biotec 09.05.11
6 pág.

biotec 09.05.11


DisciplinaBiotecnologia da Reprodução Animal77 materiais472 seguidores
Pré-visualização2 páginas
de 2 grupos de células muito especificas, uma célula doadora e outra célula receptora. 
Célula totipotente, é a célula que dá origem a qualquer tecido. É uma célula muito primitiva. 
Eu poderia fazer o seguinte:
Pegar uma célula de medula, fibroblasto, 
Quanto mais vc passa, mais vc homogeniza e purifica esse grupo de células, uma vez feito isso vc vai partir pra retirada do núcleo, que é quando ela está em metáfase. Quando a célula vai se dividir, o núcleo vai pro pólo da célula, e ai ela se divide. É então nessa fase quando tem 1 núcleo só e ela está no pólo, que é quando ela está prestes a dividir, porque vc vai aspirar isso, então se ela tiver no meio da célula, vc machuca muito a célula pra chegar até o núcleo e tirar. 
Quando vc pega o núcleo que te interessa, vc vai com a micropipeta, segura de um lado e vem com uma agulha e aspira fora. 
Quando vou colocar o núcleo na célula, eu abro outro local, e ai eu tenho que fechar esses 2 locais que ficaram abertos (um que eu tirei o núcleo e a outra que eu coloquei o núcleo que eu queria). Vou então colar as 2 membranas, com um choquezinho, ela despolariza e repolariza, e quando ela repolariza ela fecha o buraco, porque o buraco que vc abriu é muito pequeno. 
Na célula da fileira abaixo, eu pego uma outra célula que é o ovulo, que tem condição de se multiplicar rapidamente, é a única célula que tem capacidade de multiplicação intrínseca. Pra servir de casca do nosso clone é um óvulo, ou melhor ainda, um ovo, que o ovo é fecundado. Quem faz o start do ovulo pra ele começar a se multiplicar é o SPTZ, que leva com ele algumas substancias que faz com que esse citoplasma se ative e comece a fazer a multiplicação do núcleo. Esse ovo já teve estimulo do SPTZ e vc tira o núcleo dele. O único problema é se tiver um fragmento do SPTZ que não chegou no núcleo ainda, e não retira todo o material genético, com isso vc não tem 99,9%, mas ai passa a ter 99%. 
Mas posso usar também o ovulo, mas o ovulo eu tenho que ativar ele, já o ovo não, o ovo já está ativado. 
Uma vez fazendo isso, é um embrião igual ou mais sensível do que FIV. Depois tem que fazer tudo depois igual de FIV. 
O embrião por clone não passa por mórula, etc. ele de mórula já pula pra blastocisto expandido, porque ele já tem uma cicatriz. Ela rompe e ai ela eclode, o qual é o blastocisto expandido, sem a camada que protege o embrião.
Clonagem 
- Clone natural: clone bacteriano. 
O que vamos fazer é multiplicar muitas vezes a mesma bactéria e elas são geneticamente iguais aos subprodutos das outras bactérias.
- Clone em vegetais: cana
Tem o broto de germinação, tem as raízes primitivas onde a gema de brotação é onde vai ter todo o material genético da planta, que vai buscar alimentos no solo. 
Quando a planta brota, ela passa a brotar vários brotos da mesma região (que antes era só uma)
Outro objetivo da clonagem animal:
Faço o clone porque tenho preservação de espécies ameaçadas de extinção.
Na clonagem industrial agente quer o mais homogêneo possível. 
Os rebanhos nas grandes fazendas estão crescendo muito e estão ficando cada vez mais mecanizado. Por isso quero lotes mais homogêneos.
É a ordenha voluntaria, quando começa a pesar a teta ela entra, com isso a maquina reconhece, coloca tudo direitinho, faz pós dipping e etc. por isso precisamos de animais mais ou menos do mesmo tamanho.
Híbridos
Não são clones, são estéreis em geral. Temos a mula e o burro, que são filhos de cruzamento de égua com jumento. Cavalo com a jumenta: dá o bardoto. 
Temos o javali com o porco, mas é fértil. 
Jumento com zebra: só ocorre em zoológico, é estéril também. 
Tigre com leão, onça com leão, etc. dá um animal estéril.