A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
IntroduoaoEstudodosTecidos

Pré-visualização | Página 6 de 6

os adipócitos, e
por MEC com fibras reticulares.
Trata-se de um dos tecidos mais
abundantes do cor po,
correspondendo de 20 a 25% da
massa corpórea de mulheres e de
15 a 20% da massa de homens, em
pes soas com peso normal.
Adipócito
Figura 35. Tecido adiposo unilocular em corte de
epi glote. Fonte: Atlas digital de histologia básica –
UEL
Uma das principais funções desse te
cido é servir como depósito de ener
gia sob a forma de triglicerídeos.
Além disso, ele modela a superfície
corporal, absorve impactos, serve
como isolante térmico e ajuda na
manutenção da posição dos ór
gãos. Por fim, tem também função
secretora, eliminando principalmen
te a leptina, que é um hormônio que
participa da regulação da
quantidade de tecido adiposo por
influenciar na ingesta alimentar.
O tecido adiposo pode ser de dois ti
pos: unilocular ou multilocular. O te
cido adiposo unilocular, também
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 41
chamado de comum ou amarelo, é o
mais comum no organismo. É ele o
constituinte do panículo adiposo (ca
mada de tecido adiposo encontrada
sob a pele e distribuída
uniformemen te pelo corpo). Os
locais onde a gor dura pode vir a se
acumular são in fluenciados por
diversos fatores, tais como sexo,
idade, hormônios sexuais e
hormônios do córtex adrenal.
Suas células são grandes e contêm
somente uma gotícula de gordura
em cada. Essa gotícula ocupa quase
todo o citoplasma, fazendo com que
o núcleo fique comprimido na perife
ria celular. Esses adipócitos
possuem formato esférico se
isolados, mas, nos tecidos, se
apresentam como po liédricos
devido a compressão entre as
células adjacentes. Entre os adi
pócitos pode haver septos de tecido
conjuntivo, com fibras reticulares
que sustentam as células, além de
vasos e nervos.
Quando há jejum prolongado, des
truição ou alimentação deficiente em
calorias, é estimulada, pela noradre
nalina, a remoção dos lipídeos ar
mazenados. Uma vez que a gordura
é eliminada, os adipócitos assumem
forma poligonal ou fusiforme. Essa
eliminação dos depósitos
gordurosos
é progressiva: inicia-se nos
depósitos subcutâneos e depois
afeta os de pósitos abdominais
retroperitoneais e do mesentério.
Os coxins adiposos das mãos e dos
pés só são mobili zados após
situação de desnutrição muito
prolongada.
O tecido adiposo multilocular tam
bém pode ser chamado de tecido
adiposo marrom. Sua função básica
é a de geração de calor, sendo assim
característico dos animais que hiber
nam, portanto é muito restrito nos
se res humanos. Ele é encontrado
nos recém-nascidos, fase em que se
faz importante esse auxílio à
termorre gulação. Conforme o
indivíduo cresce, esse tecido não se
multiplica e, dessa forma, fica cada
vez menor em rela ção ao restante
da superfície corporal.
Suas células são menores,
poligonais e preenchidas não por
uma, mas por várias gotículas de
variados tama nhos. As células são
ricas em mito côndrias e
entremeadas por capilares, em um
arranjo denominado epitelioi de.
Essa estrutura é importante para
que o calor gerado por lipólise seja
transferido ao sangue adjacente ao
tecido e, então, distribuído pela cor
rente sanguínea.
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 42
Adipócito
unilocular
Adipócito
multilocular
Figura 36. Os dois tipos de tecidos adiposos, o unilocular e o multilocular, em corte de feixe vásculo-nervoso.
Fonte: Atlas digital de histologia básica – UEL
8. TECIDOS MUSCULAR E
NERVOSO
Para finalizar, abordaremos apenas
os aspectos gerais dos tecidos mus
cular e nervoso, a fim de compreen
der como funciona a interrelação
dos tecidos para a organização dos
ór gãos. Esses dois tipos teciduais
serão abordados individualmente
em ou tros materiais.
O tecido muscular tem por função
principal a produção de movimento.
Para tanto, suas células são alonga
das e possuem capacidade contrátil,
ou seja, podem encurtar seu compri
mento. Esse tecido possui uma quan
tidade moderada de MEC.
O tecido nervoso é caracterizado
pela presença de células com longos
prolongamentos e pela baixa quanti
dade de MEC. Sua principal função é
a transmissão de impulsos
nervosos.
43 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS
TECIDO
EPITELIAL
FUNÇÕES CARACTERÍSTICAS ESPECIALIZAÇÕES
TIPOS
FORMATO
POLIÉDRICO REVESTIMENTO
SUPERFÍCIE APICAL
EPITÉLIO
GLANDULAR
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO
Simples Proteção Microvilos
POUCA MATRIZ
EXTRACELULAR
Percepção de Estereocílios estímulos
Cílios
Flagelos
SECREÇÃO
SUPERFÍCIE
BASOLATERAL
Interdigitações
Junções intercelulares
Adesão
Impermeáveis
Comunicantes
Glândulas
exócrinas
Porção secretora
Tubulares
Enoveladas
Ramificadas
Acinosas
Ducto excretores
Simples
Compostas
Glândulas
endócrinas
Cordonais
Vesiculares
Ex: lúmen dos
vasos sanguíneos
Estratificado
Ex: epiderme
Pseudoestratificado Ex: traqueia
Formato da célula
Pavimentoso
Cúbico
Colunar
Transição
44 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS
TECIDO
CONJUNTIVO
CLASSIFICAÇÃO COMPOSIÇÃO FUNÇÕES
TECIDO CONJUNTIVO MEC SUPORTE ESTRUTURAL
PROPRIAMENTE DITO
Denso
Frouxo
TECIDO CONJUNTIVO DE SUPORTE
Cartilaginoso
Ósseo
TECIDO CONJUNTIVO COM PROPRIEDADES ESPECIAIS
Hemocitopoiético
Adiposo
Elástico
Reticular
Mucoso
Substância fundamental Fluido tissular
Sistema colágeno
Fibras colágenas
Fibras reticulares
Sistema elástico
CÉLULAS
Especializadas
Fixas
Transitórias
MEIO PARA TROCAS
RESERVA ENERGÉTICA
DEFESA E PROTEÇÃO DO
CORPO
Adipósitos
Catilaginoso
Condoblasto
Mesenquimais
Fibroblastos
Plasmócitos
Linfócitos
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS
Junqueira, Luiz Carlos e Carneiro, José.
Histologia básica. 12 ed. – Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan. 2013.
Gartner, Leslie P. e Hiatt, James L.
Tratado de histologia em cores. 3 ed.
– Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
Di Fiore, Mariano S. H. Atlas de
Histologia. 7 ed. – Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 1995.
De Andrade, Fábio Goulart e Ferrari,
Osny. Atlas digital de histologia
básica. 1 ed. – Lon drina: UEL, 2014.
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DOS TECIDOS 46