EXAMES PARASITOLÓGICOS medicina 2007

EXAMES PARASITOLÓGICOS medicina 2007


DisciplinaProcessos Gerais de Agressão e Defesa do Organismo63 materiais361 seguidores
Pré-visualização1 página
EXAMES PARASITOLÓGICOS
EXAMES PARASITOLÓGICOS DE SANGUE
introdução
Doenças parasitárias que apresentam formas ou estágios sanguíneos 
podem ser diagnosticadas com precisão por meio de exame de sangue
Consiste em examinar ao microscópio, uma gota de sangue do paciente, que é colocada sobre uma lâmina 
Métodos de exame
Direto
A gota é colocada no centro de uma lâmina, coberta com lamínula e examinada
Permite visualizar os parasitos 
vivos movimentando-se
Métodos de exame
Esfregaços
Esfregaço em camada delgada
Identificação da forma e espécie dos parasitos
Métodos de exame
Esfregaços
Esfregaço em camada espessa
Utilizado para diagnóstico epidemiológico
Método de enriquecimento, ou seja, a gota de sangue é colocada em uma área e então examinada
Identificação específica do parasito é dificultada
Exames parasitológicos de fezes
introdução
Diagnosticar parasitos intestinais 
por meio da pesquisa das diferentes formas parasitárias 
que são eliminadas nas fezes
introdução
Cisto
Trofozoíto
Larva
Ovo
Forma reprodutiva do verme adulto
Verme adulto
Forma/estádio 
do verme adulto
Forma ativa do protozoário
Forma infectante do trofozoíto
introdução
Exame macroscópico
Consistência das fezes, odor, presença de elementos anormais, como muco ou sangue, vermes adultos ou parte deles
Exame microscópico
Visualização dos ovos ou larvas, cistos, trofozoítos ou oocistos de protozoários
Pode ser quantitativo ou qualitativo
introdução
Exame microscópico
Métodos quantitativos
Faz-se a contagem dos ovos, permitindo avaliar a intensidade do parasitismo
Pouco utilizados pois as doses de medicamentos não levam em consideração a carga parasitária, e sim o peso corporal do paciente
Método de Kato-Katz
introdução
Exame microscópico
Métodos qualitativos
Mais utilizados
Demonstram a presença das formas parasitárias, sem quantificá-las
O número de formas parasitárias eliminadas pode ser pequeno, 
necessitando de técnicas de enriquecimento para concentrá-las
introdução
Métodos qualitativos
Principais processos de enriquecimento
Sedimentação espontânea
Método de Hoffman ou Lutz
Permite encontro de ovos de helmintos 
Permite encontro de cistos de protozoários
introdução
Métodos qualitativos
Principais processos de enriquecimento
Sedimentação por centrifugação
Método de Ritchie
Permite encontro de ovos e larvas de helmintos
Permite encontro de cistos de protozoários
introdução
Métodos qualitativos
Principais processos de enriquecimento
Flutuação espontânea
Método de Willis
Permite encontro de ovos leves (ancilostomídeo)
introdução
 Método de Willis
+
salina
=
+ lugol
introdução
Métodos qualitativos
Principais processos de enriquecimento
Centrífugo-flutuação
Método de Faust
Permite encontro de cistos e alguns oocistos de protozoários
Permite encontro de ovos leves
introdução
Métodos qualitativos
Principais processos de enriquecimento
Concentração de larvas de helmintos por migração ativa devido ao hidrotropismo e termotropismo positivos 
Método de Baermann-Moraes
Método de Rugai
Permite encontro de larvas de Strongyloides stercoralis
introdução
Método de Baermann-Moraes
Hidrotropismo
Água morna
Sedimentação
\u201ccoar as fezes\u201d em tubo cônico
Deixar decantar por 120min.
Transferir sedimento para tubo de ensaio e centrifugar
Analisar ao microscópio
Escolha do método
Não há método capaz de diagnosticar todas as formas parasitárias ao mesmo tempo
Alguns são mais gerais, permitindo diagnosticar vários parasitos intestinais, outros são métodos específicos 
Escolha do método
Ritchie é um Método geral (sedimentação por centrifugação)
Na maioria dos EPFs, a suspeita clínica não é relatada, 
e o exame é feito por um dos métodos gerais
Escolha do método
Para obter qualidade no EPF, deve-se saber:
Um exame isolado que o resultado é negativo, não deve ser conclusivo, sendo indicado a repetição com outra amostra
A produção de ovos, cistos ou larvas não é uniforme ao longo do dia 
Coleta e conservação das fezes
Coleta, armazenamento e conservação são de fundamental importância na qualidade do EPF!!!!!
Coleta e conservação das fezes
 Fezes líquidas
30 min.
 Fezes pastosas
1 hora
 Fezes diarréicas
24 horas
Conservação da morfologia dos ovos, larvas e cistos
Coleta e conservação das fezes
Orientar o paciente de que:
Evacuação deve ser feita em ambiente limpo e seco 
 parte das fezes deve ser transferida para um frasco próprio
 de boca larga, bem fechado e identificado
Identificação deve ter nome, idade, data e hora da coleta
Coleta e conservação das fezes
Orientar o paciente de que:
No caso de fezes diarréicas, 
deve ser enviada imediatamente ao laboratório
Não havendo a possibilidade de enviar as fezes frescas ao laboratório, 
estas deverão ser mantidas a baixas temperaturas (5ºC - 10ºC), 
 para evitar putrefação
Coloração pelo lugol
Cistos de protozoários e larvas de helmintos necessitam ser corados para uma correta identificação na microscopia 
Iodo..................................2g
Iodeto de potássio.................4g
Água destilada.................qsp100ml
Estão sabendo tudo????
Larva de 
Strongyloides stercoralis
Ovos de 
Enterobius vermicularis
Ovos de Taenia sp
Ovos de Hymenolepis nana
Ovos de 
Schistosoma mansoni 
Vermes adultos de 
Schistosoma mansoni 
Ovos de 
 Fasciola hepatica
Verme adulto de 
 Fasciola hepatica
Ovos de 
 Echinococcus granulosus
Verme adulto de 
 Echinococcus granulosus
Obrigada!!!