A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Atividade Avaliativa Especial - Prova 2

Pré-visualização | Página 1 de 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA GRANDE DOURADOS
Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS
Semestre: 7º 
Disciplina: DIREITO APLICADO III
ATIVIDADE AVALIATIVA ESPECIAL (AAE) 1 - referente as aulas 5 a 8
Professor: JAIR VANDERLEI KREWER
ATENÇÃO:
· A questão dissertativa deve ser respondida logo após a pergunta e as questões objetivas devem ser assinaladas de forma inequívoca, sob pena de não serem consideradas.
· A questão 1 vale 2,0 (dois) pontos e as demais questões valem 1,0 (um) ponto cada. 
1. Cláudio é motorista de ônibus da Viação Ponto a Ponto Ltda. desde 20/03/2018. Nos últimos 3 meses, Cláudio, descumprindo deliberadamente cláusula específica do seu contrato de trabalho, passou a dirigir em alta velocidade, bem como a não respeitar sinais vermelhos, o que acarretou numerosas multas por infrações de trânsito. Cláudio foi notificado pela autoridade competente de que perdera a habilitação para dirigir veículos. A empresa consultou você, chefe do RH, sobre a medida que deveria adotar em relação ao contrato de Cláudio, considerando que não tem interesse em mantê-lo como empregado. Nessa situação, qual a orientação jurídica que você daria? Fundamente. 
Deverá ser recomendada a dispensa por justa causa, na forma do Art. 482, letra m ou h da CLT.
2. João celebrou contrato de experiência de 60 dias com a empresa SOL sem cláusula assecuratória do direito recíproco de rescisão. Durante o referido contrato, João, insatisfeito com suas tarefas diárias, requereu a rescisão antecipada deste contrato. Neste caso, considerando que não há justa causa presente na rescisão, de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, João
a. será obrigado a indenizar a empresa SOL dos prejuízos decorrentes desta rescisão, limitados a 80% da remuneração que João teria direito até o termino do contrato.
b. será obrigado a indenizar a empresa SOL dos prejuízos decorrentes desta rescisão, limitados à remuneração total a que João teria direito até o término do contrato.
c. não terá que indenizar a empresa SOL, tendo em vista que a rescisão antecipada a requerimento do empregado é permitida pela legislação competente.
d. será obrigado a indenizar a empresa SOL no montante fixo e estipulado pela Consolidação das Leis do Trabalho de três salários mínimos vigentes na data da rescisão.
e. será obrigado a indenizar a empresa SOL dos prejuízos decorrentes desta rescisão, limitados à metade da remuneração a que João teria direito até o término do contrato.
3. Luiz trabalha na empresa X das 22:00 às 5:00 horas, sendo que, às vezes, estende a sua jornada de trabalho até às 8 horas; não possui qualquer acordo de compensação de horas laboradas. Tendo em vista que Luiz cumpre jornada de trabalho noturna, tem diversos direitos trabalhistas, dentre eles
a. o pagamento de adicional noturno não inferior a 20% sobre a hora diurna, sendo que este adicional integra a base de cálculo das horas extras prestadas no período noturno.
b. a hora do trabalho noturno reduzida e computada como de 50 minutos e 30 segundos.
c. o pagamento de adicional noturno não inferior a 30% sobre a hora diurna, sendo que este adicional integra a base de cálculo das horas extras prestadas no período noturno.
d. a hora do trabalho noturno reduzida e computada como de 55 minutos e 15 segundos.
e. o pagamento de adicional noturno não inferior a 30% sobre a hora diurna, sendo que este adicional não integrará a base de cálculo das horas extras prestadas no período noturno.
4. Valdo é empregado da escola de línguas estrangeiras “Good Luck” exercendo a função de auxiliar administrativo no departamento da tesouraria. A empregadora, além de pagar o salário mensal de Valdo, oferece, ainda, para o seu empregado curso de inglês completo, compreendendo nesta utilidade a matrícula, as mensalidades, os livros e materiais didáticos, bem como o transporte destinado ao deslocamento para o trabalho e retorno. Segundo a Consolidação das Leis do Trabalho, no caso específico de Valdo, 
a. as utilidades oferecidas pela empresa possuem natureza salarial, integrando a sua remuneração para todos os efeitos. 
b. as utilidades oferecidas pela empresa não possuem natureza salarial, não integrando a sua remuneração. 
c. somente o transporte destinado ao deslocamento para o trabalho e retorno não possui natureza salarial, não integrando a sua remuneração. 
d. o curso de inglês, compreendendo a matrícula, as mensalidades e os livros e materiais didáticos, constituirão salário utilidade se forem oferecidos pelo prazo mínimo de 2 anos consecutivos. 
e. o curso de inglês, excluindo-se os livros e materiais didáticos, constituirá salário utilidade se for oferecido pelo prazo mínimo de 2 anos consecutivos.
5. Vênus ausentou-se dos serviços por mais de 30 dias consecutivos, sem enviar qualquer comunicação para seu empregador justificando o motivo de suas faltas. Foram enviados três e-mails e três telegramas para que Vênus retornasse ao serviço ou justificasse a sua ausência. Nessa situação, fica caracterizada a justa causa para rescisão do contrato pelo empregador na modalidade 
a. incontinência de conduta.
b. desídia.
c. insubordinação.
d. indisciplina.
e. abandono de emprego.
6. Caracteriza-se como falta grave praticada pelo empregador, levando à rescisão indireta do contrato de trabalho:
a. ato de improbidade.
b. não cumprir as obrigações do contrato.
c. incontinência de conduta.
d. mau procedimento.
e. embriaguez habitual.
7. Maria trabalha há quatro meses na Clínica Médica Celta, exercendo as funções de secretária-recepcionista. Durante esse período, a empregada faltou por 25 dias alternados, sem apresentar justificativa legal para estas ausências. Nos dias em que compareceu ao trabalho, Maria frequentemente chegou com alguns minutos de atraso, bem como se esqueceu de agendar duas consultas, sofrendo advertências verbais e por escrito, além de duas suspensões. Nesta situação, a atitude da empregada enseja a rescisão do contrato por justa causa por 
a. abandono de emprego.
b. ato de insubordinação.
c. ato de indisciplina.
d. ato de improbidade.
e. desídia no desempenho das funções.
8. A estabilidade destinada à gestante não inviabiliza a despedida da empregada, desde que:
a. haja a devida apuração do ato faltoso grave mediante inquérito judicial para apuração de falta grave.
b. a empregada incorra em algum ato faltoso grave previsto na Consolidação das Leis do Trabalho.
c. haja a devida apuração do ato faltoso grave mediante inquérito administrativo, em que seja permitido o amplo direito de defesa da empregada.
d. o estado gestacional não seja de conhecimento do empregador.
e. se trate de contrato por prazo determinado.
9. O direito de reclamar contra o não-recolhimento da contribuição para o FGTS, prescreve em: 
a. 3 (três) anos, observado o prazo de 2 (dois) anos após o término do contrato de trabalho.
b. 5 (cinco) anos, observado o prazo de 2 (dois) anos após o término do contrato de trabalho.
c. 10 (dez) anos, observado o prazo de 2 (dois) anos após o término do contrato de trabalho.
d. 15 (quinze) anos, observado o prazo de 2 (dois) anos após o término do contrato de trabalho.
e. 30 (trinta) anos, observado o prazo de 2 (dois) anos após o término do contrato de trabalho.