A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
semiologia do idoso

Pré-visualização | Página 1 de 1

SEMIOLOGIA DO IDOSO 
AULA 1 – GERIATRIA 
PECULIARIDADES 
→ Avaliação geriátrica ampla. De forma geral. 
→ Elaborar plano terapêutico amplificado: engloba 
não só a parte da doença, mas também social e 
onde ele vive. 
→ Sexualidade. 
→ Déficits sensoriais. 
→ Mastigação e avaliação nutricional 
→ Marcha. Tipo de marcha. 
→ Gigante da geriatria 
→ Humor e cognição 
→ Sono 
→ Déficits cognitivos 
→ Atividades básicas da vida diária 
→ Fácies 
GIGANTES DA GERIATRIA – 7 ‘I ’S 
→ Imobilidade: déficit motor mais evidente. 
Estimular atividade física para reduzir a tensão 
muscular. 
→ Instabilidade postural. Que engloba até mesmo o 
tapete, degraus em casa. 
→ Incontinência urinaria e fecal. 
→ Insuficiência cognitiva – demências. 
→ Incapacidade de comunicação. Dislalia natural do 
idoso. Ouvir. 
→ Iatrogênica: quantidade de medicação, interação 
medicamentosa. Idosos usam muitas medicações, 
observar se realmente é tudo necessário. As vezes 
até hipertensivo, não é necessário usar pro resto 
da vida, o próprio corpo normaliza. Idosos também 
usam muita medicação psicotrópica como 
clonazepam e é difícil de tirar. Até que ponto é 
positivo? 
→ Insuficiência familiar: idoso abandonado. 
PARTICULARIDADES DO EXAME FISICO DE 
IDOSOS 
Diminuição da massa óssea. 
Sarcopenia – diminuição de 1 a 2% mm ao ano após os 50 
anos. perda de massa magra, musculatura. 
Com isso, vai desenvolvendo osteoporose. 
Redução da agua intracelular e aumento da gordura: 
→ Perda de peso 
→ Aumento da curvatura da coluna 
→ Diminuição de albumina serica 
→ Taxa de metabolismo menor. 
PELE E FÂNEROS 
→ Fotoenvelhecimento – natural. 
→ Menor número de melanocitos – manchas 
brancas. 
→ Purpura senil. 
FACE 
→ Assimetria facial: a A. temporal começa a dilatar. 
Telangectasia. Rinofinas. 
→ Discinesias orofaciais ou bucoliguais. 
→ Artérias temporais. 
OLHOS 
Ptose palpebral: pode ser uni ou bilateral. As causas mais 
frequentes nessa faixa etária são a ptose senil e a 
secundária à paralisia do terceiro par craniano. 
Ectrópio: eversão palpebral 
Entrópio: inversão palpebral. Entrada do cilio para dentro 
do olho. O cilio começa a irritar o olho lá dentro. 
Arco senil: arco mais claro em volta da íris. 
Pupilas: menores e com frequência, de tamanhos 
diferentes 
Movimentação ocular: aproximadamente um terço dos 
idosos apresenta anormalidades. Principalmente estagnos. 
CAVIDADE ORAL 
Úlceras bucais traumáticas secundárias e dentaduras, 
dentes fraturados e/ou restaurações. 
Esses problemas na cavidade oral são preocupantes na 
geriatria já que pode causar dor e o idoso pode parar de 
comer. Assim, fica frágil. 
Aftas 
Veias varicosas na parte ventral da língua (sem significado 
patogênico) 
Estomatite induzida por dentaduras (alterações 
inflamatórias localizadas sob as dentaduras). Estomatite 
são feridas na boca. 
Estomatite angular ou quielite angular: rachadura no canto 
na boca. 
Cáries dentárias e/ou doença periodontal nos que 
mantiveram os dentes naturais. 
OUVIDO 
→ Prega no lobo da orelha (sinal de Lichstein). 
Pacientes mais jovens podem significar doença 
cardíaca. 
→ Teste de acuidade auditiva: teste do sussurro 
TORAX – INSPEÇÃO 
→ Cifose acentuada 
→ Tiragem – esforço respiratório. 
→ Ginecomastia 
→ Frequência e padrão respiratório (diagnóstico de 
pneumonia na ausência de febre) 
→ Expansão torácica diminuída. Musculatura mais 
atrofiada. 
AUSCULTA: 
Maior dificuldade para inspirações profundas 
Crepitações nas bases pulmonares 
Pneumopatias prévias 
Alterações na radiografia de tórax podem demorar até 72 
horas para se tornarem evidentes. Isso é perigoso. Porque 
as vezes o idoso tem sintomas de pneumonia, mas o raio x 
demora para aparecer. O idoso pode ter muita infecção e 
não ter febre. Infecção de urina as vezes, o idoso so para de 
comer. 
Idoso com infecção: pele, pulmão e urina. Disparados. 
Ictus cordis mais difícil na palpação. Na cardiomegalia, vai 
estar mais deslocado. 
Se palpa o ictos cordis a possibilidade de ter uma 
cardiomelagia é menor. 
A ausculta nos idosos é difícil porque as bulhas são 
hipofoneticas naturalemente. 
ABDOME 
Palpação: massas pulsáveis devido a aneurisma de aorta e 
às fezes. 
Abdômen agudo em idosos pode advir sem rigidez intensa 
da parede abdominal, sendo até mais comum o 
aparecimento de distensão abdominal. Essas alterações 
podem ser atribuídas à fraqueza da parede abdominal e à 
distensão de alças intestinais verificadas na peritonite. Não 
vai ter defesa abdominal, pode ser que não vai ter tanta 
dor. 
O fígado em idosos pode ser palpável devido a 
anormalidades da caixa torácica e não ser indicativo de 
insuficiência cardíaca direita ou hepatopatias 
O que se ve muito atualmente: idoso chega vomitando 
muito e de repente para – infarto. Irritação gástrica. 
MEMBROS INFERIORES 
Edema: a imobilidade, precariedade na drenagem venosa. 
O edema de membro inferior não constitui sinal confiável 
de IC nos idosos. Edema de causa vascular. 
Atrofia de quadríceps – pernas mais finas. 
Alterações ungueais: a onicogrifose. Unhas que crescem 
amareladas, mais fechadas. 
TESTE DE FORÇA MUSCULAR 
Grau 1: nenhum movimento do músculo 
Grau 2: esboço de contração muscular 
Grau 3: movimento completo, mas não vence a força da 
gravidade 
Grau 4: movimento completo certa resistência do 
examinador 
Grau 5: força normal – natural. 
 
 
	peculiaridades
	gigantes da geriatria – 7 ‘i’s
	particularidades do exame fisico de idosos
	pele e fâneros
	face
	olhos
	cavidade oral
	ouvido
	torax – inspeção
	abdome
	membros inferiores
	teste de força muscular