A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Prevenção de cárie: selantes

Pré-visualização | Página 1 de 1

Prevenção de cárie: selante de fossulas e fissuras 
· Cárie: problema de saúde publica: 60 a 90% dos escolares 
· Mais afetados: molares (superfície oclusal) – principal sitio de ataque. 
Condicionamento acido: selante – remineralização (cria micropororsidades para o material resinoso ser inserido).
· Cimento de Ionomero de Vidro (CIV): já possui acido em sua composição -> não precisa de condicionamento prévio. 
Funções:
1) Selar mecanicamente – inibição da lesão e prevenção 
2) Permite melhor limpeza
3) Anula habitat de microrganismos 
OBS: sulco escurecido é uma lesão de carie remineralizada, não precisa ser removido.
Problemas: infiltração (gera carie ou lesões secundarias), contaminação com saliva, aplicação errada.
Em quais circunstancias devo aplicar o selante? Higiene oral em molares debilitada, alto risco a carie, lesões restritas em esmalte (selante invasivo), pacientes especiais e portadores de xerostomia. 
· Pré avaliação -> avaliação do risco e atividade de cárie 
1) Morfologia dentaria: fissuras profundas e estreitas na face oclusal, lingual de dentes superiores, cíngulos profundos em incisivos superiores permanentes. 
2) Idade do paciente/dente: nichos de reteção para alimentos e microrganismos, falta de contato com o antagonista, dificuldade do paciente em higienizar, estagio de risco: aparecimento do dente na cavidade bucal até oclusao funcional.
3) Dieta/frequência: frequência de consumo, tipo de alimento, sua consistência e adesividade.
4) Qualidade de higienização: acumulo de biofilme espesso e firmemente aderido, presença de manchas brancas ativas e inativas, lesões da carie limitadas ao esmalte.
5) Uso do fluoreto: pacientes que estiverem recebendo algum tratamento com fluoreto possuem maior proteção contra a carie. 
Contra indicações: crianças com baixo risco a cárie, controle clinico e radiográfico associado a métodos preventivos, crianças com lesões de cárie interproximais e oclusais extensas. 
Caracteristicas do selante:
1) Composição: podem ter ou não flúor na sua estrutura química. -> selante resinoso, CIV modificado por resina, CIV convencional.
2) Tipo de polimerização: 
Selantes autopolimerizaveis -> iniciam a reação química a partir do momento que se mistura a base e o catalisador.
Selantes fotopolimerizaveis -> iniciam a reação química a partir da fotopolimerização – maior tempo de trabalho.
3) Presença de carga:
Selante com carga – maior resistência ao desgaste, maior viscosidade e fluidez;
Selante sem carga – mais fluido, maior retenção, menor microinfiltração marginal, menor resistência.
4) Cor do material: branco, opaco, matizado (mais estético), colorido (fácil detecção).
Tipos de selantes:
· Selantes resinosos: bom escoamento e boa retenção (retenção mecânica – efeito anticarie) – longevidade de 95% em dentes permanentes, liberação de flúor ocorre nos 2 primeiros dias 
· Selantes ionomericos: CIV restaurador – baixa retenção, comprometimento pela umidade , recém erupcionados, presença de mancha branca, selantes temporários -> maior risco de infiltração, porem pequenas porcoes do material ficam nas fissuras prevenindo e reduzindo a instalação de lesões de cárie – associado ao flúor em sua composição.
· Outros tipos de materiais utilizados como selantes: baixa viscosidade e adequado escoamento (maior penetração), cargas inorgânicas, resistência ao desgaste, previne o desenvolvimento de cárie na oclusal. -> FLOW
· Tecnicas de aplicação: não invasiva 
1) Profilaxia dentaria: remover resíduos ou camada de proteínas que esteja cobrindo o esmalte dentro ou ao redor das fissuras. – Pedra pomes, agua, pasta profilática, escova robson.
2) Isolamento do campo operatório: livre de saliva, evita contaminação e interferência. Dentes recém irrompidos: isolamento relativo.
3) Condicionamento acido: formação de microporosidades na superfície do esmalte que facilitam o embricamento mecânico. 
Acido fosfórico 37% ou acido poliacrilico 10% -> 15 segundos em decíduos e 30 segundos em permanentes.
4) Aplicação do selante: recomenda- se o uso de sonda exploradora para espalhar o selante, evitar excesso e incorporação de bolhas.
5) Fotoativação: selantes resinosos ou ionomericos: fotoativados pelo tempo recomendado pelo fabricante.
6) Ajuste oclusal: verificar a oclusao com papel carbono 
Obs: para os dentes recém irrompidos que receberam CIV não é possível o ajuste oclusal.
7) Proteção superficial: selantes ionomericos devem ser protegidos para evitar sinérese e embebição – esmalte de unha incolor, vernizes próprios para proteção, vaselina solida.
8) Acompanhamento periódico: inserção das margens, integridade total do selante, coloração alterada.
· Tecnica invasiva de aplicação de selantes: preparo com brocas da superfície do esmalte que receberá o selante.
· Penetração mais profunda do esmalte, melhor adaptação marginal, maior retenção 
Insucesso do selante: umidade (resinoso) condicionamento acido incorreto, polimerização inadequada.