A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Resumo Imunologia - Farmacologia

Pré-visualização | Página 2 de 2

de 
purina, a 6-MP, lentamente liberado à medida que 
AZA reagem de modo não enzimático com 
compostos sulfídricos. A liberação lenta de 6-MP 
favorece a imunossupressão. Possui elevada 
absorção no TGI e metabolização hepática mediada 
pela xantino oxidase 
o Fármacos que interferem na concentração da 
AZA → Alopurinol: a eficiência e toxicidade são 
potencializadas numa coadministração, uma 
vez que permite uma redução da dose de 6-MP 
em até dois terços. O Alopurinol inibe a xantino 
oxidase, impedindo, assim, a oxidação da 6-MP 
a seu metabólito inativo 
 
INIBIDORES ESPECÍFICOS DA SINALIZAÇÃO 
DOS LINFÓCITOS 
CICLOSPORINA: 
A CsA inibe a produção de IL-2 pelas células T ativadas. 
Atua por meio da ligação à ciclofolina, formando um 
complexo que se liga à calcineurina, inibindo sua 
atividade de fosfatase. Ao inibir a desfosforilação do 
FNTA, a CsA impede a translocação do FNTA para o 
núcleo, portanto, suprime a produção de IL-2 
Normalmente: a estimulação das células T aumentam o 
nível de Ca2+ e este ligado a calmodulina ativa a 
desfosforilação mediada pela calcineurina do FNTA, o 
qual é ativado e transferido para o núcleo, onde induz 
a transcrição do gene IL-2 
Graves efeitos adversos: nefrotoxicidade, hipertensão, 
hiperlipidemia, neurotoxicidade e hepatoxicidade 
 
Prednisona (pró-fármaco), Prednisolona (ativo), 
Metilprednisolona e Dexametasona 
IMUNOLOGIA – FARMACOLOGIA (Golan) Gabriela Chioli Boer – T9 
INIBIDORES DO MTOR 
SIROLIMO (OU RAPAMICINA) 
Liga-se à FKBP (intracelular) bloqueando a sinalização 
do receptor de IL-2, necessária para proliferação de 
células T. o complexo sirolimo-FKBP liga-se ao alvo 
molecular da mTOR e o inibe, com isso inibe a síntese 
de proteínas e interrompe a divisão celular na fase G1 
Possui baixa absorção no TGI (atenção aos alimentos 
gordurosos) e metabolização hepática pela CYP3A4 
Efeitos adversos: hiperlipidemia, leucopenia, 
trombocitopenia, anemia, úlceras orais e aumento do 
colesterol e triglicérides 
DEPLEÇÃO DE CÉLULAS IMUNES 
ESPECÍFICAS 
Anticorpos utilizados como alvo depletam células 
reativas do sistema imune 
 
ANTICORPOS MONOCLONAIS 
OKT3: dirigido contra a CD3 humana, que é importante 
na ativação do receptor de células T. o tratamento com 
OKT3 causa depleção do reservatório disponível de 
células T pela ativação do complemento mediada pelo 
anticorpo e remoção dos imunocomplexos 
Como o OKT3 é dirigido contra todas as células T, o 
tratamento pode resultar em imunossupressão 
profunda, mas transitória, já que os níveis normalizam 
em 1 semana após interrupção. Além disso, essa terapia 
pode também ativar amplamente as células T 
resultando em uma síndrome de liberação de citocinas 
Outra limitação é que o OKT3 pode induzir a produção 
de anticorpos contra regiões do OKT3 específicas, o que 
reduziria a eficácia do fármaco 
INIBIÇÃO DAS CITOCINAS 
INIBIDORES DO TNF-Α 
Macrófagos, mastócitos e células Th ativadas 
(principalmente Th1) secretam TNF- α, a qual estimula 
a produção de metabólitos citotóxicos pelos 
macrófagos, aumentando, assim, a atividade fagocítica, 
além dessa citocina estimular a produção de proteínas 
da fase aguda 
IMUNOLOGIA – FARMACOLOGIA (Golan) Gabriela Chioli Boer – T9 
Demonstra eficácia terapêutica nas doenças de artrite 
reumatóide, psoríase e doença de Crohn 
Funções propostas do TNF na artrite reumatóide: o TNF 
é secretado por macrófagos ativados na articulação 
acometida. Em primeiro lugar, o TNF ativa as células 
endoteliais a suprarregular a expressão de moléculas de 
adesão e a sofrer outras alterações que promovem 
adesão e diapedese dos leucócitos. Em segundo lugar, o 
TNF exerce efeito de retroalimentação positiva sobre 
monócitos e macrófagos, promovendo a secreção de 
citocinas (IL-1), que junto do TNF estimula os 
fibroblastos sinoviais a aumentar a expressão de 
mataloproteases da matriz, prostaglandinas e citocinas, 
que degradam a cartilagem articular. 
Todos os pacientes devem ser submetidos a triagem 
para tuberculose antes de iniciar o tratamento, dado 
risco aumentado de reativação da tuberculose latente. 
Todo paciente que adquire infecção durante uso de 
inibidor de TNF-α deve ser submetido a avaliação e 
antibioticoterapia agressiva 
 
Etanercepte (dímero do receptor de TNF solúvel); 
Infliximabe, Adalimumabe e Golimumabe (são 
anticorpos monoclonais anti-TNF-α