Leitura Fundamental - Gestão de riscos em projetos
113 pág.

Leitura Fundamental - Gestão de riscos em projetos


DisciplinaAnálise e Desenvolvimento de Sistemas5.508 materiais26.200 seguidores
Pré-visualização21 páginas
GESTÃO DE RISCOS 
EM PROJETOS
W
BA
00
85
_v
2.
0
2018
Editora e Distribuidora Educacional S.A.
Avenida Paris, 675 \u2013 Parque Residencial João Piza
CEP: 86041-100 \u2014 Londrina \u2014 PR
e-mail: editora.educacional@kroton.com.br
Homepage: http://www.kroton.com.br/
Autoria
Prof. Valter Castelhano de Oliveira
Revisão 
Profa. Tayra Carolina Nascimento Aleixo
Como citar este documento
OLIVEIRA, Valter Castelhano de. Gestão de Riscos em Projetos. 
Londrina, PR: Editora e Distribuidora Educacional S.A., 2019.
© 2018 por Editora e Distribuidora Educacional S.A.
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação poderá ser 
reproduzida ou transmitida de qualquer modo ou por qualquer outro meio, eletrônico 
ou mecânico, incluindo fotocópia, gravação ou qualquer outro tipo de sistema de 
armazenamento e transmissão de informação, sem prévia autorização, por escrito, 
da Editora e Distribuidora Educacional S.A.
Gestão de Riscos em Projetos 3
SUMÁRIO
Apresentação da disciplina 04
Tema 01 \u2013 Concepção de riscos e incertezas 05
Tema 02 \u2013 Modelo de gestão de riscos 18
Tema 03 \u2013 Identificação de riscos 30
Tema 04 \u2013 Avaliação qualitativa de risco 42
Tema 05 \u2013 Avaliação quantitativa de riscos 55
Tema 06 \u2013 Planejamento de respostas aos riscos 69
Tema 07 \u2013 Controle de riscos 84
Tema 08 \u2013 Planejamento da gestão de riscos 97
GESTÃO DE RISCOS EM PROJETOS 
4 Gestão de Riscos em Projetos
Apresentação da disciplina
O principal objetivo desta disciplina é sensibilizar, motivar, instrumentar e 
capacitar os alunos sobre os conceitos e práticas associadas a gestão de 
riscos em projetos.
O tratamento da gestão de riscos em projetos começa a ser abordado 
nesta disciplina com o gerenciamento de projetos associados a riscos, a 
importância do planejamento de riscos e uma introdução à identificação 
dos riscos por meio da apresentação de conceitos teóricos, análise de ca-
sos e utilização de ferramentas, métodos e técnicas.
Em seguida serão abordadas as principais características de um gerente 
de risco, os conceitos associados à análise qualitativa e quantitativa dos 
riscos e a necessidade da priorização, sempre com exemplos e análise de 
casos reais.
Após a identificação e análise dos riscos do projeto, o próximo passo será 
tratar a importância da categorização e priorização dos riscos e a necessi-
dade de planejamento e elaboração de respostas aos riscos identificados, 
analisados e priorizados.
Finalmente, para encerrar a disciplina, será tratada a importância do con-
trole dos riscos durante a execução do projeto, os processos de controle e 
monitoramento de riscos em projetos e os conceitos associados à medida 
de desempenho de projetos baseada em valor agregado.
5 Gestão de Riscos em Projetos
TEMA 01
CONCEPÇÃO DE RISCOS E INCERTEZAS
Objetivos
\u2022 Apresentar os conceitos de incertezas e riscos, levan-
do-se em conta os projetos. 
\u2022 Apresentação dos conceitos de gerenciamento de pro-
jeto associados a riscos.
\u2022 Compreender a importância do planejamento de 
riscos.
6 Gestão de Riscos em Projetos
Introdução
A palavra confiança pode ser utilizada em diversas situações e com os 
mais variados sentidos. Na frase \u201ctenho confiança no que faço\u201d, temos o 
sentido de segurança íntima de procedimento, ou na frase \u201cpelo passado 
dele podemos ter confiança em sua palavra\u201d, denota-se o juízo que se faz 
de pessoas honestas. Quando utilizamos a frase \u201ccremos com confiança 
no futuro de nosso povo\u201d, o sentido passa a ser de certeza de uma es-
perança e popularmente indica o sentido de atrevimento, como na frase 
\u201cmuito folgado, tomava confiança com todas as garotas\u201d. 
Mas, a palavra confiança pode ser substituída por confiabilidade quando 
utilizada no meio tecnológico e científico, indicando o estado ou condição 
de ser confiável, tornando-se crucial, pois ocorrências de falhas podem 
trazer grandes perdas para pessoas e organizações (LEOMAN, 2003).
Os riscos de ocorrência de falhas devem ser considerados em todos os 
estágios do ciclo de vida de um sistema, considerando a concepção, im-
plantação e operação do sistema. A confiabilidade de um sistema está 
associada ao tempo que esse sistema funcionará, cumprindo a missão 
para a qual foi projetado, sendo expressa por uma probabilidade ou por-
centagem indicando sua disponibilidade de trabalhar, ou permanecer em 
funcionamento, sem ocorrência de falhas (LEOMAM, 2003).
ASSIMILE
Um sistema é uma coleção significativa de componentes in-
ter-relacionados, que trabalham em conjunto para atingir al-
gum objetivo. A Teoria Geral dos Sistemas teve origem nos 
trabalhos do biólogo austríaco Ludwig Von Bertalanffy nasci-
do em 1901.
Gestão de Riscos em Projetos 7
1. Risco e incerteza
Se tomarmos explicitamente a definição de risco fornecida pelo dicionário 
Aurélio \u201cPerigo ou possibilidade de perigo\u201d, tomaremos apenas o lado ne-
gativo e, comumente, utilizado para o tratamento de risco em nossas vidas. 
Na realidade, a gestão de riscos envolve os processos necessários a iden-
tificar, analisar e responder aos riscos de um projeto, tratando não só de 
minimizar as consequências de eventos negativos, como também de ma-
ximizar os resultados de eventos positivos (PMI, 2017). Ou ainda, de acor-
do com Joia et al. (2013), o gerenciamento de risco deve tratar o processo 
de tomada de decisão em situações complexas e dinâmicas.
Risco e incerteza caracterizam situações onde há chance de ocorrer des-
vios do resultado esperado ou planejado. Podemos distinguir riscos e in-
certezas do seguinte modo (JOIA et AL, 2013; PMI, 2017):
\u2022 Riscos: situações prováveis de desvio do planejado, em que se con-
segue prever o resultado e associar a ele uma probabilidade de 
ocorrência estimada. Envolve resultados quantificáveis que podem 
ser associados a probabilidades de ocorrência:
\u2022 Ameaça: representa a possibilidade de perdas, danos ou resul-
tados aquém dos esperados.
\u2022 Oportunidade: representa a possibilidade de ganhos e resul-
tados além dos esperados.
LINK
Projeto é um empreendimento temporário com o objetivo de 
criar um produto ou serviço único (PMI, 2017). O site brasileiro 
do PMI - Project Management Institute oferece um Centro de 
Conhecimento com diversos textos sobre projetos. Disponível 
em: <https://brasil.pmi.org/>. Acesso em: 17 dez. 2018.
8 Gestão de Riscos em Projetos
\u2022 Incertezas: situações prováveis de desvio do planejado, em que não 
se consegue prever o resultado e nem estimar sua probabilidade 
de ocorrência. Envolve resultados não quantificáveis, imprevisíveis 
e imponderáveis.
As organizações utilizam projetos como instrumento para atingir os obje-
tivos pertencentes ao plano estratégico e que não poderiam ser alcança-
dos dentro da operação normal da organização (KEELING, 2014). Algumas 
das razões que podem levar à criação de projetos nas organizações, são: 
demanda de mercado, mudança de processos organizacionais, atendi-
mento a uma necessidade da organização, atendimento a um requisito 
legal, solicitação de um cliente e avanço tecnológico.
PARA SABER MAIS
Vídeo informativo sobre o PMI \u2013 Project Management Institute 
(www.pmi.org) e gerenciamento de projetos. IV Seminário 
Gerenciamento de Projetos PMI-RS. Disponível em: <http://
www.youtube.com/watch?v=r10p7f1a_jE&feature=related>. 
Acesso em: 30 nov. 2018.
De acordo com o PMI (2017), estima-se que 10 trilhões de dólares sejam 
gastos anualmente no mundo em projetos, o que equivale a aproximada-
mente 25% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial, e que cerca de 16,5 
milhões de pessoas estão envolvidas diretamente em gerenciamento de 
projetos no mundo. 
Este fato fornece uma dimensão da importância em estudar projetos e 
como conseguir que o projeto seja executado com sucesso, o que nos