A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Digestão e Absorção de Carboidratos, Proteínas e Lipídeos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Digestão e Absorção deDigestão e Absorção de
Carboidratos, Proteínas e LipídeosCarboidratos, Proteínas e Lipídeos
Inicia-se logo que penetra na boca.
Localizada ao longo da parte inferior da
maxila, secretam substâncias mucosas
lubrificantes que se combinam com as
partículas alimentares durante a
mastigação.
Ataca o amido e o reduz a moléculas
menores de glicose e maltose.
Quando a mistura "aliemento-saliva"
penetra no estômago mais ácido, a digestão
dos CHO é interrompida pois a amilase
salivar é desativada nas condições de baixo
PH.
No Intestido Delgado, o ambiente é alcalino
e encontra-se a enzima "amilase
pancreática" liberada pelo pâncreas.
Completa a hidrólise do amido para cadeias
menores de moléculas de glicose.
Os dissacarídeos são clivados em
monossacarídeos simples.
Enzimas específicas completam a digestão
dos CHO em monossacarídeos.
↪ Digestão dos CHO: 
↪ Glândulas Salivares: 
↪ Amilase Salivar (Ptialina): 
↪ Amilase Pancreática: 
Os monossacarídeos são absorvidos do
intestino delgado e lançados na corrente
sanguínea, sendo transportados por
capilares até a veia hepatoportal no
fígado.
Fígado (GLUT-2) remove a maior porção
de glicose e quase toda a frutose e
galactose absorvida.
A glicose residual é absorvida (insulina)
pelos tecidos periféricos. 
É um indicador baseado na habilidade da
ingestão do carboidrato (50g) de um dado
alimento elevar os níveis de glicose
sanguínea pós-prandial, comparado com
um alimento referência, a glicose ou o pão
branco. 
O corpo não absorve e digere todos os
carboidratos na mesma velocidade.
↪ Absorção dos CHO:
↪ Índice Glicêmico: 
Digestão dos carboidratos: ABSORCÃO DOS CARBOIDRATOS:
Alimentos de alto índice glicêmico (> 85)
Alimentos de moderado índice glicêmico (60-85)
Alimentos de baixo índice glicêmico (< 60) 
DIGESTÃO DAS PROTEÍNAS:
Eficiência digestiva extremamente alta,
apenas 1% aparece nas fezes. 
Inicia a digestão das proteínas no estômago.
Sua liberação é controlada pela Gastrina
(Aumenta a secreção de HCL- , baixando o
pH).
A baixa do PH, ocasiona:
Enzimas que hidrolizam ligações peptídicas
internas quebrando as proteínas em
fragmentos peptídicos cada vez menores.
↪ Enzima Pepsina (Gênio): 
1. Ativação da pepsina;
2. Mata os organismos patogênicos;
3. Acelera absorção de Ferro e Cálcio;
4. Inativa hormônios de origem animal e vegetal;
5. Desnatura as proteínas alimentares tornando-
se vulneréveis a ação enzimática.
↪ Endopeptidades: 
A pepsina é inativada no pH relativamente
alto do duodeno quando o quimo penetra
no intestino delgado.
As etapas finais da digestão protéica
ocorre no Intestino Delgado. Os
fragmentos peptídicos são desmantelados
pelas enzimas alcalinas do pâncreas e da
mucosa intestinal.
↪ Tripsinas (Gênio): (Endopeptidase) →
Tripeptídeos, dipeptídeos e aas simples.
↪ Exopeptidades: Enzimas que só agem nas
extremidades da molécula protéica, isto é, nas
primeiras ligações peptídicas, retirando o último
aminoácido da extremidade. 
↪ Carboxipeptidases: Secretada pelo pâncreas,
efetua a hidrólise somente na extremidade
carboxilada.
↪ Aminopeptidase: Secretada por células da
mucosa intestinal, efetua a hidrólise à partir da
extremidade amínica.
A capacidade do intestino delgado absorver aas e
proteínas na forma mais complexa argumenta
CONTRA a importância de ingerir suplementos de
aas simples hidrolisado e “pré-digeridos” para
facilitar a disponibilidade de aas.
DESTINO DOS AMINOÁCIDOS:
As células usam apenas a quantidade de
aminoácidos necessários ao suprimento de
proteína. Elas NÃO podem estocar
aminoácidos em quantidades expressivas.
O corpo humano não consegue estocar o
excesso de Nitrogênio, não conseguindo
portanto estocar grandes quantidades de
aminoácidos isolados.
Proteína do alimento
Qtde de aa's no
sangue e nos fluidos
corporais
Síntese 
Tecidos corporais
Hormônios
Enzimas 
AnticorposDegradação 
Desaminação (fígado) 
Nitrogênio Resíduo de C
Uréia
(excreção)
Carboidratos
Gorduras
DIGESTÃO DOS LIPÍDEOS:
Começa na boca:
Secretada pela boca.
Digere principalmente os ácidos graxos
saturados de cadeia curta (4 a 6 C) e os de
Cadeia média (8-10 C).
Trabalha com a lipase lingual para continuar
hidrolisando uma pequena quantidade de
ácidos graxos de cadeias curtas e médias
que contém triglicerídeos. 
↪ Enzima "Lipase Lingual Àcido-Estável":
↪ Estômago: 
↪ Instestino Delagado: 
Quando o Quimo deixa o estômago e
penetra no intestino delgado → Ativação
da Bile → Emulsificação → Redução da
tração entre as moléculas de triglicerídeos
→ Aumento da superfície de contato
entre as moléculas lipídicas e a enzima
hidrossolúvel “Lipase Pancreática”. 
Degrada os triglicerídeos em
monoglicerídeos (ácido graxo + glicerol) e
ácidos graxos.
O Intestino absorve mais facilmente os
monoglicerídeos.
↪ Enzima "Lipase Pancreática":