Trabalho de Neurocisticercose 2

Trabalho de Neurocisticercose 2


DisciplinaParasitologia Médica166 materiais1.215 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Trabalho de Neurocisticercose
Rodrigo Chame
 Marcela Cistaro
 Augusto Torres
 Lucas Leal
 Renata Elisie
 Ivy Vinces
 Melina Dias
 Rafael Ramos
 Marina Drummond
 Bruno Macedo
 Juliana Martins
 Mariana Dias
 Vagner Coutinho
Como é causada a NCC
A doença é causada ao ingerir acidentalmente os ovos da larva que são liberados junto com as fezes do homem infectado. Desta forma, os \u201ccaroços\u201d antes vistos na carne do porco, podem se alojar, agora, nos tecidos humanos, como os músculos e tecido nervoso.
Para se adquirir a cisticercose é necessário que os ovos da tênia atinjam o estomago do homem, o que pode acontecer de duas maneiras:
1 - a auto-infecc\u327a\u303o, quando os ovos de um indivi\u301duo infectado sa\u303o transferidos da regia\u303o perianal para a boca, ou quando os ovos são regurgitados do intestino para o esto\u302mago;
2 - a heteroinfecc\u327a\u303o, ingesta\u303o dos ovos por interme\u301dio de a\u301gua ou alimentos contaminados. Esta é a maneira mais importante de aquisic\u327a\u303o da doenc\u327a.
2
Ciclo de vida da Taenia solium
Os ovos e proglotes gravídicas são liberadas nas fezes do hospedeiro definitivo. (os ovos podem sobreviver no ambiente durante dias ou meses)
Os ovos e proglotes gravídicas são ingeridos pelos hospedeiros intermediários. No caso da T. solium, o hospedeiro intermediário é o porco.
No estômago do porco, ocorre a eclosão dos ovos e liberação do hexacanto, sob estímulo do pH, CO2 e suco gástrico. No intestino sob ação do pH, enzimas e sais biliares termina o rompimento do embrióforo. O hexacanto então invade a mucosa intestinal até atingir a corrente sanguínea e se instala nos músculos, cérebro, olhos, tecidos bem vascularizados em geral, se transformando em cisticerco. A partir da fixação, ocorre o desenvolvimento de sua fase larvar.
O homem se infecta quando ingere carne crua ou mal passada contaminada com o cisticerco viável.
No intestino delgado do homem, o cisticerco se libera, fixa na parece intestinal e permanece, desenvolvendo até sua forma adulta e o ciclo recomeça. (2 a 3 meses até a liberação dos ovos)
- Quando o homem se contamina via feco-oral ingerindo o ovo e proglote gravídica, no estômago ocorre o mesmo processo do porco até a formação do cisticerco no tecido neural.
3
Manifestações clínicas
Nessa parte é só ler o slide mesmo.. Se lembrarem, vale ressaltar que os sintomas dependem da localizac\u327a\u303o, do nu\u301mero e do esta\u301gio de desenvolvimento dos cistos. O peri\u301odo de incubac\u327a\u303o dura de quatro a cinco anos, ou seja, os sintomas podem aparecer anos depois da ingestão dos ovos da tênia. Os sintomas geralmente surgem quando os cistos começam a envelhecer e provocam uma resposta inflamato\u301ria do hospedeiro. CITAR AS FORMAS: parenquimatosa, meningeal, intraventricular e subaraquinóidea, espinhal.
4
Forma parenquimatosa
Nessa forma, o parasita se aloja no parênquima cerebral como cistos únicos ou múltiplos formando aglomerados. A epilepsia é a manifestação clínica mais comum. A inflamação do pericisto resulta na formação de um granuloma, que é a causa de epilepsia na maioria dos pacientes. Os cistos podem crescer e formar tumor.
5
NCC disseminada ou miliar
No NCC disseminada ou miliar, existem múltiplos cistos em diferentes estágios de desenvolvimento. Pode estar associado a cistos extracranianos (subcutâneo ou muscular por ex). Não é uma forma comum mas pode ter um curso maligno com prognóstico desfavorável. É mais freqüente em crianças e adolescentes e apresenta como
uma encefalite aguda ou subaguda alérgica ou viral. Como o escólex morre após tratamento cisticial ou uma resposta imune eficaz, o transparente líquido vesicular é substituído por um fluido viscoso e turvo, o que é
facilmente identificável em MRI. O líquido migra do cisto degenerado no parênquima circundante e incita uma forte
resposta imune, caracterizada por aumento forte em contraste na Tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Este é o cisto coloidal, que tem contraste aprimoramento, mas carece de um escólex bem definido. Como o cisto degenera, se desenvolve em um cisto nodular, que ainda apresenta alguns
realce de contraste. Finalmente, o cisto degenerado calcifica e é reconhecido como uma calcificação pontual na TC.
6
Falar o que está na legenda da foto.
Há quatro estágios de desenvolvimento larval de um parênquima cisto: vesicular, coloidal, nodular e calcificado. O cisto vesicular é viável, onde o escólex existe como um nódulo excêntrico dentro do cisto, e há pouca ou nenhuma melhoria devido a uma mínima resposta imune do hospedeiro.
7
Forma intraventricular e subaracnóidea
Clinicamente os pacientes apresentam-se de forma mais agressiva que na forma parenquimatosa. A oncosfera atinge a cavidade ventricular através do plexo coróide. O parasita migra através do sistema ventricular, ocluindo corredores de comunicação CSF, provocando episódios agudos de ventriculomegalia com morte súbita, ou efeito de massa focal com compressão. A morte das larvas inicia \u201dependymitis\u201d e oclusão da
saída ventricular, produzindo hidrocefalia. A forma intraventricular tem uma clínica rapidamente progressiva
curso e exige ação imediata. O quarto ventrículo é o sítio mais comum, seguido do terceiro ventrículo, ventrículo lateral e do aqueduto.
8
Diagnóstico
O diagnóstico de NCC é suspeito em pacientes que vivem em zonas endêmicas áreas que apresentam um quadro clínico compatível e lesões sugestivas do NCC na tomografia computadorizada. Neuroimagem é o principal diagnóstico do NCC. A Tabela 2 apresenta proposta de critério de diagnóstico objetico. Estes critérios são complexos e precisam de validação em população ou hospital estudos de base. A principal desvantagem destes critérios é que eles não fazem qualquer distinção entre NCC e tuberculoma, que é de extrema importância em países endêmicos, como India. Além disso, o acesso ao enzyme-linked immunoelectrotransfer blot ensaio (EITB) é limitada e, conseqüentemente, na Índia a utilidade desses critérios tem sido questionada.
Ler o que ta na tabela.
O diagnóstico também pode ser feito por investigação radiológica, raio-x de músculos e crânio, tomografia computadorizada da cabeça, esta última tem uma sensibilidade e especificidade de mais de 95% no diagnóstico da NCC, sendo ideal para detectar calcificações.
9
Cisto ventricular em MRI
MRI é a técnica mais precisa para avaliar grau de infecção, localização e estágio evolutivo do parasita. A ressonância magnética é capaz de detectar edema perilesional e alterações degenerativas do parasita e é adequado para pequenos cistos ou aqueles localizados nos ventrículos,
tronco cerebral, base do cerebelo, do cérebro do olho, e espinha. As principais desvantagens da RM são seu alto custo e disponibilidade limitada.
Assim,  uma tomografia computadorizada pode ser a primeira investigação, reservando RM para pacientes com achados inconclusivos  na TC.
É possível diferenciar os váriados estágios dos cistos na MRI. A ressonância magnética é útil no acompanhamento para avaliar a redução do número ou tamanho de cistos com o tratamento.
10
Cisto ventricular em MRI com hidrocefalia obstrutiva
11
Cisto no quarto ventrículo (A - corte coronal; B- corte sagital)
Realce anormal após \u201dgadolínio\u201d sugere \u201dependymitis ou ventricular entrapment\u201d A ressonância magnética é útil no acompanhamento para avaliar a redução do número ou tamanho de cistos com o tratamento.
13
Tratamento
Tabela acrescentado de:
1. agentes císticos - para matar as larvas
2. corticosteróides - para diminuir ou impedir o processo inflamatório
reação.
3. anti-epilépticos (AE) - para prevenir ou diminuir a gravidade
e número de apreensões
4. cirurgia - para remover o cisto ou inserir um shunt para a hidrocefalia.
14
Terapia cística
Há três argumentos principais contra o uso de terapia cística em NCC: 
(i) riscos imediatos devido à inflamação aguda
a partir da morte de cistos; 
(ii) agravamento do prognóstico a longo prazo de
convulsões com o aumento da cicatriz, devido à inflamação aguda;
(iii) o tratamento pode ser desnecessário devido à morte natural os parasitas dentro de um curto periodo.
Dangela
Dangela fez um comentário
hoo o material tao bom, coloca traduzido tbm ?
0 aprovações
Carregar mais