A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Bases da Oftalmologia I

Pré-visualização | Página 2 de 3

Coróide: É formada por vasos sanguíneos e responsável por 
parte da nutrição da retina. Está situada abaixo da esclerótica e 
é intensamente pigmentada. Esses pigmentos absorvem a luz 
que chega à retina, evitando sua reflexão. A coróide une-se na 
parte anterior do olho ao corpo ciliar. É a camada vascular do 
globo ocular. 
 
 
ESTRUTURAS ACESSÓRIAS OU ANEXOS 
Pálpebras: as duas pálpebras cobrem e 
protegem o globo ocular e são constituídas 
por vários planos ou camadas, das quais as 
mais importantes são: - revestimento 
externo, a pele; - camada muscular 
constituída pelo orbicular das pálpebras 
(músculo da expressão) e pelos músculos 
palpebrais superior e inferior; - revestimento 
interno, a mucosa. Quando o olho está 
fechado, a pele da pálpebra superior 
apresenta uma prega transversal 
denominada sulco órbito-palpebral, o qual 
precisa ser fielmente reproduzido quando da restauração protética das pálpebras. 
HM V – ESTAÇÃO OFTAMO- KATARINA ALMEIDA DIAS 
 
 
5 
A mucosa que reveste as pálpebras é formada pela conjuntiva, membrana que após forrar as pálpebras 
se dobra em direção ao segmento anterior do globo ocular, formando entre o olho e as pálpebras uma 
cavidade denominada conjuntival. Nesta cavidade circula a secreção lacrimal. A dobra da conjuntiva 
forma um fundo-de-saco, inferior e superior, detalhe esse muito importante para a fixação da prótese 
ocular. No fundo-de-saco, no ângulo interno do olho, situa-se uma pequena saliência avermelhada 
denominada carúncula lacrimal. A profundidade desse fórnix palpebral é maior na parte superior que na 
inferior. 
Cílios: Inserem-se obliquamente ao longo das bordas palpebrais livres, em duas a quatro fileiras. Têm 
como objetivos impedir a entrada de poeira nos olhos e a entrada de excesso de luz. 3. Sobrancelhas: 
Impedem a entrada de suor nos olhos. 
Glândulas lacrimais: Produzem lágrimas 
continuamente. Este líquido, espalhado pelos 
movimentos das pálpebras, lava e lubrifica o olho. 
Frente ao choro, o excesso de líquido desce pelo canal 
lacrimal e é despejado nas fossas nasais, em direção 
ao exterior do nariz. 
 
Músculos do olho: 
Situados na loja posterior da órbita e inserem-se diretamente na esclerótica. Têm como objetivo mover o 
globo ocular. São em número de 7 sendo que 6 deles – músculos retos (superior, inferior, interno e 
externo) e músculos oblíquos (superior e inferior) vão da esclerótica até o fundo da cavidade orbitária, 
onde têm uma inserção comum ao nível do buraco óptico, exceto o oblíquo inferior que se insere no 
rebordo externo do orifício do canal nasal. O 7 músculo que também se insere no 9 fundo da cavidade 
orbitária como os primeiros e também adiante, na face profunda da pele das pálpebras, é o músculo 
elevador da pálpebra superior. Esses músculos, após a enucleação ou evisceração do globo ocular, 
imprimem às pálpebras da cavidade remanescente, certos movimentos que per mitem dar à prótese 
ocular, movimentos que se aproximam dos naturais 
 
 
 
 
 
 
HM V – ESTAÇÃO OFTAMO- KATARINA ALMEIDA DIAS 
 
 
6 
EXAME OFTAL MOL ÓGICO 
 
 
PROBL EMAS E DOENÇAS OCUL ARES 
Defeitos Refractivos (miopia, hipermetropia, astigmatismo, presbiopia, retinopatia diabética). 
Os problemas visuais mais frequentes são os defeitos refractivos. Estes dizem respeito a um conjunto de 
alterações nos quais há uma focagem inadequada das imagens na retina. São, na grande maioria, 
facilmente corrigidos com óculos ou lentes de contacto. Em casos mais raros a cirurgia poderá ser uma 
opção. 
MIOPIA 
É uma situação em que a imagem é focada à frente da retina e traduz-se por uma dificuldade de visão ao 
longe. 
Um olho míope é normalmente maior 
que o normal e é mais propenso a 
algumas doenças (ex. glaucoma, 
descolamento de retina, etc.) 
 
Didaticamente podemos classificar os tipos de miopia em: 
1) miopia axial: causada pelo globo ocular ser mais alongado, com diâmetro ântero-posterior maior que 
o normal. 
2) miopia de curvatura: aumento da curvatura da córnea ou cristalino, trazendo um poder de refração 
excessivo para um olho de tamanho normal. 
HM V – ESTAÇÃO OFTAMO- KATARINA ALMEIDA DIAS 
 
 
7 
3) miopia secundária: pode ser associada à Catarata Nuclear, quando a degeneração do cristalino o seu 
poder de refração (miopia de índice ou refrativa); pode também ocorrer após trauma ou cirurgia para 
glaucoma, pelo seu deslocamento anterior do cristalino. 
4) miopia congênita: alto grau de miopia ao nascimento4) miopia congênita: alto grau de miopia ao 
nascimento 
Correção para miopia 
Não existe exatamente uma cura para miopia, mas sim tratamentos para corrigir o embaçamento visual 
e ajudar a conviver melhor com ela. Os mais comuns são: 
Óculos: Até hoje é o tratamento mais comum. Utilizam-se lentes negativas (divergentes) para que as 
imagens sejam focadas corretamente na retina. 
Lentes de contato: Também um tratamento comum, mas devemos sempre lembrar do uso correto e 
higiene adequada para reduzir o risco de infecções e inflamações nos olhos. 
Cirurgia refrativa: Cirurgia que utiliza laser para alterar a curvatura da córnea e modificar o poder de foco 
do olho 
HIPERMETROPIA 
A Hipermetropia é um erro de refração que faz com que a imagem seja focada atrás da Retina. Dessa 
forma, a capacidade refratária é alterada em relação aos olhos com visão normal. A hipermetropia causa 
dificuldade para enxergar objetos próximos 
e principalmente para leitura de textos. 
Sintomas de hipermetropia: O principal 
sintoma da hipermetropia é a visão 
embaçada mais para perto, mas també m 
podem existir queixas de dores de cabeça 
ou cansaço ocular, sensação de peso ao 
redor dos olhos, ardor, vermelhidão 
conjuntival e lacrimejamento ocular. 
Tratamento de hipermetropia: A hipermetropia pode ser corrigida com o uso de óculos, Lentes de 
Contato ou Cirurgia Refrativa se houver indicação de um oftalmologista especialista em córnea. 
ASTIGMATIMOS 
O astigmatismo é uma doença ocular causada, na maioria das vezes, 
por irregularidade da córnea e o seu efeito é a distorção de image m, 
pois os raios de luz não chegam ao mesmo ponto na retina. 
Sintomas de Astigmatismo: Dependendo do grau e da atividade da 
visão, seja para perto ou longe, a imagem fica borrada e algumas 
queixas são frequentes, tais como dor de cabeça, sensação de 
ardor e hiperemia conjuntival. A intensidade varia conforme a 
gravidade do problema e o esforço visual. 
Tratamento de Astigmatismo: A correção do astigmatismo pode 
ser feita por óculos, lentes de contato ou Cirurgia Refrativa 
quando houver indicação de um oftalmologista especialista em 
córnea 
 
HM V – ESTAÇÃO OFTAMO- KATARINA ALMEIDA DIAS 
 
 
8 
CATARATA 
A catarata é a opacificação do cristalino (lente natural que existe 
no interior do globo ocular). A principal função do cristalino é 
permitir o foco das imagens na retina. A perda da transparência 
desta lente é denominada catarata. 
Causas: A opacidade parcial ou total do cristalino pode ser 
desencadeada por vários fatores, como traumatismo, idade, 
diabetes mellitus, uveítes uso de medicamentos etc. É uma doença 
conhecida há milhares de anos e sua cirurgia já é realizada há 
séculos. A catarata está geralmente relacionada à idade, porém alguns fatores de risco como trauma 
ocular, doenças infecciosas, doenças reumatológicas, diabetes e uso de algumas medicações (como 
corticóides, por exemplo) podem acelerar o desenvolvimento da doença. 
 
 
Sintomas: Tipicamente apresenta-se como embaçamento visual progressivo que pode levar a cegueira ou 
visão subnormal. As pessoas com catarata notam perda progressiva na nitidez da imagem. As cores 
perdem o brilho e as imagens começam a ficar embaçadas. Além disso, é comum os pacientes se 
queixarem de sensibilidade à luz. No início, os sintomas são leves, mas podem progredir e reduzir a visão 
de forma significativa, deixando as imagens completamente