Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
59 pág.
A qualidade total

Pré-visualização | Página 1 de 10

DESCRIÇÃO
O histórico da qualidade total, o controle da qualidade total e os sistemas de gestão da qualidade e suas normatizações.
PROPÓSITO
Compreender a importância dos gurus da qualidade e do controle estatístico da qualidade no contexto da qualidade
total, bem como os conceitos e relações entre o Controle da Qualidade Total (Total Quality Control - TCQ), Gestão da
Qualidade Total (Total Quality Management - TQM) e Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ).
PREPARAÇÃO
Antes de iniciar o estudo deste tema, tenha em mãos uma calculadora, preferencialmente que execute cálculo de
exponenciais.
OBJETIVOS
MÓDULO 1
Descrever o histórico do controle estatístico da qualidade no contexto da qualidade total
MÓDULO 2
Identificar a relação entre o Controle da Qualidade Total (Total Quality Control - TCQ) e a Gestão da Qualidade Total
(Total Quality Management - TQM)
MÓDULO 3
Reconhecer os Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) e sua padronização
BEM-VINDO AOS ESTUDOS DA QUALIDADE TOTAL
MÓDULO 1
 Descrever o histórico do controle estatístico da qualidade no contexto da qualidade total
O especialista Mauro Rezende Filho fala sobre o histórico do Controle Estatístico da Qualidade no contexto da
Qualidade
BREVE HISTÓRICO DO CONTROLE ESTATÍSTICO DA
QUALIDADE
A qualidade sempre foi parte integrante de praticamente todos os produtos e serviços. No entanto, nossa consciência
sobre a sua importância e a introdução de métodos formais de controle da qualidade e melhoria tem sido um
desenvolvimento evolutivo.
Frederick W. Taylor introduziu alguns princípios de gestão científica em indústrias que começaram a se desenvolver
antes de 1900. Taylor foi pioneiro na divisão do trabalho em tarefas, para que o produto pudesse ser fabricado e
montado com mais facilidade. Seu trabalho conduziu a melhorias substanciais na produtividade. Além disso, por causa
da produção padronizada e métodos de montagem, a qualidade dos produtos manufaturados também foi impactada
positivamente.
 
Foto: Autor desconhecido/Wikimedia commons/domínio público.
 Frederick Winslow Taylor.
Junto à padronização dos métodos de trabalho, no entanto, veio o conceito de padrões de trabalho, como: um tempo
padrão para realizá-lo ou um número específico de unidades que devem ser produzidas por período. Frank Gilbreth e
outros estenderam esse conceito ao estudo do movimento e design de trabalho. Muito disso teve um impacto positivo na
produtividade, apesar de muitas vezes não enfatizar suficientemente o aspecto da qualidade do trabalho. Além disso, se
levado a extremos, padrões têm o risco de interromper a inovação e a melhoria contínua, que hoje reconhecemos como
um aspecto vital de todas as atividades de trabalho.
OS MÉTODOS ESTATÍSTICOS E SUA APLICAÇÃO NA MELHORIA DA
QUALIDADE TÊM UMA LONGA HISTÓRIA.
(MONTGOMERY, 2009)

EM 1924,
Walter A. Shewhart, da Bell Telephone Laboratories, desenvolveu o conceito de gráfico de controle estatístico,
considerado o início ao controle estatístico da qualidade.
NO FINAL DA DÉCADA DE 1920,
Harold F. Dodge e Harry G. Romig, ambos da Bell Telephone Laboratories, desenvolveram a aceitação por amostragem
com base estatística, como uma alternativa para inspeção de 100%.


EM MEADOS DA DÉCADA DE 1930,
os métodos estatísticos de controle da qualidade estavam em uso amplo na Western Electric, o braço de fabricação do
Bell System. No entanto, inicialmente, o valor de controle estatístico da qualidade não foi reconhecido pela indústria.
Foi no período da Segunda Guerra Mundial que se viu uma grande expansão do uso e aceitação do controle estatístico
da qualidade nas indústrias de manufatura. A experiência do tempo de guerra comprovou que técnicas estatísticas eram
necessárias para controlar e melhorar a qualidade do produto. A American Society for Quality Control foi fundada em
1946, a fim de promover o uso de técnicas para melhoria da qualidade para todos os tipos de produtos e serviços. As
décadas de 1950 e 1960 viram o surgimento da engenharia de confiabilidade, a introdução de vários importantes livros
sobre controle estatístico da qualidade e o ponto de vista de que a qualidade é uma forma de gerenciar a organização.
 SAIBA MAIS
Muitas pessoas contribuíram para a metodologia estatística de melhoria da qualidade. No entanto, em termos de
implementação e filosofia de gestão, três indivíduos emergem como líderes: W. E. Deming, J. M. Juran e A. V.
Feigenbaum.
Vamos agora discutir brevemente as abordagens e filosofia de alguns dos líderes que são considerados gurus da
qualidade.
OS GURUS DA QUALIDADE E SUA IMPORTÂNCIA
PARA A QUALIDADE TOTAL E O CONTROLE
ESTATÍSTICO DA QUALIDADE (CEQ)
WALTER A. SHEWHART
Walter Andrew Shewhart ingressou, em 1918, no departamento de engenharia de inspeção da Western Electric Co., que
fabricava o hardware telefônico para Bell Telephone. Os negócios da empresa ditaram a necessidade de reduzir a
frequência de falhas e reparos em seus amplificadores, conectores e outros equipamentos que estavam enterrados no
subsolo, por isso, os engenheiros da Bell Telephone estavam trabalhando para melhorar a confiabilidade de seus
sistemas de transmissão. A Bell Telephone já havia percebido que a redução da variação nos processos de fabricação
teria um impacto positivo nos custos de reparo. Ao mesmo tempo, a empresa verificou que os ajustes contínuos nos
parâmetros do processo, reagindo às não conformidades, resultavam em maior variação e degradação da qualidade.
Em 1924, Shewhart definiu o problema da variabilidade em termos de causa atribuível e causa casual (Deming referiu-se
a isso como causa comum). Em 16 de maio de 1924, Shewhart preparou um memorando de uma página e o
encaminhou a seu superior, George Edwards. Cerca de 1/3 da página foi dedicada a um diagrama simples que hoje
reconheceríamos como um gráfico de controle. Este memorando estabeleceu os princípios e considerações essenciais
que ficaram conhecidos como controle da qualidade de processo.
Os gráficos de Shewhart foram adotados pela American Society for Testing Materials (ASTM) em 1933. Shewhart e
Deming impactaram a melhoria do material de produção durante a Segunda Guerra Mundial nos American War
Standards Z1.1-1941, Z1.2-1941 e Z1.3- 1942. Frequentemente, Shewhart era chamado como consultor do
Departamento de Guerra dos Estados Unidos, das Nações Unidas e do governo da Índia.
Deming continuou a defender as ideias, metodologias e teorias de Shewhart ao longo de sua carreira. Enquanto
trabalhava no Japão, desenvolveu algumas das propostas metodológicas de interferência científica de Shewhart, que
haviam sido chamadas de Ciclo de Shewhart, e eram representadas pelos elementos planeje-faça-verifique-aja (PDCA –
Plan, Do, Control, Act).
 
Imagem: Shutterstock.com adaptado por Mauro Rezende Filho.
 Ciclo de Shewhart.
WILLIAM EDWARDS DEMING
W. Edwards Deming graduou-se em engenharia e física na Universidade de Wyoming e na Universidade de Yale. Ele
trabalhou para a Western Electric e foi muito influenciado por Walter A. Shewhart, o criador do gráfico de controle.
Depois de ter deixado a Western Electric, Deming ocupou cargos públicos no governo norte-americano. Após a guerra,
ele se tornou um consultor nas indústrias japonesas, convencendo a alta administração do poder dos métodos
estatísticos e a importância da qualidade, por toda a empresa (qualidade total), como arma competitiva.
TAL COMPROMISSO COM A QUALIDADE E O USO DOS MÉTODOS
ESTATÍSTICOS FOI E CONTINUA SENDO UM ELEMENTO CHAVE NAS
INDÚSTRIAS DO JAPÃO.
A União Japonesa de Cientistas e Engenheiros (JUSE) criou o Prêmio Deming de melhoria da qualidade em sua honra.
Até sua morte, em 1994, Deming foi um consultor ativo, sendo uma força inspiradora para a melhoria contínua da
qualidade nas empresas orientais e ocidentais. Ele acreditava firmemente que a responsabilidade pela qualidade é da
administração. A maioria das oportunidades de melhoria da qualidade requer ação de gestão. Deming foi um
Página12345678910