A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
CLASSIFICAÇÃO DAS DOENÇAS PERIODONTAIS

Pré-visualização | Página 1 de 2

Classificação das Doenças Periodontais 
Periodontite 
 
Lesão inflamatória 
Migração apical do epitélio juncional 
Perda de tecido conjuntivo de inserção 
Perda de osso alveolar 
 
 
Doenças Periodontais Necrosantes 
 
- Gengivite necrosante 
- Periodontite necrosante 
- Estomatite necrosante 
 
Doenças periodontais agudas 
Três caraterísticas típicas: 
Dor, sangramento, ulceração papilar 
 
As doenças periodontais agudas tem: 
- Início rápido 
- Envolvem periodonto ou estruturas associadas 
- Presença de dor ou desconforto 
- Destruição tecidual e infecção 
 
Presença de dor: principal sintoma que irá indicar a URGÊNCIA em periodontia 
Exige pronto diagnóstico e tratamento 
 
- Representam as condições mais severas associadas ao biofilme dentário, levando à destruição tecidual 
muito rápida 
- Possível progressão para outras lesões orais 
- Envolvimento sistêmico grave 
Condições agudas 
 Alana Mendes – Odontologia – Clínica de Periodontia 
 
Avaliação e diagnóstico 
 
Gengivite necrosante (GN) 
Periodontite necrosante (PN) 
Estomatite necrosante (EN) 
 
 
 
Gengivite necrosante irá acometer mais os tecidos gengivais, presença de placas esbranquiçadas 
(dificuldade de comer, presença de dor) 
Gengivite necrosante perda de inserção, aréas de perda óssea significativa e em rápida progressão 
Estomatite necrosante presente no palato, ultrapassando mucosa alveolar 
 
Prevalência 
 
População em geral atendida em clínicas odontológicas: 0,51 a 3,3%; 
Militares: prevalência e incidência maiores perto do final da 2ª Guerra Mundial (3,96- 20,6%) do que em 
estudos mais recentes (0,19-6,19%) BOCA DE TRINCHEIRA 
Estudantes: 0,9 a 6,7%. 
 
Pacientes com HIV/AIDS: 
GN: 10,1–11,1% 
PN: 0,3 a 9,0% 
Crianças - 2,2‐5,0% 
Adultos com HIV: 
GN: 0,0–27,7% 
PN: 0,3–9,0% 
 
Etiologia e fatores de risco - fatores predisponentes 
• Infecção pelo vírus HIV e AIDS 
• Outras condições sistêmicas 
• Desnutrição 
• Estresse psicológico e sono insuficiente 
• Higiene oral inadequada, gengivite pré-existente e história anterior de DPN 
• Tabagismo e consumo de álcool 
• Idade jovem e etnia 
 
Etiologia e fatores de risco - microbiologia 
• Etiologia bacteriana 
• Espiroquetas 
• Bactérias fusiformes 
• Prevotella intermedia 
• Treponema 
• Selenomonas 
• Fusobacterium 
 
Infecção pelo vírus HIV/AIDS 
DPN mais frequente e progressão mais rápida 
Maior risco de evoluir para lesões mais graves (PN e EN) 
Maior tendência para recorrência da doença 
Fraca resposta à terapia 
 
Desnutrição 
Importante fator predisponente, especialmente em países em desenvolvimento 
Redução acentuada nos principais nutrientes antioxidantes 
Resposta de fase aguda alterada contra a infecção 
 
Estresse psicológico e sono insuficiente 
Períodos de estresse: resposta imune alterada 
 
Higiene oral inadequada, gengivite pré-existente e história anterior de DPN 
Acúmulo de placa: fator predisponente 
Agravado pela limitada escovação dentária por causa da dor 
 
Tabagismo e Etilismo 
A maioria dos pacientes adultos com DPN é tabagista 
Consumo de álcool: associado aos fatores fisiológicos e psicológicos que favorecem 
 
Idade jovem e etnia 
Jovens (15-34 anos de idade) de países desenvolvidos 
Maior risco de DPN 
Combinação com outros fatores predisponentes 
Crianças de países em desenvolvimento 
Maior risco 
Normalmente associado à desnutrição e outras infecções 
 
Gengivite Necrosante 
 
Necrose nas papilas 
O diagnóstico será baseado nos achados clínicos 
Achados mais relevantes: 
- Necrose e úlcera na papila interdental 
- Sangramento gengival 
- Dor 
- Formação de pseudomembrana (esbranquiçada) 
- Formação de crateras interproximais 
- Halitose 
 
Sinais extraorais 
 
 
Adenopatia (palpação de linfonodos no exame extra oral) 
Febre 
Em crianças: 
Menor frequência de dor e halitose 
Maior frequência de febre, adenopatia e sialorréia 
 
Tratamento 
 
INICIAL 
- Remover os indutos com pelota de algodão e soro/clorexidina/água oxigenada 
- Orientar higiene bucal 
- Prescrever bochechos 
• Clorexidina - 0,12%, 15 mL, 12 /12 H 
• Água oxigenada - 3% / água morna – 1:1 
 
- Antibióticos sistêmicos (quando o paciente está sem melhora) 
- Resposta mínima a terapia mecânica 
- Doenças sistêmicas associadas 
- Febre, mal-estar e prostração 
• Metronidazol (prescrição): 
• 400 mg 3x/dia – 7 dias 
• 250 mg 4x/ dia – 7 dias 
 
- Antibióticos sistêmicos 
• Usados com CAUTELA em pacientes com HIV/AIDS devido às 
infecções fúngicas 
• Associar antimicóticos (nistatina) 
 
2ª SESSÃO DO PACIENTE 
- Observar o paciente, sua higiene, realizar raspagem, etc... 
Verificar as condições bucais 
Orientar higiene e se necessário, fazer raspagem 
 
3ª SESSÃO DO PACIENTE 
- Sessão de acompanhamento 
Tratar a gengivite 
IHB e raspagem 
Reavaliação 
Manutenção 
 
Diagnóstico diferencial 
 
Gengivoestomatite herpética primária ou recorrente 
Manifestações orais que imitam as lesões da DPN 
Abrasão pela escova de dentes 
 
 
 
 
 
 
 
Gengivoestomatite herpética primária 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Periodontite Necrosante 
 
Perda de inserção 
Destruição óssea 
Sinais extra-orais mais frequentes 
Sequestro ósseo 
Pacientes com sistema imune seriamente comprometido 
 
 
 
 
 
 
 
Resultado de um ou vários episódios de GN 
Resultado de GN em um local previamente afetado por periodontite 
Presença de bolsas periodontais 
 
Tratamento 
 
Semelhante ao da GN 
Evitar cirurgias em indivíduos HIV + 
Restabelecer condições anatômicas compatíveis com a a manutenção da saúde periodontal 
Remoção dos fatores predisponentes 
 
Estomatite Necrosante 
 
Exposição óssea se estende através da mucosa alveolar 
Maiores áreas de osteíte e sequestro ósseo 
Pacientes com grave comprometimento sistêmico 
Portadores de HIV/AIDS, desnutrição severa 
 
 
 
 
 
 
 
Periodontite com manifestações sistêmicas 
 
- Influenciam o curso da periodontite 
Doenças raras. 
Apresentação precoce de periodontite severa 
Exemplo: 
• Síndrome de Papillon Lefevre 
• Deficiência de adesão de leucócitos 
• Doenças comuns 
• Diabetes 
 
- Afetam os tecidos periodontais de suporte independentemente da inflamação induzida pelo biofilme da 
placa dentária 
Exemplo: 
• Carcinoma de células escamosas 
• Histiocitose de células de Langerhans 
 
- Desordens sistêmicas que apresentam um grande impacto na perda dos tecidos periodontais por 
influenciar a infamação gengival 
 • Desordens genéticas: 
• Doenças associadas com desordens imunológicas 
• Doenças que afetam a mucosa oral e o tecido gengival 
• Doenças que afetam o tecido conjuntivo 
• Desordens metabólicas e endócrinas 
• Doenças de imunodeficiencia ̂ adquirida 
• Doenças inflamatórias 
 
- Outras desordens sistêmicas que influenciam a patogênese das doenças periodontais 
- Desordens sistêmicas que podem resultar em perda dos tecidos periodontais independente de 
periodontite 
 
Periodontite 
 
 
 
 
 
 
Perda de inserção clínica – causas não periodontais 
 
1.Recessão gengival de origem traumática 
2.Cáries extendendo-se até a região cervical do dente 
3.Presença de PIC na face distal do 2° molar e associada a má posição ou extração do 3° molar 
4.Lesão endodôntica drenando através do periodonto marginal 
5.Presença de fratura radicular vertical. 
 
 
 
 
 
 
 
 
RECESSÃO GENG. DE 
ORIGEM TRAUMÁTICA 
CÁRIE EXTEND. ATÉ A 
REGIÃO CERV. D/ DENTE 
PRESENÇA DE PIC NA FACE 
DISTAL DO 2ºM E ASSOCIADA A 
MÁ POSIÇÃO MARGINAL 
LESÃO ENDODÔNTICA 
DRENANDO ATRAVÉS DO 
PERIODONTO MARGIAL 
PRESENÇA DE FRATURA 
RADICULAR VERTICAL