A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
ASSISTÊNCIA-DE-ENFERMAGEM-AO-PACIENTE-QUEIMADO (1)

Pré-visualização | Página 1 de 10

1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
SUMÁRIO 
1 CONTEXTUALIZANDO AS QUEIMADURAS .................................... 3 
2 QUEIMADURAS ................................................................................ 5 
2.1 Etiologia das queimaduras .......................................................... 7 
2.2 Classificação das queimaduras ................................................. 10 
3 AVALIAÇÃO E CONDUTAS GERAIS À VÍTIMAS DE QUEIMADURAS
 18 
3.1 Avaliação ................................................................................... 19 
3.2 Classificação de pequeno, médio e grande queimado, de acordo 
com o grau da queimadura e a superfície corporal atingida ......................... 22 
3.3 Condutas para cada tipo de queimadura: .................................. 24 
3.4 Complicações decorrentes de queimaduras ............................. 27 
4 ASSISTÊNCIA E CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE 
COM QUEIMADURAS. .................................................................................... 30 
4.1 Tratamento Imediato de Emergência (pré-hospitalar) ............... 30 
4.2 Primeira fase ............................................................................. 31 
4.3 Segunda fase ............................................................................ 37 
4.4 Terceira fase ............................................................................. 43 
5 SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM ........... 47 
6 HUMANIZAÇÃO NO CUIDADO DO PACIENTE EM UNIDADE DE 
TRATAMENTO DE QUEIMADURAS - UTQ ................................................... 50 
7 CUIDADOS DE ENFERMAGEM NOS PROCESSOS DOLOROSOS E 
ATENDIMENTO PSICOLÓGICO ..................................................................... 51 
BIBLIOGRAFIA ...................................................................................... 53 
 
 
 
 
 
3 
 
1 CONTEXTUALIZANDO AS QUEIMADURAS 
 
Fonte: fabiosa.com.br 
As queimaduras são definidas como injurias decorrentes de trauma por 
origem térmica, a partir da exposição ao frio, a líquidos e superfícies quentes, 
chamas, substâncias químicas, radiação, atrito ou fricção. Estes resultados 
podem ocorrer através da ação direta ou indireta do agente causador sobre o 
organismo (BICHO; PIRES, 2002; ASSIS, 2010). O tipo de queimadura depende 
do grau de comprometimento do tecido, além da exposição ao agente agressor. 
Desta forma, a pessoa vítima desse tipo de acidente pode vir a óbito, ou ficar 
com sequelas irreversíveis, além do grande sofrimento físico e psicológico 
(ASSIS, 2010). 
 Por se tratar de um trauma de grande complexidade e requerer 
tratamento eficaz e imediato, muitos destes acidentes apresentam alta taxa de 
morbidade e mortalidade em todo o mundo, com grande frequência entre as 
crianças, na sua maioria das vezes em ambientes domésticos (ROSSI et al., 
1998, 2003 e 2010). As crianças apresentam maior risco, ao acidente, devido a 
curiosidade, impulsividade e falta de experiência em avaliar os perigos 
(DALANEZE, 1996; HARADA et al., 2000; DRAGP, 2005). Pesquisas também 
revelaram que o baixo nível sócio econômico favorece para o problema em 
questão (DELGADO et al., 2002). 
 
4 
 
 As características mais comuns aos pacientes que sofreram algum tipo de 
queimadura têm como fator principal, a intensa dor e grande impacto emocional, 
sendo, estes, alguns dos fatores que interferem em sua recuperação. É 
necessário conhecer o tipo da queimadura que estará sendo analisada, pois é 
um fator crucial nas medidas e intervenções terapêuticas que serão adotadas, 
direcionando os cuidados do enfermeiro e da equipe de saúde, assegurando, 
assim, melhora e evolução no quadro clínico do paciente (VALE, 2005; GRECO 
et al., 2007). 
 
 
Fonte: portalenf.com 
 
Dependendo de sua extensão e profundidade, a lesão causada pode 
comprometer vários tipos de distúrbios físicos, como, por exemplo, perda de 
volume líquido, mudanças metabólicas, deformidades corporais e risco de 
infecção, Greco et al. (2007), adicionados a complicações advindas da 
queimadura, que podem ocasionar maiores complicações no estado de saúde 
do paciente. 
Além do comprometimento físico decorrente ao acidente de causa 
térmica, o paciente mostra-se, geralmente, muito abalado, até mesmo em estado 
de choque. No momento em que o paciente é acolhido em uma unidade de 
emergência, a assistência de enfermagem, nesse momento, se torna 
fundamental no tratamento do paciente, tendo como objetivo necessário que 
este receba um tratamento imediato e eficaz (GRAGNANI; FERREIRA, 2009; 
ASSIS, 2010). O cuidado prestado pelo enfermeiro não pode apenas focar-se 
 
5 
 
em metodologias hospitalares, requer também, uma abordagem mais ampla, 
não olhando apenas o indivíduo, mas também seus familiares. Através deste 
ideal, se permite estabelecer intervenções direcionadas ao paciente e sua 
família, a fim de obter resultados positivos na tentativa de lhes preservar a vida 
(COELHO; ARAÚJO, 2010) 
2 QUEIMADURAS 
 Fonte: palotinapress.com.br 
 
Entende-se por queimaduras, lesões dos tecidos orgânicos produzidas 
por trauma de origem térmica e por várias outras etiologias como radiações, 
química e congeladuras. O que vai influenciar na gravidade do ferimento é a 
profundidade da queimadura, ou seja, o número de camadas da pele e do tecido 
subjacente, ou outras estruturas abaixo da pele, que foram atingidos. 
Avalia-se que no Brasil acontecem em torno de 1.000.000 de incidentes 
por queimaduras ao ano, sendo que 100.000 pacientes buscaram atendimento 
hospitalar e, destes, cerca de 2.500 pacientes irão a óbito direta ou indiretamente 
em função de suas lesões. 
A queimadura é o ambiente ideal para a instauração de uma infecção, 
como consequência do cometimento da pele, que é o órgão primordial para a 
defesa do organismo da entrada de germes. A infecção associa-se com diversos 
fatores de risco, principalmente relacionados com o agente infeccioso em si, 
como a sua capacidade de replicação, virulência e resistência às barreiras de 
 
6 
 
defesa naturais ou mesmo às terapias antimicrobianas, assim como a fatores 
relacionados com o hóspede em decorrência da sua idade, extensão e 
profundidade da queimadura, estado nutricional e doenças associadas, entre 
outros. 
Independentemente da extensão, todas as queimaduras são graves. 
Mesmo queimaduras de menor gravidade podem resultar em grave 
incapacidade. 
Uma concepção comum e errónea é que as lesões por queimadura são 
isoladas à pele. Pelo contrário, as queimaduras extensas podem ser lesões 
multissistêmicas, capazes de provocar efeitos possivelmente fatais no coração, 
nos pulmões, nos rins, no trato gastrointestinal e no sistema imunológico. 
A causa de morte mais comum em uma vítima de incêndio, por exemplo, 
não são as complicações diretas do ferimento por queimadura, mas as 
complicações relacionadas à insuficiência respiratória. Após uma queimadura, o 
corpo do doente tenta se desligar e entrar em choque, levando à morte. 
Uma parte substancial do atendimento inicial de doentes queimados é 
direcionada à reversão deste choque. Em doentes que apresentam lesões 
traumáticas associadas a queimaduras, a mortalidade real destas lesões 
combinadas é muito maior do que a prevista para cada uma, separadamente. 
A inalação de fumaça tóxica provoca uma lesão possivelmente fatal que 
tende a ser mais perigosa do que a lesão por queimadura. A inalação de fumaça 
tóxica prediz melhor a mortalidade por queimaduras do que a idade do doente 
ou a extensão da queimadura. 
A vítima não precisa ter inalado uma grande quantidade de fumaça para 
estar predisposta a uma lesão grave; em geral, as complicações com risco de 
vida podem demoram vários dias para se manifestar. Aproximadamente 20% de 
todas as vítimas