A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Trauma Oclusal

Pré-visualização | Página 1 de 2

Gisele Carvalho – Clínica II 
 Trauma Oclusal 
 
 O que é oclusão? 
 Relações de contato dos dentes que 
resultam de um controle neuromuscular do 
sistema mastigatório 
 Trauma oclusal 
 Injúria no aparelho de inserção do dente 
(cemento, ligamento periodontal e osso 
alveolar) em consequência de força oclusal 
excessiva 
 Refere-se à lesão tecidual e não à força 
oclusal. Uma oclusão que produz tal lesão é 
chamada de oclusão traumática. 
 Forças oclusais excessivas também podem 
interromper a função da musculatura 
mastigatória e causar espasmos dolorosos, 
ferir as articulações temporomandibulares 
ou produzir desgaste excessivo dos dentes 
 O termo trauma de oclusão é geralmente 
utilizado em associação a lesão no 
periodonto 
 Por quê ocorre? 
 Inclinação dos dentes 
 Tônus muscular aumentado 
(apertamento/bruxismo) 
 Iatrogenia (tratamento ortodôntico) 
 Restaurações defeituosas 
 Prótese mal adaptada 
 Periodonto reduzido 
 Inclinação dos dentes 
 Sinais clínicos da oclusão traumática 
 Mobilidade dentária 
 Migração dentária 
 Padrão anormal de desgaste oclusal 
(facetas) 
 Abcessos periodontais (especialmente em 
áreas de bifurcação) 
 Hipertonicidade dos músculos da 
mastigação 
 Sensibilidade à pressão 
 Som seco à percussão 
 Ocasionalmente atrofia ou recessão 
gengival 
 Disseminação da inflamação e proliferação 
epitelial 
 Profundidade desigual das bolsas 
periodontais e bolsas intraósseas 
 Indicadores clínicos 
 Frêmito 
 Movimentação palpável ou visível 
do dente quando submetido a força 
oclusal 
 Mobilidade dental 
 Facetas de degaste 
 Discrepâncias oclusais 
 Migração dentária 
 Dente fraturado 
 Sensibilidade térmica (teste de 
sensibilidade) 
 Dor à percussão ou à mastigação 
 Sinais radiográficos 
 Espessamento do ligamento periodontal 
 Descontinuidade da lâmina dura 
 Radioluscência e condensação do osso 
alveolar 
 Reabsorção radicular 
 Espaço periodontal alargado 
 Reabsorção radicular externa 
 Hipercementose 
 Osteosclerose 
 Reabsorção interna dos dentes 
 Calcificação pulpar 
 Reabsorção óssea do tipo vertical 
 Necrose pulpar de dentes hígidos 
 Forças oclusais traumáticas 
 Trauma oclusal primário 
 Dano que resulta em mudanças teciduais de 
forças oclusais traumáticas aplicadas a 
dentes com suporte periodontal normal 
(mobilidade adaptativa e não progressiva) 
 Exemplos incluem a lesão periodontal 
produzida em torno de dentes com um 
periodonto previamente saudável após as 
seguintes situações: 
 Inserção de uma “restauração alta” 
Gisele Carvalho – Clínica II 
 
Trauma oclusal em periodonto com altura 
reduzida 
 Inserção de um substituto protético 
que cria forças excessivas sobre 
pilares e dentes 
 Movimento de deslocamento ou 
extrusão de dentes em espaços 
criados pela falta de dentes não 
substituída 
 Movimentação ortodôntica dos 
dentes a posições funcionalmente 
inaceitáveis 
 Trauma oclusal secundário 
 Dano que resulta em mudanças teciduais de 
forças normais ou oclusais traumáticas em 
dentes com suporte periodontal reduzido 

 Dentes com mobilidade progressiva podem 
apresentar migração e dor em função, além 
de requerer esplintagem 
 
A. Periodonto normal com altura normal do 
osso; 
B. Periodonto normal com redução da 
altura do osso; 
C. Periodontite marginal com redução da 
altura do osso. 
 
 Forças ortodônticas 
 Estudos em animais sugerem que essas 
forças podem afetar negativamente o 
periodonto e resultar em reabsorção 
radicular, desordens pulpares, recessão 
gengival e perda óssea alveolar 
 Estudos observacionais mostram que 
dentes com periodonto saudável, mas 
reduzido, podem ser submetidos a 
tratamento ortodôntico sem 
comprometimento dos tecidos periodontais 
 Trauma de oclusão agudo 
 Resultado de impacto oclusal abrupto, 
como aquele produzido ao morder um 
objeto duro 
 Dor no dente, sensibilidade à percussão e 
mobilidade dentária aumentada 
 Se a força for dissipada por um 
deslocamento na posição do dente ou por 
um desgaste ou correção da restauração, a 
lesão se resolve e os sintomas se abrandam 
 Por outro lado, a lesão periodontal pode 
piorar e progredir para necrose, 
acompanhada pela formação de um abcesso 
periodontal ou persistir como uma condição 
crônica e assintomática 
 Trauma de oclusão crônico 
 É mais comum, de maior relevância clínica 
 Alterações graduais na oclusão produzidas 
por um desgaste dentário 
 Movimento de inclinação e extrusão dos 
dentes combinados com hábitos 
parafuncionais 
 Bruxismo e apertamento, ao invés de uma 
sequela como no trauma periodontal agudo 
 Estágios da resposta tecidual adaptativa 
 Zona de Pressão 
 Aumento da vascularização 
 Necrose do ligamento periodontal 
 Reabsorção óssea 
 Hemorragia 
 Reabsorção radicular 
 Zona de Tensão 
 Alongamento das fibras do 
ligamento periodontal 
 Aposição de osso alveolar e 
cemento 
 
 A doença periodontal progressiva é 
caracterizada por inflamação gengival e 
Gisele Carvalho – Clínica II 
 
Trauma oclusal com doença periodontal 
associada à placa 
Trauma oclusal e lesões cervicais não 
cariosas 
perda gradual da inserção de tecido 
conjuntivo e do osso alveolar 
 O tratamento da doença periodontal 
resultará no restabelecimento da saúde 
periodontal, porém, com altura reduzida 
 Um periodonto sadio com altura reduzida 
tem a mesma capacidade de um periodonto 
normal para se adaptar às forças oclusais 
traumáticas (trauma oclusal secundário) 
 Trauma oclusal e periodontite 
 Reabsorção óssea aumentada 
 Aumento do espaço do Ligamento 
Periodontal 
 Mobilidade acentuada 
 Agravamento da bolsa periodontal 
 Perda de inserção adicional 
 Plano de tratamento 
 Tratamento periodontal convencional 
 Ajuste oclusal 
 
 O trauma oclusal não leva à indução da 
destruição do tecido periodontal 
 Todavia, o trauma de oclusão realmente 
resulta em reabsorção do osso alveolar, 
provocando um aumento da mobilidade 
dentária, que pode ser transitório ou 
permanente 
 Enquanto a inflamação está restrita à 
gengiva, o processo inflamatório não é 
afetado por forças oclusais 
 Quando a inflamação se estende a partir da 
gengiva para o interior dos tecidos 
periodontais de suporte por exemplo: 
quando a gengivite se transforma em uma 
periodontite, a inflamação induzida por 
placa penetra na zona influenciada pela 
oclusão, que Glickman denominou zona de 
codestruição 
 
 Lesão Cervical Não Cariosa (LCNC) é 
 Sua presença pode provocar desordens 
funcionais e estéticas, como também 
ocasionar hipersensibilidade dentinária, 
acometendo a superfície dos dentes de 
indivíduos de qualquer faixa etária 
 Abfração 
 Resultado das tensões da interferência 
oclusal, que promoveria estresse sobre os 
dentes 
 A dentina possui uma característica de 
maior resistência à tensão do que o esmalte, 
que a faz possuir uma capacidade de 
deformar sem fraturar 
 Forças oclusais oblíquas podem gerar 
flexão dentária e consequente fadiga do 
esmalte e dentina, em um local distante do 
ponto de carga oclusal, que levam a um 
desequilíbrio da união entre os cristais de 
hidroxiapatita, separando o esmalte da 
dentina, permitindo que pequenas 
moléculas penetrem entre os cristais, 
deixando-os mais susceptíveis a agressões 
químicas, juntamente com as agressões 
mecânicas 
 Nos casos de abfração associada à recessão 
gengival, uma abordagem combinada 
cirúrgico-restauradora pode ser realizada 
 O tratamento restaurador associado a um 
ajuste oclusal não são indicados para 
prevenir a perda dentária ou a progressão da 
abfração 
 A tomada de decisão no planejamento deve 
se basear na necessidade de substituir a 
forma e a função ou para aliviar a 
hipersensibilidade dos dentes gravemente

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.