A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
MDD 2 - Doenças Neurodegenerativas

Pré-visualização | Página 3 de 3

Os corpos de Lewy estarão na região intracelular, no 
citoplasma e esses corpos são capazes de induzir resposta 
do sistema imunológico. 
 
 
 
Lâmina histológica dos corpos de Lewy 
 
 
 
 
 
 
 
Mecanismo da Via inflamatória: 
Esse mecanismo se inicia com o neurônio dopaminérgico com a proteína alfa-sinucleína que dobra de 
forma errada, expondo a parte hidrofóbica e gerando um aglomerado intracelular (CORPOS DE LEWY) 
que irá prejudicar organelas como as mitocôndrias, causará lesões as células e desenvolvera a morte 
neuronal. Esse deposito intracelular prejudica diretamente a viabilidade da célula e a produção do 
neurotransmissor dopamina. 
 
 Eduarda Gonzalez 
12 
Quando uma célula possui em sua região intracelular algo que não é próprio, os receptores de MHC tipo 
I presentes na membrana da célula vão apresentar ao sistema imune que há um antígeno dentro dessa 
célula e isso ativa linfócitos contra essa célula anormal. 
A medida em que ocorre uma morte celular, começa a expor a alfa-sinucleína dobrada de forma errada 
e ela será reconhecida como um DUMP pelos receptores Toll Like. A partir da exposição dessa alfa-
sinucleína, ela vai ser reconhecida pela micróglia e essa célula (micróglia) vai ser ativada e vai produzir 
citocinas inflamatórias que irão atravessar a barreira hematoencefálica para chamar mais células de 
defesa (monócitos, linfócitos, células dendríticas) para entrar na barreira e desenvolver um processo 
de inflamação, além de também produzir radicais oxidativos que irão matar esse neurônio. 
 
 
 
As células dopaminérgicas possuem um pigmento 
chamado de neuromelanina, por isso é chamado de 
substância negra por ter essa cor escura. 
O cérebro com Parkinson desenvolve a morte 
neuronal e por isso não tem mais pigmentação, 
então a substância negra fica pálida, mais clara. 
 
 
 Eduarda Gonzalez 
13 
O tratamento é principalmente é o aumento dos níveis de dopamina para melhorar os sintomas, mas 
esse tratamento não evita a progressão da doença inflamatória e morte neuronal. A dopamina é um 
neurotransmissor extremamente importante para a questão da substância negra que possui um papel 
importante no mecanismo motor fino. Além disso a dopamina é essencial para desenvolver as respostas 
de prazer, humor e essa dopamina também interfere na cognição devido a essa relação com as emoções. 
Quando cai a dopamina, por uma falta de feedback ocorre um aumento da acetilcolina. A acetilcolina é 
um neurotransmissor que atua na placa neuromotora (sistema nervoso periférico) então quando 
aumenta a sua concentração, vai desenvolver um aumento de contração muscular e fará a rigidez 
característica do Parkinson. 
Por isso o tratamento inicial é com intuito de aumentar a concentração de dopamina, utilizando o 
medicamento levodopa (L-DOPA) que é um precursor metabólico da dopamina, então o neurônio 
dopaminérgico recebe esse medicamento em suas terminações pré-sinápticas e vai converter em 
dopamina por meio do mecanismo de descarboxilação. 
Também pode ocorrer a ingestão de agonistas dopaminérgicos e inibidores da monoaminoxidase 
(MAO) para aumentar a produção direta e em associação pode ser dado o anticolinérgico para diminuir 
rigidez do paciente.