A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Interações metabólicas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Odontologia – 1º semestre 
 @ondadesorrir 
 
Interações metabólicas 
 
Vias HIPOglicemiantes x Vias HIPERglicemiantes 
 
 Reduz a glicemia do sangue (retira glicose) 
 É a insulina que estimula as vias Hipo 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Estado absortivo (2-4 horas após a refeição) 
 
 No tecido nervoso a glicose entra livremente, ou seja, não necessita de um transportador; 
 Função da glicose no sistema nervoso: ser utilizada na respiração celular; 
 Não depende da insulina (sistema nervoso) 
 
 
 
 Funções da glicose no músculo: 
- Respiração celular (gera ATP); 
- Produção de glicogênio 
 Glicose no tecido adiposo: 
- Depende do GLUT-4 (joga mais glicose) 
- Respiração celular 
- Síntese de ácido graxo forma TAG (Triglicerídeos) – adipócito maior 
 Glicose no fígado: 
- Síntese de glicogênio 
- Respiração celular 
- Via das Pentoses 
 Glicose nos lipídeos: Sai do intestino o quilomicron (que é uma lipoproteína), vai circular no 
organismo e vai liberar ácidos graxos 
Insulina 
Vias hipoglicemiantes 
Via glicolitica 
Glicogênese 
Via das pentoses 
Lipogênese 
↓ glicemia 
Estimula GLUT-4 
↑ Açúcar 
↑ Insulina 
Estimula o pâncreas 
Tiram as glicoses 
do sangue para 
 Glucagon 
 Adrenalina 
 Cortisol 
 Hormônio do 
crescimento 
(GH) 
Vias hiperglicemiantes 
Glocogenólise 
Lipólise (quebra dos lipídeos) 
Gliconeogênese (contrução de 
glicose pelo fígado) 
↑ glicemia 
Aumentam a 
glicemia e liberam 
glicose no sangue 
(jejum) Glicogênio (fígado e músculo) – quebra 
glicogênio e libera glicose para o sangue 
Ativa o GLUT-4 
 
Odontologia – 1º semestre 
 @ondadesorrir 
 
Estado de jejum (8h após a refeição) 
 
 
 
 
 
 
 
Fígado: 1º órgão que tenta elevar a glicemia 
 Quebra de glicogênio gerando glicose que vai ser utilizada principalmente no sistema nervoso; 
 Entra no sistema nervoso e não no tecido muscular pois no período de jejum a insulina baixa e 
sem a insulina não tem a formação do GLUT-4. Sem o GLUT-4 a glicose não entra no 
músculo. 
 
Tecido adiposo: 
 Quebra de TAG produz AG + Glicerol; 
 Quem faz a quebra é o glucagon. 
 
Sangue (glicerol): 
 Vai ser utilizado para a produção da gliconeogênese no fígado. 
 
Nos músculos: 
 O AG é quebrado, formando Acetil-CoA; 
 No Ciclo de Krebs e na cadeia respiratória; 
 Acetil-CoA → corpos cetônicos (ácido solúvel em água no sangue). 
 
Sistema nervoso: mais consumido 
 
Regulação do metabolismo da glicemia 
 
 
 
↓ Glicose no sangue (glicemia) ↑ Glucagon Vias hiperglicemiantes ↑ Glicemia 
↑ Insulina 
Odontologia – 1º semestre 
 @ondadesorrir 
 
Diabete 
 
Doença gerada por alterações metabólicas no consumo de glicose no sangue; 
Dificuldade de cicatrização: tecidos não têm nutrientes necessários. 
 
Diabete tipo 1 
 
 Produção insuficiente de insulina no pâncreas; 
 Consome muita água; 
 Pode levar a morte; 
 Ocorre na infância/puberdade (antes dos 21 anos); 
 Poliúria – aumento da urina; 
 Polidsia – aumento do consumo de água; 
 Polifagia – aumenta a fome; 
 Fadiga; 
 Fraqueza; 
 Perda de peso; 
 Glicemia (jejum) > 126 mg/Dl; 
 Insulina baixa – quebra TAG; 
 Sem GLUT-4 a glicose fica circulando e não entra nas células. 
 
É gerada quando o sistema imunológico degrada as células beta (produz insulina) do pâncreas. 
 
 
 
 
 
 
 
Diabetes tipo 2 
 
 90% dos casos; 
 Diabetes não insulinodependentes; 
 Resistência insulínica (RI); 
 Aproximadamente aos 40/45 anos – fase adulta; 
 Glicemia (jejum) > 126 mg/dL; 
 Poliúria, polifagia e polidsia – é menos comum; 
 Produz insulina, mas as células têm dificuldade de responder a ação da insulina (resistência a 
insulina); 
 Aumento de peso; 
 O uso de remédio depende de cada pessoa; 
 Alimentação correta + atividade física; 
 Obesidade estimula a diabete; 
 Raramente leva à morte. 
 
Glucagon 
↓ 
TAG → AG → Acetil-CoA → corpos cetônicos