A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
ADULTO E IDOSO PT1

Pré-visualização | Página 1 de 2

@nutriuniversitaria.jADULTO E IDOSO
Avaliação Nutricional
Avaliação do estado nutricional de um indivíduo pode ser definida como o conjunto de ações e procedimentos que tem por objetivo, diagnosticar a magnitude, a gravidade e a natureza dos problemas nutricionais.
• Histórico médico, social, medicamentoso e nutricional; 
• Exame físico; 
• Medidas antropométricas; 
• Dados bioquímicos.
Estado nutricional
Equilíbrio entre ingestão de nutrientes e necessidade de nutrientes. 
Fatores que podem piorar ou melhorar a ingestão: Doença, fatores econômicos, Comp. alimentar, ambiente, emocional, meio ambiente, doença, Estresse fisiológico, problemas mecânicos. 
Necessidade: Infecção, doença, Febre ou estresse fisiológico, Crescimento, manutenção e bem-estar orgânico. 
 Desenvolvimento da Deficiência
 
 Compilação de dados = anamnese!
 Cuidado nutricional
Assistência nutricional + avaliação + Diagnóstico + Prescrição + Monitoramento da intervenção.
OBJETIVOS
Manter ou recuperar o estado nutricional do indivíduo;
 Prevenir as alterações nutricionais e/ou outras enfermidades; 
Contribuir no tratamento de patologias; Prevenir alterações nutricionais e/ou patológicas; 
Promover educação nutricional.
 Nutrition Care Process (NCP)
É um processo sistematizado e padronizado que contém 4 passos para identificar e tratar problemas nutricionais:
1. - Avaliação nutricional;
2. - Diagnóstico de Nutrição;
3. - Intervenção Nutricional;
4. - Monitoramento e aferição Nutricional
1 - obter, verificar e interpretar os dados necessários para identificar os problemas relacionados à nutrição, suas causas e significados. Envolve coleta de dados e análise contínua paciente: mudanças alimentares, estado nutricional e a eficácia da intervenção nutricional.
2 - Objetiva identificar e descrever um problema nutricional específico que pode ser resolvido ou melhorado através do ttº ou intervenção nutricional.
DOMÍNIO E DEFINIÇÕES DOS DIAGNÓSTICOS EM NUTRIÇÃO PADRONIZADOS
INGESTÃO: Problemas relacionados à ingestão de energia, nutrientes, líquidos e substâncias bioativas por via oral, sonda e parenteral. Excesso ou deficiência de um alimento ou nutriente, comparado à necessidades reais ou estimadas.
NUTRIÇÃO CLÍNICA: Achados/problemas nutricionais identificados, relacionados a condições clínicas ou físicas. 
COMPORTAMENTO/AMBIENTE NUTRICIONAL: Achados/problemas nutricionais identificados, relacionados ao conhecimento, atitudes/crenças, ambiente físico, acesso aos alimentos ou segurança alimentar.
P = problema
E = etiologia
I = indicador
DESCRIÇÃO: (Problema) _______________ associado a (Etilogia) ___________________, conforme evidenciado por (Indicadores nutricionais, de acordo com a avaliação) _____________________. Exemplo: Ingestão insuficiente de energia (P), associada a má dentição (E), conforme relato do familiar, história de emagrecimento involuntário de 4 Kg nos últimos 3 meses (I).
3 - Intenciona resolver ou melhorar o diagnóstico ou problema nutricional mediante aconselhamento, educação ou plano nutricional específico ou individualizado.
4 - Determinar e medir o progresso alcançado e se os objetivos/resultados esperados com a Nutrição estão sendo atingidos. 
 Avaliação Bioquímica ADULTOS
EXAMES LABORATORIAIS: como avaliar?
Comparar resultados do paciente com valores de referência (unidade de medida!). Atentar ao método utilizado pelo serviço/laboratório. 
Ficar atento a consensos e guidelines atualizados. 
Contextualizar resultados dos exames com a situação clínica atual.
VARIÁVEIS QUE PODEM AFETAR O RESULTADO DOS EXAMES:
Idade o Sexo
Jejum/Dieta 
Ritmos biológicos
Gestação o Medicamentos
TIPOS DE AMOSTRA:
Sangue total, soro e plasma 
Urina e fezes 
Saliva, suor e escarro 
Secreções diversas
PARTICULARIDADES NA INTERPRETAÇÃO DE EXAMES 
 Estado pós prandial: ↑ glicose, ferro, vit B12, fosfatase alcalina, lactose, insulina e ácidos biliares. 
Jejum > 48 horas: ↑ bilirrubina sérica, triglicerídeos. ↓ glicose, albumina e transferrina. 
+ Exercício, consumo de álcool, fumo etc.
1 )Avaliação hematológica
- Glóbulos vermelhos (ou hemácias ou eritrócitos). 
- Glóbulos brancos (ou leucócitos).
 - Plaquetas. 
2 ) Hemograma
- Principal ferramenta diagnóstica em hematologia.
Expressa as condições do sangue periférico num determinado momento; 
Avalia o número e a qualidade das células do sangue; 
É um dos exames mais solicitados para diagnóstico, avaliação clínica e acompanhamento de diversas patologias: Anemias, policitemias, infecções bacterianas e virais, leucemias.
O que tem no hemograma?
- Eritrócitos 
- Contagem total de hemácias 
- Hemoglobina (Hb)
 - Hematócrito (Hct): percentual de células vermelhas por volume de sangue (analisar em conjunto com Hb)
 - Volume corpuscular médio - VCM: tamanho das hemácias (classificação do tipo de anemia: micro ou macrocitose)
- Hemoglobina corpuscular média – HCM: Ajudam a identificar hipocromia ou hipercromia.
- Concentração de hemoglobina corpuscular média: CHCM 
- Medida de variação do tamanho das hemácias: RDW
 Funções das células no sangue
• Hemácias (eritrócitos/células vermelhas): transporte de oxigênio. 
• Leucócitos (células brancas): defesa contra vírus, bactérias e estruturas estranhas ao organismo (órgãos transplantados) 
• Plaquetas: manutenção da hemostasia.
ANEMIAS
Anemias microcíticas (VCM < 80 fl) abaixo/
Anemias normocíticas (VCM 80-100 fl) Anemias macrocíticas (VCM > 100fl)
Anemia: ↓ Hemoglobina 
< 13g/dL homens < 12 g/dL mulheres
ANEMIA MICROCÍTICA (VCM < 80 FL) 
· Hemoglobina diminuída
· VCM e HCM diminuídos
Causas mais comuns:
 Deficiência de ferro (nutricional, menstruação, absorção, pós gastrectomia, parasitoses).
Talassemias (genética)
ANEMIA NORMOCÍTICA
· Hemoglobina, hematócrito e eritrócitos diminuídos 
· VCM, HCM e CHCM: normais
Causas: 
Pós-hemorrágica agudas (trauma, cirurgia) Anemia de doença crônica (inicial)
ANEMIA MACROCÍTICA (MEGALOBLÁSTICA)
· Hemoglobina diminuída
· VCM e HCM↑ 
· Eritrócitos normal ou diminuído
Causas mais comuns:
Deficiência de ácido fólico 
Deficiência de Vit. B12
3) IMUNOCOMPETÊNCIA
Leucograma 
Neutrofilia – 
Ex.: Infecções bacterianas, leucemias e processos inflamatório
Eosinofilia – 
 Ex.: Parasitose e processos imunoalérgicos Monocitose – 
- Ex.: Sepse, tuberculose 
Reticulócitos 
- Avalia a produção medular das hemácias - Ex: Valores diminuídos em anemias carenciais 
Ex.: Valores aumentados na anemia hemolítica
Plaquetas 
- Trombocitose
 Ex: aumento na produção pós hemorragia 
 Trombocitopenia:
 Ex: destruição plaquetária
 DIABETES
Diabetes mellitus (DM) é entendido como um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que apresenta em comum a hiperglicemia, a qual é o resultado de defeitos na ação da insulina, na secreção de insulina ou em ambas.
- Teste de tolerância oral a glicose
 - Glicemia de jejum 
- Hemoglobina glicada 
- Perfil lipídico
 - Albuminúria
 - Função renal (ureia / creatinina / potássio / fósforo)
DOENÇA RENAL
insuficiência renal aguda ou crônica;
Secundária a doença de base (ex.: DM2, HAS)
FÍGADO
Função hepática 
- enzimas hepáticas: ALT e AST, GGT e FA
 - coagulação: tempo de protrombina (TP) e INR.
 EXAME FÍSICO ADULTOS 
Identificação de sinais e sintomas: conduta nutricional individualizada.
Antropometria
É a medida do tamanho corporal e de suas proporções , sendo utilizada para avaliar as composições corporal total e regional que podem refletir riscos para a saúde.
 Peso corporal (kg) 
 Altura (m ou cm) 
 Dobras cutâneas (mm) 
 Circunferências corporais (cm)
Peso:
· Solicitar retirar: sapatos, "roupas pesadas" (casacos, jaquetas, blusas grossas), acessórios (óculos, cinto, colares), objetos dos bolsos da calça, saia, camisa (celular, caneta, dinheiro, moedas, carteira, lenço, papéis). 
· Verificar se a balança está em superfície regular e firme. 
· Verificar a tara!
· Não deixar o equipamento sobre tapetes, carpetes etc.
Altura:
· Retirar os sapatos e as "roupas