Experimento 01 - Colisões
9 pág.

Experimento 01 - Colisões


DisciplinaLaboratório de Física II467 materiais1.466 seguidores
Pré-visualização2 páginas
0,92
	0,32
	1,29
	3,14
	1,754
	S\u2082
	44,50
	45,80
	45,30
	46,00
	47,60
	45,840
	Desvio S\u2082
	2,92
	0,09
	1,18
	0,35
	3,84
	1,676
	Com relação à conservação de momento linear no eixo x, a soma da quantidade de momento das bolinhas que assumiram a trajetória 01 (direita) e a 02 (esquerda) após a colisão deve ser nula. Teoricamente, seguindo a seguinte fórmula:
	Onde: <x> representa a média das coordenadas de x, medidas a partir do canhão; 01 representa direita e 02 representa esquerda.
	Substituindo os valores encontrados através das medições:
	Assim, encontramos um desvio percentual dado por:
	Já com relação à conservação de momento linear no eixo y a soma da quantidade de momento das bolinhas que assumiram a trajetória 01 (direita) e a 02 (esquerda) após a colisão deve ser igual ao momento linear do lançamento que efetuamos com uma bolinha sem ocorrer colisão, pois neste caso existe apenas a componente em y.
	Onde: P\u2080 é o momento linear do lançamento que efetuamos com uma bolinha sem ocorrer colisão; v\u2080 é sua respectiva velocidade; 01 representa direita e 02 representa esquerda.
	Onde: <y> representa a média das coordenadas de y; S\u2080 representa a média das distâncias alcançadas dos lançamentos sem colisão; 01 representa direita e 02 representa esquerda.
		Cancelando as massas e os tempos de voo da equação anterior:
	Assim, encontramos um desvio percentual dado por:
	Uma provável explicação para a diferença dos valores dos desvios com relação à x e a y deve estar relacionada ao ajuste do centro de massa em relação ao ponto de colisão.
Conclusões
A partir dos resultados obtidos através do experimento, concluímos que na colisão unidimensional tanto a energia cinética quanto o momento linear são conservados (colisão elástica). Os desvios ficarão dentro dos padrões aceitáveis, exceto na colisão 03 (em que acrescentamos 60g no flutuador 02) em que houve uma discrepância se comparada com os outros resultados, isso se deve a erros experimentais tais como, imperícias humanas e condições ambientais.
Na colisão bidimensional notamos que o momento e a energia cinética foram conservados e os desvios apresentaram valores razoáveis dentro das condições experimentais.