A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
SÍNDROME METABÓLICA oficial

Pré-visualização | Página 1 de 1

@academizando_ 
 
SÍNDROME METABÓLICA / SÍNDROME DA 
RESISTÊNCIA INSULÍNICA / SÍNDROME X 
É uma disfunção metabólica associada à obesidade visceral e 
resistência insulínica. 
CRITÉRIOS DE SINDROME METABÓLICA: 
✓ NCEP-ATP III: padrão 
✓ IDF 
✓ OMS 
 
NCEP-ATP III IDF OMS 
Homem ≥ 102cm 
Mulher ≥88 cm 
(obrigatório) 
De acordo com 
sexo e etnia 
(obrigatório) 
Homem ≥ 90cm 
Mulher ≥ 85 cm 
OU IMC > 
30kg/m² 
Glicemia jejum 
≥100 (*110) 
mg/dl ou em 
TTO 
GJ≥100mg/dl ou 
TTO 
HbA1C ≥ 5,7% 
TOTG ≥ 
140mg/dl 
GJ ≥ 100mg/dl ou 
em tto 
(obrigatório) 
≥ 130/85 mmHg 
ou em TTO 
≥ 130/85 mmHg 
ou em TTO 
≥14/90mmHg ou 
em tto 
Triglicerídeos > 
150mg/dl ou em 
tto 
Triglicerídeos > 
150mg/dl ou em 
tto 
Trig>150mg/dl 
ou em tto 
Homem: HDL< 
40mg/dl 
Mulher: HDL < 
50 mg/dl 
Homem: HDL< 
40mg/dl 
Mulher: HDL < 
50 mg/dl 
Homem: HDL < 
35mg/dl 
Mulhet: HDL < 
50mg/dl 
 
ATENÇÃO!! 
DENTRO DOS CRITÉRIOS NÃO INCLUI: 
LDL 
ÁCIDO ÚRICO 
ESTEATOSE HEPÁTICA 
PESO (*INDIRETAMENTE A OMS INCLUI NO CÁLCULO DO IMC) 
 
FISIOPATOLOGIA: 
Resistência insulínica -> ocorre por menor captação da glicose 
pelo fígado e pelo músculo = aumento de glicose circulante 
FATORES DE RISCO: 
 Extrínsecos/ estilo de vida: 
#1: diminuição da atividade física 
#2: aumento da ingesta calórica 
 Intrínsecos: 
#3: genética: história família de SM aumento risco em até 50%; 
#4: alteração na microbiota intestinal: há >10 trilhões de 
bactérias no intestino, com diversas funções: 
1. produção de vitaminas K e do complexo B, 
2. estímulo ao desenvolvimento das defesas imunológicas, 
3. proteção dos intestinos, como contra infecção por 
salmonella e clostridium difficile (colite 
pseudomembranosa); 
Os magros têm maior diversidade de bactérias (firmicute > 
bacteroidetes); 
Os obesos têm menor diversidade de bactérias (bacteroidetes > 
firmicute) 
 
Tudo isso ocorre por causa da HIPERPERMEABLIDADE 
INTESTINAL: 
Acúmulo 
de tecido 
adiposo 
visceral 
resistência 
insulínica 
dislipidemia
+ 
hipertensão 
síndrome 
metabólica
3 ou + critérios: 
@academizando_ 
 
➢ problemas no sistema de defesa da mucosa-> 
alteração dos mecanismos de transportes + destruição 
da mucosa intestinal; 
➢ favorece a translocação de bactérias -> resposta 
inflamatória sistêmica leve, porém contínua -> RI, 
obesidade, dislipidemia 
TTO PARA DISBIOSE: 
1. prebioticos 
2. probióticos 
3. fibras 
4. transplante fecal - incerto 
CLASSIFICAÇÃO: 
→ OBESIDADE 
Monogênica: sindrômica x não sindrômica 
Poligênica: mais comum e complexa; quanto mais 
polimorfismos, maior o IMC do paciente; 
COMPLICAÇÕES: 
➢ Metabólicas: diabetes mellitus; 
➢ Cardiovascular: dislipidemia, HAS, doença arterial 
obstrutiva periférica, IAM, AVC; 
➢ Reumatológicas: hiperuricemia (pelo aumento do 
ácido úrico) – gota, cálculos renais; osteoartrite; 
➢ Pulmonares: asma, apneia do sono; 
➢ Oncológicas: pelo aumento de adipocinas 
inflamatórias, aumento de insulina, aumento de 
estrógeno; principais locais: esôfago, estomago, 
fígado, vesícula, pâncreas, colon e reto; tireoide, 
mama, ovários e endométrio, mieloma múltiplo, rins e 
bexiga; reduz a incidência de câncer de próstata; 
➢ Gastrointestinais: esteatose hepática; DRGE; 
 
➢ Dermatologia: acantose nigricans, acrocórdons; 
 
➢ Reprodutivas: ovários policístico, infertilidade e 
hipogonadismo; porque o tecido adiposo tem 
aromatase, enzima que transforma a testosterona em 
estrógeno, então o homem pode ter a ginecomastia e 
bloqueio o GNRH, diminuindo a produção de 
testosterona, aí o homem pode ficar infértil; 
➢ Renais: nefropatia da obesidade, e aumento da 
nefropatia diabética; 
ABORDAGEM TERAPÊUTICA: 
Objetivos do tratamento: diminuir o risco cardiovascular; 
 
 
❖ DISLIPIDEMIA: 
 
❖ MUDANÇA DO ESTILO DE VIDA: 
@academizando_ 
 
 
➢ REDUZIR A INGESTÃO CALÓRICA: 
• Manter uma alimentação balanceada: 15% proteínas, 
25% gorduras e 60% carboidratos; 
• Restringir para menos de 7% das calorias do dia 
compostas por gorduras saturadas e zero de gordura 
trans na alimentação cotidiana. 
• Trocar açúcar por adoçante e evitar bebidas 
adoçadas. 
• Limitar a ingestão de álcool: no máximo uma dose por 
dia em mulheres e duas doses por dia em homens; 
• Aumentar a ingestão de fibras: 14g de fibras para 
cada 1.000kcal da dieta. 
• Alimentos com baixo índice glicêmico podem melhorar 
a glicemia e dislipidemais; substituir grãos refinados 
por grãos integrais, frutas e vegetais. 
➢ ATIVIDADE FÍSICA: 
Otimizar atividade física: pelo menos 30minutos; exercícios de 
moderada intensidade, contínuos ou intermitentes, 5 vezes por 
semana, mas de preferência diariamente; perda de peso, mais 
seletivamente a gordura abdominal; 
 
TRATAMENTO CLÍNICO: 
➢ IMC > 30kg/m² 
➢ IMC >25 ou 27kg/m² *comorbidades 
TRATAMENTO CIRURGICO: 
➢ IMC>40 kg/m² 
➢ IMC≥35kg/m² *comorbidades 
➢ Falha no tratamento dietético + obesidade grave por > 
5 anos OU falha no tratamento clínico por > 2 anos;