A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Neoplasias benignas de tecidos moles da cavidade oral - Patologia Oral

Pré-visualização | Página 1 de 2

Neoplasias Benignas e de Tecidos Moles
Tumores benignos da cavidade oral 
São clinicamente aumentos de volume, podem se apresentar como lesões nodulares ou aumento de volumes nodulares ou tumorais. Tumores benignos inclui aquilo que é reativo e aquilo que não é, que pode ser neoplásico. 
· Assintomáticas 
· Normalmente firme a apalpação 
· Normocrômica (ou no caso das lesões vasculares, arroxeadas ou em alguns casos se for muito traumatizada pode apresentar hiperceratose)
· As células são bem diferenciadas podendo ser indistinguíveis das células normais.
· Não infiltram tecidos vizinhos e formam uma massa normalmente encapsulada 
· Crescimento lento
Lesões nodulares 
Nódulos são crescimentos pequenos, limitados a 1 cm de diâmetro por 1 cm de altura, mais do que isso já é tumor. Tantos os tumores quanto os nódulos podem ser classificados quanto a inserção.
São lesões sólidas, circunscritas, de localização superficial ou profunda, maiores de 5mm. Formados por tecido epitelial, conjuntivo ou misto.
•Inserção:
 - Pediculadas: quando seu maior diâmetro é superior ao da base de implantação.
 - Séssil: quando o da base é maior.
Aumentos papilares do epitélio 
•	Superfície papilar ou verrucosa 
•	Normocrômica “ou meio esbranquiçada dependendo do atrito, pode ter uma hiperceratose, pela ação de algum agente, seja ele biológico ou físico estimulando o crescimento da camada córnea”
•	Solitária ou múltiplas 
•	Crescimento lento (meses ou anos )
•	Progressiva ou estática 
•	Sem manifestação sistêmica
Papiloma Escamoso
Proliferação benigna do epitélio escamoso estratificado – tumor benigno
Etiologia: HPV 2,6,11 e 57
Localização: borda de língua, palato, úvula, qualquer lugar da mucosa oral.
Microscopia: epitélio hiperplásico (acantose) hiperceratose e ilhas de tecido conjuntivo aprisionadas no interior dessas projeções as quais apresentam aspectos de dos de proliferação de epitélio escamosos estratificado, suportado por uma área central fina de tecido conjuntivo vascular.
	Macroscopia: projeções exofiticas (digitiformes), pediculadas e filiformes comaspecto de couve flor, usualmente acomete pessoas na fase dos 30 anos
	Tratamento Diagnóstico: imuno histoquímica positiva para anti HPV 2, diagnóstico por clinico e biopsia; realiza se escisão. 
	Diagnóstico Dif: condiloma aculminado 
Verruga Vulgar
Hiperplasia focal benigna de epitélio escamoso estratificado
Etiologia: HPV 2,4,6 e 40; autoinoculação
	Localização: pele, mãos, língua, lábios, e palato mole
	Microscopia: proliferação de um epitélio estratificado escamosos hiperceratotico disposto em projeções digitiformes ou pontudas com centros de tecido conjuntivo
	Macroscopia: nódulos pequenos sesseis, projeções mais grosseiras que no papiloma escamoso
	Tratamento: excisão cirúrgica 
	
Condiloma Acuminado
Etiologia: HPV 16, 18, 6 e 11; IST; incubação de 1-3m
	Localização: Genitália, região perianal, boca e laringe; Cavidade bucal: lábio, palato mole e freio lingual
	Microscopia: epitélio acantotico formando uma projeção embotada, as células espinhosas muitas vezes mostram núcleos picnóticos circundados por zonas claras - coilocitos 
	Macroscopia: sessil (diferença do escamoso) Projeções acantose é mais grosseira e a camada córnea não é tão espessa como a verruga vulgar e também a camada granulosa não é tão proeminente, mas é séssil” dano citotóxico do vírus é a picnose nuclear com citoplasma claro na região da camada espinhosa mais superficial”; papilomatosas superficiais curtas – semelhantes a couve flor
	Tratamento: excisão cirúrgica convencional 
	Diagnóstico Dif: papiloma escamoso 
Fibroma
Etiologia: associada a trauma,.
	Localização: qualquer parte da boca
	Microscopia: epitélio mais delgado, lâmina própria densamente colagenisada, não vê atipia, todas as células são normais, mesmo que numerosas e volumosas; lamina própria mais densa e rica em fibras, vê certa delimitação Massa nodular exofítica de tecido conjuntivo fibroso com marcada proliferação fibroblástica O exame microscópico do fibroma de irritação revela um aumento de volume nodular de tecido conjuntivo fibroso, recoberto por epitélio escamoso estratificado 
	Macroscopia: Natureza conjuntiva originário da proliferação de fibroblastos, intimamente relacionado a hiperplasia fibrosa sendo muitas vezes indistiguiveis desta, esta tem componente inflamatório, fibroma tem boa delimitação sem resposta inflamatória. Lesão nodular, coloração normal, superfície lisa ou ulcerada, tamanho variável, inserção: pediculada ou séssil
	Tratamento: excisão cirúrgica e remoção do agente traumatico
	Diagnóstico Dif:
“o fibroma verdadeiro originado da proliferação de fibroblastos. O oral é muito raro, porem pode acontecer. Diferencia-se da hiperplasia traumática pelo epitélio se há presença de infiltrado inflamatório”“fibrosarcoma lesão maligna”
Hemangioma
Etiologia: neoplasia benigna caracterizada pela proliferação de vasos sanguíneos que se apresentam de inicio como brotos endoteliais sólidos e posteriormente formam capilares ou espaços maiores denominados cavernosos
Hemartoma x Hemangioma- tumores mais comuns na infância, 8ª sem, crescimento rápido, 90%regridem aos 9 a, 20%apresentam complicações como ulcerações 
Etiologia: tumor vascular formando múltiplos vasos sanguíneos capilares bem formados permeados por conjuntivo denso
	Localização: 
	Microscopia: 
			Hemangioma celular proliferação de massas solidas de células endoteliais
Hemangioma cavernoso proliferação de células endoteliais formando capilares ou espaços cavernosos
Hemangioma capilar tumor vascular formando múltiplos vasos sanguíneos capilares bem formados 
Sindrome de Sturge Weber (angiomatose encéfalo Trigeminal) combinação de lesões hemangiomatosas da face (manchas vinho do porto) sobre um ou mais ramos do trigêmeo, persistência de plexo vascular ao redor da porção cefálica do tubo neural, epilepsia e retardo mental.
Sidrome de Rendu Osler Weber- doença autossômica dominante (mutação no cromossomo 9) hemartomas vasculares (pele e mucosas) pápulas avermelhadas espalhadas , epistaxe nasal, tratamento crioterapia e eletrocauterior
	Macroscopia: 
	Tratamento:
	Diagnóstico Dif: Granuloma piogênico se for encontrada inflamação, ou se houver presença de ulcera, bactéria e ou inflamação (ambos tem mesmo tratamento e prognóstico)
Linfangioma
Etiologia: hamartoma dos vasos linfáticos, má formação do desenvolvimento (sequestro de tecido linfático)
Pode ser SIMPLES (capilar- pequenos vasos) CAVERNOSO (vasos linfáticos grandes e dilatados) CISTICO (higroma cístico- espaços císticos microscópicos)
	Localização: cabeça e pescoço (2/3 ant da língua) 
	Microscopia: proliferação de vasos linfáticos subepitelial de vários tamanhos endotélio fino, hemorragia secundaria. 
	Macroscopia: macroglossia, múltiplas vesículas em superfície de 2/3 anteriores da língua, em algumas situações comprometem o pescoço podendo se estender pra cima 
	Tratamento: excisão cirúrgica 
	Diagnóstico Dif:
Tumores de nervos perifericos
Etiologia: a maioria se origina em conexão com a bainha do nervo, são os neurofibromas e os neurilemomas, as de origem traumática são chamados neuroma traumático.
	penfi
	Neurilemoma ou Schwannoma term origem das células de schwann, é encapsulado de crescimento lento, assintomático, localizado na língua, palato mole e mucosa julgal, não tem associação com trauma por isso é uma neoplasia verdadeira, faz DD com qualquer neoplasia de origem mesenquimal submucosa, clinicamente vê se nódulo normocromico, pediculado, séssil. DD com fibroma Ossificante periférico. 
	Tem dois padrões histológicos:
		Antoni A- feixes de células fusiformes de Schawnn, arranjo paliçado, área eosinofilica central acelular ( corpos de verocay )
		Antoni B- menos celular e menos organizado, células arranjadas ao acaso, estroma mixomatoso frouxo;
	Neurofibroma tem origem de uma mistura de células, incluindo células de schwann e fibroflastos perineurais, comum em adultos jovens, tem crescimento lento, mais comuns na pele e cavidade oral (língua e mucosa). Histologicamente ve se fibras