A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
A LÍNGUA ESCRITA E A ORALIDADE NO CONTEXTO DO TEXTO LITERÁRIO

Pré-visualização | Página 2 de 2

perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC): “Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto dessas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p. 137 - dez. 2017).
 Explicar aos alunos que, no decorrer da aula, ocorrerá a leitura de um texto de cordel e que eles devem estar atentos para descobrir como funciona a concordância entre certas palavras, tanto na fala quanto na escrita. Levantar alguns conhecimentos prévios dos alunos sobre o tema Concordância Nominal, levando os alunos a refletir sobre os diferentes sentidos do verbo concordar para que, no decorrer da aula, eles descubram o princípio fundamental que rege a concordância entre o nome (substantivo) e os seus determinantes (artigos, pronomes, numerais, adjetivo), em gênero e número. Iniciar a aula perguntando aos alunos: O que significa concordar com algo ou com alguém? Registrar no quadro as respostas dadas por eles, como: “Concordar significa aceitar, admitir, permitir, combinar, apoiar, aprovar” etc.
	Recursos: Computador conectado à internet; projetor multimídia; tela; quadro.
	Avaliação: A avaliação ocorrerá de forma direta, observando a participação e o desempenho dos alunos durante as atividades propostas.
	Referências: ABCL. Disponível em: http://www.ablc.com.br Acesso em: 04 ago. 2021.
AULETE. Gramática. Disponível em: http://www.aulete.com.br/site.php?mdl=gramatica Acesso em: 04 ago. 2021.
PENSADOR. Bráulio. Disponível em: https://www.pensador.com/busca.php?q=braulio Acesso em: 04 ago. 2021.
PLATAFORMA do letramento. Ortografia reflexiva e caminhos entre letras e sons. Disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-especial/872/ortografia-reflexiva-caminhos-entre-letras-e-sons.html Acesso em: 04 ago. 2021.
considerações finais
A relação da oralidade com a escrita é complexa, ocasionando assim diversas problemáticas no ensino da língua, a problemática abordada aqui foi apenas uma entre as mais de centenas que essa relação proporciona. É necessário que se façam mais estudos relacionados a essa questão, pois, apesar de já existirem bastantes trabalhos da sociolinguística relacionados com o tema, ainda há dificuldade em encontrar teóricos que trabalhem a problemática da língua escrita e a oralidade no contexto do texto literário.
A abordagem aqui elaborada, demostrou que existe uma sistematização da língua escrita decorrentes da influência da oralidade encontrados nos anos finais do Ensino Fundamental. Com base nos conhecimentos publicados o profissional empenhado em intervir na realidade exposta, poderá aplicar os métodos de ensino da língua, em sala de aula e com isso desenvolver ainda mais as práticas pedagógicas sugeridas.
O estudo demonstrou que é possível compreender a língua escrita e a oralidade e que se ocorrem com as mesmas características entre diferentes alunos e até regiões do país, é porque eles são sistemáticos e por isso é necessário elaborar práticas pedagógicas também sistemáticas para que essa problemática seja combatida.
REFERÊNCIAS
ARAÚJO, Karin E.F. Um estudo da manifestação da oralidade em produções escritas de alunos. Dissertação de Mestrado a Universidade de São Paulo. 2009.
BRASIL. Ministério da Educação. BNCC - Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.
MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2001.
MATTA, Sozângela S. Português – Linguagem e Interação. Curitiba: Bolsa, 2009.
MOLLICA, Maria Cecília. Da Linguagem Coloquial à Escrita Padrão. Rio de Janeiro: 7Letras, 2003.
OLIVEIRA, Ana Maria Urquiza de. Entendendo o trabalho colaborativo em educação e revelando seus benefícios A presença da oralidade na literatura: estudo de crônicas de Luís Fernando Veríssimo. RILP - Revista Internacional em Língua Portuguesa - n.º 36 – 2019. Disponível em: file:///D:/Downloads/107-Article%20Text-364-1-10-20200806%20(1).pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.
SILVA, Ana Claudia Perpétuo de Oliveira da. et. Al. Relações entre a oralidade e a escrita com a literatura clássica infantil na construção da realidade social. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 13, n. 2, jul./dez. 2017. Disponível em: file:///D:/Downloads/430-3861-1-PB%20(3).pdf. Acesso em: 03 ago. 2021.
SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 6ª Ed. São Paulo: Contexto, 2011.
VERISSIMO, Luís Fernando. Mais comédias para ler na escola. Apresentação e seleção de Marisa Lajolo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2008 – trechos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.