A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Sociologia Geral - Emile Durkheim - Fato social, solidariedade orgânica e tipologia do suicídio

Pré-visualização | Página 2 de 2

o indivíduo pode exigir da coletividade mais do que esta pode lhe dar. É preciso portanto uma disciplina que só a sociedade pode impor."
2.2. HIPÓTESE DE DURKHEIM: Caso consiga provar que o suicídio, um ato que é o ápice do individualismo, é determinado por pela sociedade, estará provado que os fatos sociais independem do aspecto individual.
2.3. ESTRUTURA DA OBRA: rigor acadêmico = definição do fenômeno estudado / refutação de interpretações anteriores / estabelecimento de uma tipologia/ definição de uma teoria geral sobre o fenômeno.
2.4. DEFINIÇÃO: "Suicídio é todo caso de morte provocado direta ou indiretamente por um ato positivo ou negativo realizado pela própria vítima e que ela sabia que devia provocar esse resultado."
- ATO POSITIVO: disparo de um revolver contra o corpo (suicídio direto).
- ATO NEGATIVO: Greve de fome, permanência em um edifício em chamas (suicídio indireto). 
2.5. OBJETO DO SOCIÓLOGO: taxa de suicídio global (não o suicídio como caso isolado).
- Não há causas psicológicas relevantes para o sociólogo.
- Para o sociólogo, a força que determina o suicídio é social.
- Predisposição individual X Determinação social.
- Nega o fenômeno de imitação social.
- Três fenômenos distintos são confundidos com a imitação:
* Fusão de consciências: Ex.: Espírito de Corpo.
* Adaptação do indivíduo à coletividade: Ex.: códigos da moda.
* Imitação: ato compulsório / irrefletido. Ex.: tosse/bocejar.
2.6. TIPOLOGIA DO SUICÍDIO: três correntes suicidógenas
1. SUICÍDIO EGOÍSTA:
Indivíduos que não toleram os limites sociais imperativos. Sentem-se áticos diante das demandas sociais. Pensam em si como desvinculados e/ou superiores à sociedade. 
2. SUICÍDIO ALTRUÍSTA:
Indivíduos que se diluem de maneira total na sociedade, colocando sua função social acima do sentido de preservação pessoal. 
3. SUICÍDIO ANÔMICO:
- Mais característico da sociedade contemporânea.
- Reflexo da crise da sociedade contemporânea, definida pela desintegração social e pela debilidade dos laços que prendem o indivíduo ao grupo.
- Reflexo de um contexto social no qual a existência social não é pautada pelos costumes (imperativos).
- Não se sentem superiores à sociedade. Sua frustração vem de não conseguirem se sentir pertencentes à sociedade de forma positiva.
- O suicídio egoísta é um grito de liberdade em relação ao caráter impositivo da sociedade.
- O suicídio anômico é a frustração e/ou irritabilidade máxima, o reconhecimento da incapacidade de cumprimento do papel social que é visto pelo suicida como algo positivo.
"(...) Durkheim indica que as sociedades modernas apresentam certos sintomas patológicos, principalmente a insuficiente integração do indivíduo na coletividade. O tipo de suicídio que, sob este ponto de vista interessa mais a Durkheim é o que ele chama de anômico. É a causa do aumento da taxa de suicídio nos períodos de crise econômica e também em períodos de prosperidade, isto é, em todos os casos em que se produz um exagero da atividade e uma ampliação das trocas e das rivalidades. Estes fenômenos são inseparáveis das sociedades em que vivemos, mas, a partir de um certo limiar, tornam-se patológicos."
2.7. SOLUÇÃO:
- Adoção da disciplina que somente a divisão social do trabalho e as profissões (corporações) podem criar no indivíduo.
- O homem precisa ser disciplinado em suas paixões irrefreáveis por uma força superior, autoritária e digna de ser amada = a própria sociedade.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.