pergunta 1 
10 em 10 pontos 
 
Prezado (a) Estudante, 
 
Bem-vindo (a) a atividade 1 da disciplina de Gestão em Serviços de 
Saúde. Ela corresponderá a sua primeira nota neste semestre. 
 
Vamos iniciar nossos estudos? 
 
Aprendemos no material disponível no Módulo 1 (sobretudo no texto: 
Sistemas de serviços de saúde — Quatro modelos básicos) que o 
sistema de saúde adotado por cada país no mundo é diferente. No 
Brasil temos o Sistema Único de Saúde (SUS) implementado na 
Constituição de 1988. 
 
- Com base no conteúdo estudado reflita e crie um texto 
dissertativo explicando como se caracteriza o modelo de saúde 
adotado no SUS comparando-o com os 4 modelos descritos no 
Módulo 1. 
 
Para ajudá-lo (a) leiam mais sobre o SUS na sessão ARTIGOS 
COMPLEMENTARES (barra de ferramentas lateral). 
 
 
 
Critérios de avaliação: 
 
Fique atento (a) à proposta da atividade e certifique-se de que tenha 
respondido todos os itens solicitados antes do envio da sua resposta, 
pois a ausência deles implicará em seu resultado final. Não se esqueça 
das regras gramaticais, das citações e referências, caso utilize ideias de 
outros autores, seguindo as normas da ABNT. Cópias parciais ou integrais 
de outros colegas, bem como da Internet, não serão consideradas. 
 
Bons estudos! 
 
Prof. Rodrigo 
 
 
 
 
Resp
osta 
Selec
iona
da: 
O Sistema único de Saúde (SUS), é propriedade do Ministério da 
Saúde, o qual seu financiamento provém exclusivamente dos impostos 
e contribuições destinados à seguridade social (saúde, previdência e 
assistência) sendo assim, uma propriedade do governo estando sob a 
responsabilidade federal, estadual e municipal. A definição como 
‘único’ se dá pela manutenção dos mesmos princípios por todo o 
território nacional. O SUS é norteado por três princípios básicos: 
1 - Universalidade: a saúde é concebida como direito de todo e 
qualquer cidadão e como um dever do Estado(..); 
2 - Equidade: as diferenças individuais (econômicas e sociais) não 
podem apresentar impedimentos para o consumo de bens e serviços 
de saúde (..); 
3 - Integralidade: o homem deve ser visto como um ser integral (..). 
A organização das unidades se dá por níveis de complexidade 
crescente, e o usufruto da população na rede de serviços é realizada 
através das unidades de nível mais elementar, ou seja, os Centros de 
Saúde e as Unidades de Emergência. Caso algum problema não 
possa ser resolvido no local, os pacientes devem ser encaminhados 
aos serviços de maior complexidade do sistema. Esta forma de 
organização, regionalizada e hierarquizada por nível de complexidade 
crescente, permite uma atenção maior aos problemas de saúde de 
cada região, o que favorece ações de vigilância sanitária e 
epidemiológica e a educação em saúde. 
 
O sistema não tem restrição e pode utilizado por toda a população 
brasileira, sem diferenciação entre os usuários, mesmo se o usuário 
possuir um plano de saúde privado, este ainda pode se beneficiar do 
uso do SUS, além do atendimento também às pessoas estrangeiras 
que estejam em território nacional e precisem de assistência médica. 
Quando comparado aos modelos de saúde internacionais, o modelo 
que mais se aproxima aos princípios e administração brasileira é o 
Beveridgiano. Este sistema foi aderido na Espanha, Grã-Bretanha, 
Nova Zelândia e Escandinávia. Como no Brasil, seu financiamento e 
proventos são por meio da recolha de impostos da população, no qual 
o cidadão não é cobrado por nenhum serviço após utilização nas 
instituições participantes do sistema de saúde, com acesso 
universalizado, sendo desta forma todos beneficiados 
 
Outros modelos adotados são: Modelo de Seguro de Saúde Nacional, 
o Bismackiano e o Modelo de Desembolso Direto, sendo aderidos 
cada qual em países diferentes. Ambos os sistemas diferem do modelo 
de sistema adotado no Brasil, por empregar em suas características a 
privatização do sistema de saúde. O Modelo de Seguro de Saúde 
nacional, é um sistema privatizado, porém com redução de valores 
para uma maior acessibilidade à toda população, já o Bismarckiano 
engloba somente trabalhadores que possuem uma folha de 
pagamento, na qual os valores direcionados a saúde serão 
descontados, deixando de fora a população desempregada, ou seja, 
 
não sendo um sistema universalizado, pois não há instituições públicas 
que atendam a todas as classes sociais. 
 
O modelo de Desembolso Direto é próximo dos descritos 
anteriormente, e bem mais distante do modelo adotado no Brasil, pois 
não há uma privatização dos sistemas, o sistema é baseado na 
hierarquia, ou seja, somente quem possui uma classe socioeconômica 
alta terá condições de arcar com os custos de um atendimento médico, 
enquanto, as pessoas mais pobres muitas vezes só se dispõem de um 
curandeiro, que muitas vezes não consegue ser efetivo no tratamento 
de alguma enfermidade, levando essas pessoas a continuarem 
doentes ou morrerem. 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
Sistema Único de Saúde (SUS) Disponível em: 
<https://www.saude.mg.gov.br/sus#:~:text=O%20modelo%20de%20ge
st%C3%A3o%20do,parceria%20entre%20os%20tr%C3%AAs%20poder
es. > 
Laerte A. Peres. Características do Sistema Único de Saúde (SUS). 
Disponível em: 
<http://www.hospvirt.org.br/enfermagem/port/cara_sus.html#:~:text=
O%20SUS%20%C3%A9%20definido%20como,como%20um%20dever%
20do%20Estado.> 
Material referencial da unidade. 
Resp
osta 
Corr
eta: 
[Nenhuma] 
Feed
back 
da 
resp
osta: 
Olá estudante, 
 
Parabéns pela participação nesta atividade. Continue se engajando mais para aprofundar 
os seus conhecimentos. 
 
Siga em frente e bons estudos! 
Tutoria Laureate.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.