A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Roteiro para sabatina de Pediatria

Pré-visualização | Página 1 de 3

Roteiro para sabatina de
Pediatria
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Lembrar de se apresentar
Anamnese
1. Identificação
Nome, idade, data de nascimento, sexo, (cor – raça – grupo étnico),
naturalidade, procedência, religião e endereço completo. 
* Informante: nome e idade dos pais, informante (parentesco), perfil
psicológico.
2. Queixa Principal
Motivo principal que fez com que a mãe da criança ou outro responsável a
trouxesse à consulta. Descrever utilizando os termos - as mesmas palavras - do
paciente ou acompanhante. 
3. Hisótria da moléstia atual
Caracterizar objetivamente cada queixa, observando a numeração usada
anteriormente, com ênfase nos seguintes aspectos. 
Certificar-se de que os sinais e sintomas descritos pelo paciente ou responsável
correspondem àqueles utilizados na terminologia médica 
Registrar a data de início dos sintomas sempre vinculada ao momento da
consulta (por exemplo: registrar “teve uma crise convulsiva há seis dias” em vez
de “teve uma crise convulsiva na quarta-feira passada”). 
Registrar todas as características relevantes dos sintomas, tais como: duração
(em cada episódio), intensidade, frequência (periodicidade), fatores de
intensificação e alívio (medicação, alimentos, posição, relação com a respiração,
esforço, eliminações). 
Registrar consultas médicas anteriores, diagnóstico(s) dado(s), exames
realizados e medicação usada (e se houve melhora ou manutenção do quadro).
Anamnese
4. História obstétrica
Gravidez desejada e/ou planejada ou não, planejamento familiar.
Gestação – número de consultas, ganho de peso, saúde, complicações,
vitaminas, repouso, higiene, infecções, medicamentos. 
Realização de exames sorológicos (STORCH), ABO-Rh. 
Nº de Gestações (__G), Nº de Partos (__P), Nº de Abortos (__A), motivo. 
Doenças e tratamentos realizados durante a gestação. 
5. Antecedentes pessoais patológicos
Parto: tipo (normal, cesariana, fórceps) – Local: hospitalar (citar o hospital),
domiciliar. Indicação (no caso de cesariana). 
Período Neonatal: Idade gestacional ao nascer: Anotar o número de semanas
que durou a gestação. Verificar as condições de nascimento (vitalidade ao
nascer) pelo índice de Apgar. 
Verificar o grupo sanguíneo do recém-nascido e sua compatibilidade com o
grupo sanguíneo materno. 
Verificar o peso de nascimento e avaliar sua adequação à idade gestacional: AIG
(peso Adequado para a Idade Gestacional), PIG (peso Pequeno para a Idade
Gestacional), ou GIG (peso Grande para a Idade Gestacional). 
Avaliar a estatura, PC (perímetro cefálico) e PT (perímetro torácico) de
nascimento. 
Problemas neonatais: icterícia, permanência em incubadora, necessidade de
UTI neonatal, tipo de patologia neonatal apresentada, etc... 
Anotar resultados da triagem cardiológica neonatal, triagem auditiva (teste da
orelhinha), triagem oftalmológica (teste do olhinho), teste da linguinha,
resultados de teste do pezinho... 
Citar as doenças apresentadas anteriormente, internações (onde, porque,
permanência, etc), acidentes, cirurgias, alergia a medicamentos, uso contínuo
de medicamentos...
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
A P G A R A P G A R A P G A R 
Anamnese
6. História alimentar
Alimentação nos primeiros dois anos de vida: Verificar o tipo de aleitamento
nos dois primeiros anos de vida: No 1º semestre destacar o tipo de aleitamento,
se materno exclusivo (ideal), artificial (mamadeira) ou misto (leite materno +
mamadeira). 
Em caso de mamadeira, definir o tipo de leite utilizado (leite de vaca integral,
fórmula Infantil...), volume de cada mamada e periodicidade das mamadas, se
acrescenta algum tipo de cereal ou açúcar ao leite. Relatar o processo de
introdução de alimentação complementar. 
Também é muito importante detalhar a alimentação da criança no segundo
ano de vida e a alimentação atual. 
Uso de vitaminas complementares (sulfato ferroso e vitamina D). 
7. Vacinas
Solicitar e verificar o calendário vacinal da criança e orientar as próximas
vacinas, chamar a atenção para algum atraso vacinal e orientar a atualização do
calendário
8. História familiar
Composição familiar (pessoas que vivem na mesma casa, nº de irmãos...);
dados paternos e maternos; principais doenças presentes em irmãos e outros
membros da família com grau de parentesco mais próximo, com ênfase nas
doenças hereditárias ou transmissíveis...
Anamnese
9. Dados socioeconômicos
Tipo e condições da habitação: condições de saneamento (destino dos dejetos,
água tratada, conservação dos alimentos), instalação de água, luz, esgoto,
localização da residência (cidade, campo), número de cômodos,
eletrodomésticos (geladeira, televisor), número de pessoas no domicílio, estado
de saúde dos ocupantes, local onde dorme o paciente, condições de segurança
da habitação. 
Quem toma conta da criança e onde? Pais e irmãos (grau de instrução, tipo de
emprego, rendimento familiar médio, uso de drogas). Adoção na família.
Situação conjugal dos pais (estado civil, separação, relacionamento). 
Tipo de relacionamento com os pais, irmãos, empregados. 
Uso de automóvel, bicicleta ou outros meios de transporte. 
Escola (pública ou privada, tamanho, distância, transporte). Tipo de
relacionamento com os colegas e professores. Atividades para-escolares
(esporte, música, artes). 
Quantas horas diárias assiste TV? Acesso a praças e piscina. 
Contato com animais, dentro e fora da habitação. 
Contato com substâncias tóxicas. Contato com delinquentes. Atividade sexual.
10. Desenvolvimento neuropsicomotor
Questionar sobre cada setor (Motor grosseiro, Motor fino/adaptativo, Linguagem e
Pessoal-social) e checar a idade em que a criança vai adquirindo a habilidade de
realizar determinada função (os principais marcos do desenvolvimento). Verificar se
há atraso em algum setor. Pode usar a escala de DNPM de Denver II como
parâmetro para estudo. 
Questionar sobre o sono e controle dos esfíncteres. 
Idade de aquisição dos seguintes marcos: firmar a cabeça, sorriso espontâneo,
segurar objetos, sentar sem apoio, engatinhar, andar sem apoio, controlar
esfíncteres, primeiras frases, correr sem dificuldade, subir escadas, linguagem de
adulto, beber em copo, usar colher, vestir-se. Rendimento escolar.
M
A
R
C
O
S
 
D
O
 
D
E
S
E
N
V
O
L
V
I
M
E
N
T
O
M
A
R
C
O
S
 
D
O
 
D
E
S
E
N
V
O
L
V
I
M
E
N
T
O
M
A
R
C
O
S
 
D
O
 
D
E
S
E
N
V
O
L
V
I
M
E
N
T
O
Reflexos 
Primitivos
Anamnese
11. ISDAS
Gerais: astenia, fraqueza, tonturas; alteração no humor, peso, temperatura, sono. 
Pele: alterações nos fâneros, ardência, cianose, coloração anormal, equimoses,
lesões, palidez, petéquias, prurido, rubicundez, secura. 
Subcutâneo: edema, nódulos. 
Músculo-esquelético: dor, calor, rubor em articulações ou músculos, parestesias ou
paralisias de grupos musculares especiais. 
Cabeça: cefaleia, alteração da acuidade visual, dor nos olhos, lacrimejamento, uso de
lente corretiva, vermelhidão nos olhos, visão dupla, audição, otalgia, otorreia,
zumbidos, condições dos dentes e gengivas. 
Respiratório: dor torácica ventilatório-dependente, dispneia, epistaxe, espirros,
hemoptise, obstrução nasal, prurido nasal, rinorreia, rouquidão, sibilância, tosse. 
Cardiovascular: alteração do ritmo cardíaco, cianose, dispneia, palpitações, sopros 
Digestivo: vômitos, regurgitação, disfagia, halitose, pirose, dor abdominal,
constipação, diarreia, eliminação de vermes, encoprese, sangramento digestivo,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.