A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Aleitamento Materno e Introdução Alimentar

Pré-visualização | Página 1 de 4

Thaís Pires 
1 
Aleitamento Materno e 
Introdução Alimentar 
 
• Introdução – A alimentação ao seio materno é uma das questões mais importantes principalmente nos 
primeiros 2 anos de vida, uma vez que atende às necessidades NUTRICIONAIS, METABÓLICAS, 
IMUNOLÓGICAS e realiza um estímulo PSICOAFETIVO! O leite materno é considerado o ALIMENTO PERFEITO 
para o RN, pois, além de possui proteínas, lipídios, carboidratos, minerais, vitaminas, contém em cerca de 88% 
da sua composição ÁGUA. Durante o início da vida, a DEMANDA ENERGÉTICA é muito grande, sendo cerca de 
3x maior do que a dos adultos (por kg – 120 kcal/kg) – dessas calorias ingeridas, 40% são utilizadas para o 
processo de crescimento e desenvolvimento, enquanto no segundo ano de vida esse valor cai para 20%. O 
AME deve ser iniciado, idealmente, na PRIMEIRA HORA DE VIDA! 
• Recomendações do MS, OMS e SBP 
o Aleitamento Materno Exclusivo (AME) 6m – não precisa oferecer NADA (nada) para o RN além do 
leite materno nos primeiros 6 meses de vida. Água? Não. Chá? Não. Se algo além do leite for oferecido, 
considera-se o DESMAME INICIADO. 
o Aleitamento Materno Complementado de 6m-2anos – após os 6 meses, o leite materno se torna 
insuficiente para suprir 100% da demanda energética, embora ainda seja uma importante fonte de 
VIT C (95%), VIT A (45%), PROTEINAS (38%), ENERGIA (31%) e IMUNIDADE! Devido a isso, é importante 
MANTER O ALEITAMENTO, mas COMPLEMENTAR COM OUTROS ALIMENTOS. 
o O Aleitamento deve ser mantido, NO MÍNIMO, até os 2 anos de vida. 
• Definições 
o AME – recebe apenas leite humano – da própria mãe ou de outra fonte – sem adição de outros líquidos 
ou sólidos. Vitaminas, sais de hidratação e medicamentos NÃO SÃO INCLUSOS AQUI. 
o Aleitamento Materno Predominante (AMP) – além de leite humano, a criança recebe água, chá, 
sucos... líquidos de forma limitada. 
o Aleitamento Materno Complementado (AMC) – além de leite humano, a criança recebe SÓLIDOS e 
SEMISSÓLIDOS com o objetivo de COMPLEMENTAR e não SUBSTITUIR o leite humano. 
o Aleitamento Materno Misto ou Parcial (AMM) – além de leite humano, a criança recebe outros tipos 
de LEITE 
• Vantagens do Aleitamento Materno 
o Para o Bebê – por tudo o que já foi dito, lembrar que é um alimento COMPLETO que atende às 
necessidades nutricionais, metabólicas e calóricas dos lactentes, além de ser ideal para o SISTEMA 
GASTROINTESTINAL E RENAL em amadurecimento! 
▪ Redução da Mortalidade Infantil – estima-se que a amamentação reduza em média 13% das 
mortes de crianças abaixo de 5 anos 
▪ Diminuição de mortalidade por doenças respiratórias (50%) e diarreias (66%) – AME 
▪ Diminuição incidência/gravidade doenças infecciosas diarreicas – consequentemente 
diminui o risco de distúrbios hidroeletrolíticos secundários 
▪ Diminuição incidência/gravidade infecções respiratórias 
▪ Diminuição incidência doenças imunoalérgicas 
▪ Diminuição ocorrência doenças crônicas 
▪ Melhor desenvolv. Cognitivo – substâncias que estimulam o correto desenvolvimento das 
funções orais, com o correto desenvolvim. Do sistema estomatognático. 
▪ Fortalecimento do vínculo mãe-bebê 
o Para a Mãe 
▪ Prevenção Hemorragia Pós-Parto – o aleitamento logo após o parto favorece a DEQUITAÇÃO 
PLACENTÁRIA, INVOLUÇÃO UTERINA, PERDA DE PESO e DIMINUI A HEMORRAGIA PÓS 
Thaís Pires 
2 
PARTO. O mecanismo aqui envolvido relaciona-se ao REFLEXO DE FERGUSSON: a sucção do 
mamilo estimula a liberação de ocitocina pela hipófise anterior → contração uterina 
▪ Método Contraceptivo – a amenorreia lactacional é prolongada pelo aleitamento materno 
evita a anemia e o aparecimento precoce da ovulação, permitindo um maior ESPAÇAMENTO 
GESTACIONAL! As três condições para que a amenorreia lactacional tenha 98% de eficácia 
como método contraceptivo: mães até 6 meses após o parto que estejam em AME ou AMP e 
em amenorreia. 
▪ Remineralização Óssea 
▪ Redução do Risco de Câncer – mama e ovário 
▪ Proteção contra DM2 – trabalho mostrou que mulheres que amamentam tem 15% menos 
incidência de DM2 para cada ano de lactação 
▪ Promove Perda Ponderal – aumenta o gasto energético 
▪ Economia e Eficácia – leite materno é bom, barato e limpo. 
o Diante de tudo isso, destaca-se como o pediatra DEVE estimular a mãe a amamentar, porém nunca 
deve OBRIGAR a mãe a amamentar! Esses benefícios devem ser explicados, além de solucionar 
dúvidas individuais de cada gestante, entretanto a decisão de amamentar ou não é da MULHER! 
• Causas do Desmame Precoce 
o Propaganda – nas décadas de 50-70, houve um declínio na prática do AM devido a fatores SOCIAIS, 
ECONÔMICOS e CULTURAIS – o leite materno foi substituído pelo LEITE DE VACA e por FÓRMULAS 
INFANTIS 
o Falta de Orientação – as orientações deveriam vir desde o PRÉ NATAL, destacando os benefícios para 
a mãe e para a criança, as técnicas de como dar o peito – a amamentação NÃO É INSTINTIVA no ser 
humano, ela precisa ser APRENDIDA! 
o Bicos – A OMS contraindica o uso dos BICOS, pois facilitam o desmame porque o RN começa a 
erroneamente posicionar a língua quando vai sugar a mama; as alterações ortodônticas; aumento de 
incidência de candidíase oral; veículo de enteroparasitoses. 
• Preparo para a Amamentação – naturalmente, durante a gestação, há o crescimento do tecido mamário, 
escurecimento da aréola e o desenvolvimento das glândulas de Montgomery, que produzem uma secreção 
oleosa para proteger o mamilo do atrito da boca do bebê – ou seja, a mama é NATURALMENTE preparada, 
por isso deve-se adotar medidas de CUIDADO: 
o Não usar sabonetes nos mamilos – evitar rachaduras pela retirada da oleosidade natural 
o Expor a mama ao sol – diminui a sensibilidade do mamilo 
o Tipo de mamilo – normais, invertidos ou planos – para os mamilos invertidos e planos, deve-se realizar 
um orifício no sutiã durante o terceiro trimestre. Os exercícios de Hoffman não são mais indicados! 
Alguns exercícios que estimulam, após o parto, a protusão do mamilo: 
▪ Estímulo/toque do mamilo 
▪ Compressas frias 
▪ Sucção com bomba natural 
Thaís Pires 
3 
▪ Ordenhar o leite enquanto o bebê não sugar efetivamente – ajuda a manter as mamas 
macias, facilitando a pega 
• Psicofisiologia da Amamentação – Durante a gestação, o ESTROGÊNIO e a PROGESTERONA atuam para que 
as glândulas fiquem prontas para lactar. Outros hormônios, como o lactogênio placentário, gonadotrofina 
coriônica e lactogênio também atuam no preparo da mama – apesar de altos níveis de prolactina na gestação, 
a mulher não secreta leite devido a inibição pelo lactogênio placentário. Ao nascimento, os efeitos inibitório 
sobre a prolactina cessam (lactogênio placentário e progesterona) e a lactogênese fase II inicia! 
o Apojadura – entre o 3º e 4º dia pós-parto ocorre a DESCIDA DO LEITE de forma INDEPENDENTE da 
sucção do bebê! Então mães HIV, feto morto, aquelas que não podem amamentar por qualquer 
motivo também irão ter a apojadura!! 
o Lactopoiese fase III – manutenção da produção e ejeção do leite de forma TOTALMENTE 
DEPENDENTE DA SUCÇÃO + ESVAZIAMENTO. A secreção passa de 100mL/dia para 600mL/dia. O 
estímulo mamário culmina na liberação de PROLACTINA pela adeno hipófise, que irá atuar nas mamas 
para maior produção de leite. Além da prolactina, haverá liberação de OCITOCINA pela neuro hipófise, 
que atua nas células mioepiteliais para o REFLEXO DA EJEÇÃO DO LEITE (é bloqueado pelo estresse, 
dor, medo) e também causa o REFLEXO DE FERGUSSON. 
o Reflexos RN 
▪ Reflexo dos pontos cardeais ou de busca – o RN se vira na direção do que estimula sua 
bochecha e abre a boca – como se procurasse o seio quando o mamilo toca o rosto 
▪ Reflexo de sucção – o contato do mamilo com a parte posterior da língua e o palato inicia o 
processo de sucção 
▪ Reflexo de deglutição – deglutição mesmo – pode haver incoordenação desse reflexo em 
prematuros com idade gestacional inferior a 34 semanas. 
• Técnicas de Amamentação – A amamentação deve ocorrer ainda na