A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
73 pág.
ENFERMAGEM-EM-TERAPIA-INTENSIVA-NEONATAL-6

Pré-visualização | Página 1 de 15

1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
SUMÁRIO 
1 INTRODUÇÃO ................................................................................... 4 
2 ASPECTOS ÉTICOS EM UTI NEONATAL ........................................ 5 
2.1 A Enfermagem e a bioética ......................................................... 6 
3 UNIDADE NEONATAL....................................................................... 8 
3.1 Organização estrutural física da UTI neonatal – UTIN .............. 10 
3.2 Recursos humanos em uma UTIN ............................................ 13 
4 HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM ............... 15 
5 O RECÉM-NASCIDO E A ADMISSÃO NA UTIN ............................. 17 
5.1 Estrutura .................................................................................... 18 
5.2 Procedimentos para admissão do RN ....................................... 19 
5.3 Precauções gerais na unidade neonatal .................................. 22 
5.4 Precauções específicas ............................................................. 23 
5.5 Apresentação da incubadora ..................................................... 24 
6 ENFERMAGEM EM UTI NEONATAL .............................................. 26 
6.1 Avaliação e classificação do recém-nascido ............................. 27 
6.2 Classificação de risco neonatal ................................................. 29 
6.3 Cuidados e manejos individualizados........................................ 30 
7 CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO RN PRÉ-TERMO ................... 31 
7.1 História e exame físico do recém-nascido (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 
2014) 31 
7.2 Controle térmico (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2014) ................... 40 
7.3 Tubo digestivo e anexos ............................................................ 46 
7.4 Rotina de banhos ...................................................................... 47 
7.5 Administração da vitamina k1 (kanakion) .................................. 48 
7.6 Punção venosa (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2014) .................... 48 
 
3 
 
7.7 Preparo da medicação .............................................................. 50 
7.8 Cuidados de enfermagem com o recém-nascido em fototerapia. 
(MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2014) ................................................................. 51 
7.9 Oximetria de pulso .................................................................... 53 
7.10 Atendimento de enfermagem ao recém-nascido em apneia .. 55 
7.11 Atendimento de enfermagem na reanimação e intubação neonatal
 56 
7.12 Aspiração das vias aéreas superiores (VAS) ......................... 58 
7.13 Lavagem gástrica ................................................................... 60 
7.14 Cuidados na instalação da nutrição parenteral (NPP) ........... 61 
8 ATENÇÃO HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO DE BAIXO PESO: 
MÉTODO CANGURU ...................................................................................... 62 
8.1 Conceito .................................................................................... 63 
8.2 Aplicação ................................................................................... 64 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................... 70 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
1 INTRODUÇÃO 
Prezado aluno! 
O Grupo Educacional FAVENI esclarece que o material virtual é semelhante ao 
da sala de aula presencial. Em uma sala de aula, é raro , quase improvável, um 
aluno se levantar, interromper a exposição, dirigir-se ao professor e fazer uma 
pergunta, para que seja esclarecida uma dúvida sobre o tema tratado. O comum é 
que esse aluno faça a pergunta em voz alta para todos ouvirem e todos ouvirão a 
resposta. No espaço virtual, é a mesma coisa. Não hesite em perguntar, as perguntas 
poderão ser direcionadas ao protocolo de atendimento, que serão respondidas em 
tempo hábil. 
Os cursos à distância exigem do aluno tempo e organização. No caso da nossa 
disciplina é preciso ter um horário destinado à leitura do texto base e à execução das 
avaliações propostas. A vantagem é que poderá reservar o dia da semana e a hora que 
lhe convier para isso. 
A organização é o quesito indispensável, porque há uma sequência a ser 
seguida e prazos definidos para as atividades. 
 
Bons estudos! 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
2 ASPECTOS ÉTICOS EM UTI NEONATAL 
 
Fonte: redehumanizasus.net 
Ao conceituar Ética como disciplina, Fortes (1998 apud NETO; SILVA; 
ARAÚJO, 2007) refere-se à reflexão crítica sobre o comportamento humano, reflexão 
que interpreta, discute, problematiza e investiga os valores, princípios e o 
comportamento moral, à procura do "bom", da "boa vida", do "bem-estar da vida em 
sociedade". A tarefa da ética é a procura de estabelecimento das razões que justificam 
o que "deve ser feito", e não o "que pode ser feito". A ética pode ser considerada uma 
questão de indagações, e não de normatização, do que é certo e do que é errado. 
O cuidar em saúde se insere em uma realidade complexa, que exige dos 
profissionais manter uma postura de neutralidade científica e uma ética reguladora no 
campo do manejo da vida e da saúde dos indivíduos. Contudo, para um agir ético, é 
necessário reconhecer os conceitos que permeiam essa disciplina, desvelando 
premissas fundamentais e sua relação com a assistência à saúde de indivíduos, 
famílias e sociedades. (CASABURI, 2020) 
As unidades neonatais vêm se configurando um ambiente cada vez mais 
complexo e em constantes mudanças, desafiando a equipe de enfermagem para um 
olhar sensível e habilitado para perceber sinais indicativos de dor e desconforto no 
recém-nascido. Muitas vezes, a equipe necessita de decisões e ações rápidas para 
salvar a vida desses recém-nascidos. (CHRISTOFFEL et al, 2019) 
 
6 
 
O trabalho em saúde não ocorre apenas por meio da execução de técnicas 
procedimentais, mas também no estar com o outro e para o outro. Os códigos de 
bioética e ética ofertam uma ponte segura para a efetivação do uso da ciência, ao 
mesmo tempo em que prezam pela autonomia, segurança, benefício e justiça. 
(CASABURI, 2020) 
2.1 A Enfermagem e a bioética 
A visão comum de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de um setor 
restrito da área hospitalar responsável por prestar cuidados preventivos, curativos e 
paliativos a pacientes com alto ou total grau de dependência. Cabe à equipe de 
enfermagem prestar tais cuidados, visando a uma assistência focada na qualidade e 
prevenção de eventos iatrogênicos a esses pacientes que se encontram com a saúde 
bastante debilitada, pois qualquer erro ou falha é capaz de agravar-lhes ainda mais o 
quadro clínico, podendo colocar em risco a vida deles. (AGNOLON; FREITAS, 2007) 
A bioética é uma ética aplicada que se preocupa do uso correto das novas 
tecnologias na área das ciências médicas e das soluções adequadas dos dilemas 
morais por ela apresentados. Trata-se, portanto, de um ramo específico da filosofia 
moral com características próprias (CLOTET, 2003 apud SANTIAGO; CARVALHO, 
2010). 
A bioética possui princípios fundamentais (advindos do Relatório Belmont, de 
1978 apud CASABURI, 2020), como autonomia, beneficência, não maleficência e 
justiça. 
Autonomia: diz respeito às pessoas, suas opiniões e escolhas, de acordo com 
valores e crenças pessoais. Trata-se do direito do indivíduo de decidir livremente 
se aceita ou não o tratamento e a prerrogativa do profissional. Esse princípio é tão 
importante que está, desde 1948, na Declaração Universal dos Direitos Humanos, 
como a capacidade de autodeterminação, ou seja, o quanto se pode gerenciar a 
própria vontade, livre da influência de outras pessoas. 
Beneficência: é a obrigação de não causar dano, de extremar os benefícios ou 
minimizar os riscos, inferindo que todo profissional deve ter em mente que qualquer 
ação