Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Fome e Saciedade CONF7|MOD3|P2

Pré-visualização | Página 1 de 2

Ayall� Thamar�
Conferênci�| Módul� 3| P2| Medicin�
FOME E SACIEDADE
OBJETIVOS
● Definir fome, apetite e saciedade;
● Determinantes fisiológicos do peso
e apetite;
● Mecanismos de regulação da
ingestão alimentar;
● Diferenciar regulação a curto e
longo prazo;
FOME
- conjunto de sensações despertadas
pela necessidade do alimento.
APETITE
- desejo físico e emocional de comer
alimentos específicos.
SACIEDADE
- sensação consciente da cessação da
fome.
DETERMINANTES FISIOLÓGICOS
DO CONTROLE DO PESO E
APETITE
➔ fatores
- neuronais;
- gastrointestinais;
- endócrinos;
- fatores adipocitários;
CONTROLE DA INGESTÃO
ALIMENTAR
➔ pelo hipotálamo
- área ventrolateral (ligada à
fome): funciona pela
estimulação de impulsos
motores para busca pela
comida.
- área ventromedial (ligada a
saciedade): sensação de
saciedade completa, além
disso inibe o centro da
fome
- núcleo paraventricular
(ligado à saciedade),
dorsomedial(ligado à fome)
e arqueado (regula os
estoques energéticos) a
ingestão.
- hipotálamo: recebe sinais
neurais do TGI, sinais
químicos dos nutrientes no
sangue, sinais hormonais
gastrintestinais, sinais dos
hormônios liberados pelo
tecido adiposo, sinais do
córtex cerebral.
➔ participação do córtex
cerebral
- região límbica;
➔ fatores hormonais
- orexígenos;
- anorexígenos;
❖ produçã� d� su�tância� or�ígen� �
anor�ígen�
- orexígenas: estimula a
alimentação.
- anorexígenas: inibe a
alimentação.
Ayall� Thamar�
Conferênci� | Módul� 3| P2| Medicin�
AÇÕES HORMONAIS
Regulação nervosa central
● hormônio POMC: libera
alfa-MSH, que se liga a receptores
metanotróficos, provoca redução
da ingestão de alimentos e
aumento do gasto energético.
- defeitos nesta via estão
associados à obesidade
extrema;
- A ativação excessiva reduz o
apetite.
- Quando há mutações genéticas,
há formação excessiva de AGRP
que atua no núcleo arqueado
associado ao aumento da ingestão
de alimento (pela inibição de
alfa-MSH) e a obesidade.
MECANISMO QUE CONTROLAM A
INGESTÃO
➔ A curt� pr��
● mecanismos periféricos
- distensão gástrica( inibe
ingestão): distensão do
estômago ou duodeno,
levam sinais por meio da
via vagal para o
hipotálamo, inibindo o
centro da fome e
estimulando o centro da
saciedade.
- fatores hormonais
gastrointestinais (inibem
a ingestão):
Ayall� Thamar�
Conferênci� | Módul� 3| P2| Medicin�
Hormônios de DIMINUEM a ingestão de
alimentos
★ o hormônio CCK (colecistocinina)
- ativado pela ingestão de
proteínas ou gorduras;
- promove contração da
vesícula biliar,
esvaziamento gástrico,
motilidade intestinal e
secreção de ácido gástrico;
- gera sinais que atuam no
hipotálamo no núcleo da
saciedade e assim ativa-a e
provoca a cessação da
refeição, para impedir de
comer demasiadamente
durante as refeições.
★ peptídeo YY(PYY)
- liberado em quase todo TGI
mas principalmente no íleo
e cólon.
- seu pico é in�luenciado pelo
número de calorias
ingeridas e pela
composição do alimento
(alto conteúdo de gorduras)
- inibe o centro da fome e
estimula o da saciedade.
★ insulina e peptídeo semelhante ao
glucagon (GLP)
- A presença de alimentos no
intestino libera GLP que vai
estimular o pâncreas a
produzir insulina e a
insulina vai atuar no centro
da saciedade ativando-o e
suprimindo o centro da
fome.
Efeitos da Insulina
Hormônios que AUMENTAM a ingestão
alimentar.
★ grelina
- é liberada pelas células
oxínticas do estômago, mas
também pode ser libera em
pequena quantidade pelo
intestino;
- seus se elevam durante o
jejum e em pico antes da
alimentação;
- suprime o apetite;
- aumenta a ingestão de
alimentos;
★ receptores orais
- a mastigação, salivação,
deglutição e paladar são
fatores relacionados à
inibição do centro da fome;
Ayall� Thamar�
Conferênci� | Módul� 3| P2| Medicin�
- À medida que vai se
mastigando e o alimento
vai passando por exemplo,
para o esôfago, o centro da
fome estava ativado, será
inibido.
- considerada menos intensa
e curta.
- saciedade sensório
específica: caracterizada
pela diminuição sensorial
causada por um alimento
específico ingerido durante
uma refeição, enquanto a
vontade de ingerir outros
alimentos permanecem ou
aumentam.
➔ A long� pr��
- mecanismos cerebrais
- é dependente do estado
nutricional do indivíduo;
- As concentrações de
glicose, aminoácidos e
lipídios atuam sobre a fome
e alimentação.
★ TEORIA GLICOSTÁTICA DA REGULAÇÃO DA
FOME E DA ALIMENTAÇÃO: A queda das
concentrações de glicose , ativam o
centro da fome.
★ TEORIAS REGULATÓRIAS AMINOSTÁSTICAS
E HIPOSTÁTICAS: a queda de
aminoácidos e lipídeos estimulam
o centro da fome.
- o aumento do nível de
glicose sanguínea aumenta
a frequência de disparos
dos neurônios
glicorreceptores no centro
da saciedade, núcleos
ventromedial e
paraventricular;
simultaneamente diminui
os disparos dos neurônios
glicossensitivos no centro
da fome do hipotálamo
lateral.
★ regulação da temperatura
- frio: aumenta a ingestão de
alimento (aumenta o
metabolismo e fornece
gordura para isolamento).
- calor: diminui a ingestão
de alimento.
★ tecido adiposo
- a atuação de leptina
liberada pelo tecido
adiposo;
- reduz a produção
hipotalâmica de
Ayall� Thamar�
Conferênci� | Módul� 3| P2| Medicin�
estimuladores do
apetite(NPY e AGRP);
- ativa os neurônios POMC,
provocando a liberação de
alfa-MSH e ativação de
receptores da
melanocortina;
- aumenta a produção
hipotalâmica de
substâncias como o
hormônios liberador de
corticotropina ( diminui a
ingestão alimentar);
- diminuição da secreção de
insulina pelas células beta
pancreáticas (reduz o
armazenamento
energético);
- produção de hormônios
estimulantes ou inibidores
do apetite
★ leptin�
- sensação de saciedade;
- aumenta a queima de
gordura;
- controle da massa adiposa;
★ grelin�
- sensação de fome e ativação
de memórias alimentares;
- preparação do TGI para
receber o alimento;
- ativação dos sistemas de
recompensa;
OBS: em humanos, quando há mutações
que geram receptores defeituosos ou
incapacidades na produção de leptina,
provoca hiperfagia acentuada e obesidade
mórbida
- no entanto, em humanos há
aumento da síntese de leptina em
proporção ao aumento do tecido
adiposo;
- Há hipótese de que a obesidade
pode estar relacionada a
resistência à leptina.
PERGUNTAS
● O que leva a pessoa a desligar a ingestão
quando ela já comeu bastante?
- São necessárias horas, para
que fatores nutricionais
suficientes sejam
absorvidos pelo sangue,
para que provoque a
necessidade de inibir o
apetite.
- é importante não comer em
excesso e só ingerir a
quantidade adequada;
Ayall� Thamar�
Conferênci� | Módul� 3| P2| Medicin�
IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO A CURTO E LONGO PRAZO
NA ALIMENTAÇÃO
● os estímulos a curto prazo tendem
a fazer com que a pessoa coma
quantidades menores a cada vez
que se alimentar, e faz com que o
alimento passe mais lentamente
pelo TGI, ocorrendo a digestão
correta; faz com que haja
prevenção de quantidades
excessivas para os metabólitos de
armazenamentos;
● os estímulos a longo prazo incluem
mecanismos nutricionais de
feedback energético que ajudam a
manter os estoques constantes nos
tecidos e impedem que fiquem
excessivamente alto ou baixo;
GORDURA
- produtos de condensação de
glicerol e ácidos graxos;
- pode ser de origem animal ou
vegetal;
- é armazenada no tecido
subcutâneo e na cavidade
intraperitoneal;
➔ tipos de gordura
● gordura marrom
- importante para a resposta
termogênica e o balanço
energético em pequenos
mamíferos.
- sua indução promove a
dissipação de energia e
reduz a adiposidade,
protegendo da obesidade;
- os recém-nascidos tem
fonte termoenergética na
gordura marrom;
- altamente vascularizada e
inervada pelo SNA
simpático;
- quando sofre estresse por
frio, os níveis de adrenalina
aumentam, atuando no
tecido da gordura marrom,
estimulando a lipólise;
● gordura branca
- acumula energia no corpo
- tem distribuição
generalizada;
- é importante para proteção
mecânica dos órgãos;
- é acumulada pelo excesso
da alimentação;
➔ obesidad�
- acúmulo excessivo de
gordura corporal;
- quando o peso estável é
atingido
Página12