Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS 2014
116 pág.

Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS 2014


DisciplinaProjeto de Eta3 materiais31 seguidores
Pré-visualização36 páginas
MANUAL DE CONTROLE 
DA QUALIDADE DA ÁGUA 
PARA TÉCNICOS QUE 
TRABALHAM EM ETAS
FUNASA
FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE
Missão
Promover a saúde pública e a inclusão 
social por meio de ações de saneamento e 
saúde ambiental.
Visão de Futuro
Até 2030, a Funasa, integrante do SUS, 
será uma instituição de referência nacional 
e internacional nas ações de saneamento e 
saúde ambiental, contribuindo com as metas 
de universalização de saneamento no Brasil.
Valores
\u2022 Ética;
\u2022 Eqüidade;
\u2022 Transparência;
\u2022 Eficiência, Eficácia e Efetividade;
\u2022 Valorização dos servidores;
\u2022 Compromisso socioambiental. Manual de Controle da Qualidade da Água para Técnicos que Trabalham
 em
 ETAS
Brasília, 2014
 Manual de Controle da Qualidade da Água para 
Técnicos que Trabalham em ETAS
Fundação Nacional de Saúde
Esta obra é disponibilizada nos termos da Licença Creative Commons \u2013 Atribuição 
\u2013 Não Comercial \u2013 Compartilhamento pela mesma licença 4.0 Internacional. 
É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte.
A coleção institucional do Ministério da Saúde pode ser acessada, na íntegra, na Biblioteca 
Virtual em Saúde do Ministério da Saúde: <www.saude.gov.br/bvs>.
Tiragem: 1ª edição \u2013 2014 \u2013 5.000 exemplares
Elaboração, distribuição e informações: 
MINISTÉRIO DA SAÚDE 
Fundação Nacional de Saúde 
Departamento de Saúde Ambiental (Desam) 
Coordenação de Controle da Qualidade da Água para Consumo Humano (Cocag) 
SAS Quadra 4, Bloco N, 9º andar, Ala Sul 
CEP: 70.070-040 \u2013 Brasília/DF 
Tel.: (61) 3314-6670 
Home page: http://www.funasa.gov.br
Produção: 
Osman de Oliveira Lira (URCQA/PE)
Colaboração: 
Giulliari Alan da Silva Tavares de Lira (Consultor OPAS/Doutor em Botânica) 
Alba de Oliveira Lemos \u2013 URCQA/PE (Doutora em Biologia Vegetal)
Revisão técnica: 
Antonio Carlo Batalini Brandão (COCAG/DESAM/Funasa)
Editor: 
Coordenação de Comunicação Social (Coesc/Gab/Presi/Funasa/MS) 
Divisão de Editoração e Mídias de Rede (Diedi) 
Setor de Autarquias Sul, Quadra 4, Bl. N, 2º andar, Ala Norte 
CEP: 70.070-040 \u2013 Brasília/DF
Impresso no Brasil / Printed in Brazil
Ficha Catalográfica
__________________________________________________________________________
Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. 
 Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS / 
Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde. \u2013 Brasília : Funasa, 2014. 
 112 p.
 1. Controle da qualidade da água. 2. AspectosTécnicos. I. Título.
CDU 628.1 __________________________________________________________________________
Sumário
Apresentação 5
1 Água e meio ambiente 7
1.1 Meio ambiente 7
1.2 Água 8
1.3 Características da água 11
1.4 Distribuição da água 30
1.5 Ciclo hidrológico 33
1.6 Fontes de poluição de recursos hídricos 34
1.7 Fatores importantes na preservação e proteção de mananciais 35
1.8 Doenças relacionadas à água 39
2 Cianobactérias 45
2.1 Introdução 45
2.2 Habitat das cianobactérias 46
2.3 Florações das cianobactérias 46
2.4 Toxinas das cianobactérias 48
3 Tratamento da água 49
3.1 Introdução 49
3.2 Sistema de abastecimento de água 50
3.3 Manancial 50
3.4 Captação 52
3.5 Adução 54
3.6 Tratabilidade e potabilização da água 55
3.7 Correção de pH 65
3.8 Fluoretação 66
3.9 Tratamentos não convencionais 72
3.10 Biossegurança na ETA e laboratório 73
4 Análises de amostras de água 85
4.1 Coletas de amostras de água 85
4.2 Análises físico-químicas 89
4.3 Análises macrobiológicas 105
Referências Bibliográficas 111
Apresentação
A presente publicação, intitulada \u201cManual de Controle da Qualidade da Água para 
Técnicos que Trabalham em ETAS\u201d, foi elaborada de forma a cooperar com o fomento 
e o apoio técnico ao controle da qualidade da água para consumo humano junto às es-
tações de tratamento de água, além de suas dificuldades técnicas e operacionais, como 
uma das principais ações de saúde ambiental desenvolvidas pela Fundação Nacional de 
Saúde (Funasa).
Estas ações integram o Apoio ao Controle da Qualidade da Água para Consumo 
Humano (ACQA), que é coordenado pelo Departamento de Saúde Ambiental (Desam), 
e priorizam os municípios com dificuldade na implementação da Portaria do MS nº. 
2.914/2011. Esta Portaria, também conhecida como a Portaria da Potabilidade da Água, 
dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para 
consumo humano e seu padrão de potabilidade estabelecendo, para a Funasa, a compe-
tência para apoiar as ações de controle da qualidade da água para consumo humano em 
sistema ou solução alternativa de abastecimento de água.
Corroborativamente, a Portaria Funasa nº. 190/2014 ordena sobre o ACQA como 
um conjunto de ações exercidas pelas Unidades Regionais de Controle da Qualidade da 
Água (URCQA), instaladas nas Superintendências da Funasa junto aos Estados, podendo 
ser traduzidas como análise laboratorial, visita e orientação técnica, capacitação, suporte 
técnico, orientação acerca das alternativas e tecnologias apropriadas ao tratamento e 
análise de água para consumo humano, inclusive em áreas de interesse do Governo 
Federal, tais como: comunidades quilombolas, reservas extrativistas, assentamentos rurais 
e populações ribeirinhas.
1 Água e meio ambiente
1.1 Meio ambiente
O meio ambiente é o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem 
física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas. 
Resumidamente, pode-se definir meio ambiente como o conjunto de elementos bióticos 
(organismos vivos) e abióticos (elementos não vivos, como a energia solar, o solo, a água 
e o ar) que integram a fina camada da Terra chamada biosfera, sustentáculo e lar dos 
seres vivos. 
A atmosfera, que protege a Terra do excesso de radiações ultravioleta e permite a 
existência de vida, é uma mistura gasosa de nitrogênio, oxigênio, hidrogênio, dióxido de 
carbono, vapor de água, entre outros elementos, compostos e partículas de pó. Aquecida pelo 
sol e pela energia radiante da Terra, a atmosfera circula em torno do planeta e modifica as 
diferenças térmicas. As perspectivas de futuro, no que se refere ao meio ambiente, são pouco 
claras, ainda que o interesse e a preocupação pelo assunto sejam atualmente importantes.
Com a revolução industrial, o homem começou realmente a transformar a face do 
planeta, a natureza de sua atmosfera e a qualidade de sua água. Hoje, o rápido crescimen-
to da população humana criou uma demanda sem precedentes que o desenvolvimento 
tecnológico pretende satisfazer, submetendo o meio ambiente a uma agressão que está 
provocando o declínio, cada vez mais acelerado, de sua qualidade e de sua capacidade 
para sustentar a vida. Um dos impactos que o uso dos combustíveis fósseis tem produzido 
sobre o meio ambiente terrestre é o aumento da concentração de dióxido de carbono 
(CO2) na atmosfera, dando lugar, por sua vez, a um aumento da temperatura global da 
Terra. Outros males relevantes causados pelo ser humano ao meio ambiente são os usos 
de pesticidas que contaminam regiões agrícolas e interferem no metabolismo do cálcio 
das aves; a erosão do solo, que está degradando de 20 a 35 % das terras de cultivos de 
todo o mundo; a perda das terras virgens; o crescente problema mundial do abastecimento 
de água, como consequência do esgotamento dos aquíferos subterrâneos, assim como 
pela queda na qualidade e disponibilidade da água e a destruição da camada de ozônio, 
entre outros. 
Fundação Nacional de Saúde 8 
Os impactos ambientais, sociais e econômicos da 
degradação da qualidade das águas se traduzem, entre 
outros, na perda da biodiversidade, no aumento de 
doenças de veiculação hídrica, no aumento do custo 
de tratamento das águas destinadas ao abastecimento 
doméstico e ao uso industrial, na perda de produtivida-