A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Anamnese cardíaca

Pré-visualização | Página 3 de 3

acessos de náuseas -, possibilita distinguir a hemoptise das hemorragias provenientes do nariz 
(epistaxe), da laringe, das gengivas e do trato gastrintestinal (hematêmese). 
Para o diagnóstico diferencial entre asma brônquica e asma cardíaca, destacam-se os 
seguintes elementos: a asma cardíaca costuma surgir na posição deitada e melhora quando o 
paciente senta-se ou fica de pé, sendo acompanhada por taquicardia, ritmo de galope e 
estertores finos nas bases pulmonares; na asma brônquica, a dispneia não é aliviada pela 
mudança de posição, os sibilos são disseminados e predominam sobre os estertores. 
Caso persistam dúvidas, a radiografia simples do tórax é um recurso de grande valor, pois 
torna possível evidenciar a congestão pulmonar, que é o substrato anatomopatológico 
principal da asma cardíaca, enquanto, na asma brônquica, encontra-se hiperinsuflação 
pulmonar. 
 
7 Ana Inês Aguiar – MEDICINA, UNIFACS 
 As principais causas da Hemoptise são: edema agudo de pulmão por IVE, pneumonia 
pneumocócica, bronquite, infarto pulmonar. 
 
 
 
 
 
 
 
 
SÍNCOPE E LIPOTIMIA: 
 Síncope (desmaio) e Lipotimia (sensação de desmaio). 
 Síncope é a perda súbita e transitória da consciência e do tônus muscular postura. Nem 
sempre, contudo, o sintoma ocorre de maneira completa, podendo ser parcial a perda da 
consciência (pré-síncope ou lipotimia). 
 Podem -se agrupar as causas de desmaio em “cardíacas” e “extracardíacas”. 
 Causas cardíacas (diminuição do fluxo sanguíneo cerebral) 
A. Arritmias e transtornos da condução 
Bradiarritmias (bloqueio atrioventricular) 
Taquiarritmias (taquicardia paroxística) 
 
B. Diminuição do débito cardíaco Insuficiência cardíaca aguda (infarto agudo do 
miocárdio) 
Obstrução do fluxo sanguíneo pulmonar 
Tetralogia de Fallot 
Hipertensão pulmonar primária 
Estenose pulmonar Embolia pulmonar 
 
C. Regulação vasomotora anormal 
Estenose aórtica 
Hipotensão postura! ou ortostática 
 
D. Diminuição mecânica do retorno venoso 
Mixoma atrial 
Trombose de prótese valvar cardíaca 
 
E. Hipovolemia aguda 
 
 Causas extracardíacas 
A. Metabólicas Hipoglicemia 
Alcalose respiratória por hiperventilação 
Hipoxia 
 
B. Síncope neurogênica 
Síndrome do seio carotídeo 
Hemoptise é acompanhada de expectoração espumosa e rósea, a causa é edema 
pulmonar agudo por insuficiência ventricular esquerda; expectoração "cor de tijolo" indica 
pneumonia pneumocócica; raias de sangue recobrindo grumos de muco aparecem nas 
bronquites e nas hemorragias das neoplasias brônquicas; sangue escuro, misturado com 
expectoração mucosa, com o aspecto de "geleia de framboesa~ é observado no infarto 
pulmonar e na pneumonia necrosante; hemoptise volumosa com sangue vivo, brilhante, 
rutilante, indica ruptura de vasos bronquiais. 
 
8 Ana Inês Aguiar – MEDICINA, UNIFACS 
Síncope vasovagal Síncope da "micção" 
Neuralgia glossofaríngea 
Epilepsia 
 
C. Obstruções "extracardíacas" do fluxo de sangue 
Aterosclerose cerebral e de vasos da crossa da aorta 
Reflexo da tosse Compressão torácica 
Tamponamento cardíaco 
Manobra de Valsalva 
 
D. Psicogênica 
 
ALTERAÇÕES DO SONO: 
 A insônia é um sintoma frequente nos pacientes com insuficiência ventricular esquerda. Em 
alguns indivíduos, nos quais a dispneia de Cheyne-Stokes representa sintoma dominante da 
insuficiência ventricular esquerda, pode haver dificuldade para dormir justamente porque este 
tipo de dispneia predomina ou se acentua no período noturno. 
 Na insuficiência cardíaca grave, a insônia é acompanhada de excitação e obnubilação, 
alternando-se com períodos de sonolência e prostração. 
 A causa é a estase sanguínea encefálica, com edema cerebral e hipertensão do líquido 
cefalorraquidiano, além de anoxia dos neurônios cerebrais, relacionada com a diminuição do 
fluxo sanguíneo cerebral. 
 Sono inquieto e pesadelos também podem ser observados na insuficiência ventricular 
esquerda. 
 
CIANOSE: 
 Cianose significa coloração azulada da pele e das mucosas, em razão do aumento da 
hemoglobina reduzida no sangue capilar, chegando a 5 g por 100 mL (a quantidade normal de 
hemoglobina reduzida é 2,6 g por 100 mL). 
 Há 4 tipos de cianose: central, periférica, mista e por alterações da hemoglobina. 
✓ Cianose central. Mais frequente 
 
✓ Cianose periférica. 
Aparece em consequência da perda exagerada de oxigênio ao nível da rede capilar por 
estase venosa ou diminuição funcional ou orgânica do calibre dos vasos da 
microcirculação. 
✓ Cianose mista. 
✓ Cianose por alterações da hemoglobina.