Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
QUESTÕES AIN 05, 06 e 07 Hemorragia digestiva baixa; tipos de choque; choque hipovolêmico; choque hemorrágico; choque obstrutivo; trauma de tórax

Pré-visualização | Página 1 de 3

NAYSA GABRIELLY ALVES DE ANDRADE 1 
 
AIN 05, 06 e 07 – Hemorragia digestiva baixa; tipos de choque; choque 
hipovolêmico; choque hemorrágico; choque obstrutivo; trauma de tórax 
1. G.M.J., feminino, 68 anos, branca, médica, apresenta quadro súbito de 
desconforto abdominal e eliminação de grande quantidade de fezes vinhosas, 
acompanhada por mal estar, palidez e sudorese fria. Nega uso de qualquer tipo 
de medicação. Foram instituídas as medidas iniciais diagnósticas e 
terapêuticas. Dentre as medidas abaixo, na condução desse caso, qual é a 
INCORRETA? 
 
a) Minuciosa história clínica 
b) Exame físico completo incluindo toque retal e anuscopia 
c) realização de exames hematológicos simples, entre eles a medida de 
hemoglobina sérica, do hematócrito contagem de plaquetas e coagulograma. 
d) propedêutica armada adequada, com colonoscopia, não sendo necessário, 
nesse caso, incluir a endoscopia digestiva alta. 
e) Não identificando a sede do sangramento, pede-se exame de captação 
cintilográfica com hemácias marcadas com tecnécio radioativo, enteroscopia, 
uso de cápsula endoscópica e arteriografia do território das artérias 
mesentéricas. 
 
2. Paciente de 42 anos chega ao Pronto Socorro levado por populares, com relato 
de três episódios de hemorragia digestiva alta de grande monta na última hora. 
Não recebeu nenhum tipo de reposição volêmica. Ao exame, apresenta-se 
hipocorado (3+/4+), sudoreico, confuso, FC 140 bpm e PA 80x60 mmHg. Em 
relação a este paciente, podemos afirmar, EXCETO: 
 
a) deve apresentar vasoconstrição das arteriolas da pele, músculos e vísceras 
abdominais para direcionar o sangue ao coração e cérebro. 
b) dever receber reposição volêmica, preferencialmente, com coloides para 
manter o volume no compartimento intravascular. 
c) existe uma tentativa de compensação pelo estímulo adrenérgico. 
d) o hematocrito à admissão não é parâmetro confiável para se estimar a perda 
volêmica deste paciente. 
 
3. Otacílio tem 70 anos e controla a hipertensão arterial com dieta hipossódica e 
diurético. Veio à consulta de emergência, informando que nas últimas 2 horas, 
apresentou 3 episódios de sangramento de coloração vermelho vivo pelo ânus. 
Nega uso de medicações ulcerogênica ou de anticoagulantes e não há 
registros de outras comorbidades. Ao exame clínico apresenta palidez cutâneo-
mucosa, sudorese, taquicardia, extremidades frias e queixa-se de tonteiras. A 
PA registrada é de 90x60 mmHg, FC de 112 bpm e o hematocrito inicial é de 
35%. Dos parâmetros pesquisados no exame inicial, aquele que melhor indica 
a gravidade da hemorragia digestiva é: 
 
a) hematocrito 
b) PA sistólica menor que 90 mmHg em posição supina 
c) palidez cutâneo-mucosa com extremidades quentes 
d) agitação psicomotora associada a picos hipertensivos 
 
4. Em relação ao choque, marque a opção correta: 
 
a) O choque hipovolêmico compensado ocorre com hemorragia de mais de 
20% do volume sanguíneo. 
b) Estado mental reduzido ou agitação do paciente com hemorragia indicam 
colapso cardiovascular iminente. 
c) A acidemia não tem relação clínica com a gravidade do choque 
d) Os achados físicos de pacientes com choque por tamponamento cardíaco 
são: as veias do pescoço distendidas, pulso paradoxal e hipertensão. 
 
NAYSA GABRIELLY ALVES DE ANDRADE 2 
 
e) A angioplastia coronariana não tem influência no surgimento do choque 
cardiogênico pós-IAM 
 
5. Sobre o choque hipovolêmico, é incorreto afirmar que: 
 
a) em pacientes com choque grave, a reposição do volume intravascular deve 
ser feita com soluções de coloides. 
b) pacientes tratados com soluções hipertônicas apresentam menor 
comprometimento da função imunológica comparados com os pacientes 
tratados com cristaloides 
c) o lactato sérico inicial e seu nível seriado são prognosticadores confiáveis de 
morbimortalidade no choque hemorrágico 
d) pacientes com trauma abdominal penetrante que apresentam choque, 
normalmente precisam de intervenção cirúrgica 
 
6. Sobre o choque obstrutivo podemos afirmar: 
 
a) Nesse tipo de choque, ocorre a obstrução ou compressão de grandes vasos 
devido a perda sanguínea importante levando a diminuição abrupta do débito 
cardíaco. 
b) Pode ocorrer por diversas causas, entre elas o tamponamento cardíaco, 
tromboembolismo pulmonar e o pneumotorax. 
c) Temos como caracteristica desse choque a diminuição do debito cardiaco, 
com resistência vascular periférica e pressão venosa central alta. 
d) No tamponamento cardiaco associado ao choque obstrutivo devemos evitar 
a pericardiocentese, e realizar apenas a toracotomia de urgência. 
 
7. Sobre as principais lesões decorrentes do trauma torácico podemos afirmar: 
 
a) O trauma torácico contuso pode ser decorrente de lesão por arma branca ou 
lesão por arma de fogo 
b) Pneumotorax hipertensivo pode ocorrer após trauma torácico tendo como 
principal terapia a puncão descompressiva imediata seguido de drenagem 
pleural. 
c) Podemos utilizar como tratamento de pneumotorax simples a punção 
descompressiva 
d) Paciente com quadro de hemotórax maciço devemos realizar a drenagem 
pleural imediata, sendo contraindicado a toracotomia exploradora. 
 
8. Sobre a toracotomia na emergência, temos como contra indicação a esse 
procedimento: 
 
a) Presença de sinais de vida na chegada a sala de emergência 
b) Hipotensao grave persistente com evidencia de tamponamento cardíaco 
c) Paciente com quadro de assistolia na sala de emergência após trauma 
torácico contuso 
d) Hipotensao persistente pos traumática devido a hemorragia intratorácica não 
responsiva a reposição volêmica 
 
9. Assinale a alternativa correta: 
 
a) No tromboembolismo pulmonar o choque obstrutivo está presente em 
aproximadamente 60% dos pacientes, sendo a causa mais frequente de 
mortalidade na fase aguda. 
b) Os pequenos trombos são capazes de gerar um aumento na pressão da 
artéria pulmonar suficientes para produzir comprometimento da função contrátil 
do ventrículo direito. 
c) O tromboembolismo pulmonar estimula a liberação de substâncias capazes 
de produzir vasoconstricção reflexa, como a bradicinina e a serotonina, que 
contribuem para o aumento da pressão na artéria pulmonar. 
 
NAYSA GABRIELLY ALVES DE ANDRADE 3 
 
d) Uma importante contribuição para o agravamento da hipertensão arterial 
pulmonar é a hipoxemia que dimunui o nível de resistência vascular pulmonar. 
 
10. São contraindicações absolutas de pericardiocentese: 
 
a) dissecção aortica e ruptura miocárdica 
b) coagulopatia não corrigida 
c) terapia anticoagulante 
d) pequenos derrames pericárdicos loculados posteriores 
e) não existem contraindicações absolutas 
 
11. Um paciente de 23 anos sofreu um acidente por arma branca na fossa 
antecubital direita. Foi socorrido por populares e levado a uma emergência com 
o relato de que, durante o transporte, houve grande perda de sangue em jato 
pela ferida. No momento do atendimento inicial foi notado ferimento na artéria 
braquial prontamente controlado. No entanto, o paciente persistiu com 
sangramento profuso pelos bordos da ferida, sugerindo uma coagulopatia 
aguda. Com base no caso descrito, qual dos seguintes fatores é determinante 
na indução de coagulopatia por meio de ativação sistêmica das vias fibrinolítica 
e anticoagulante? 
a) Anemia 
b) Choque 
c) Acidose 
d) Hipotermia 
 
12. O choque distributivo é caracterizado pela presença de má distribuição do fluxo 
sanguíneo relacionado a uma inadequação entre a demanda tecidual e a oferta 
de oxigênio. Um exemplo clássico desse tipo é o choque: 
a) Séptico 
b) Obstrutivo 
c) Cardiogênico 
d) Hipovolêmico 
 
13. Em qual das alternativas descritas a seguir a variável hemodinâmica NÃO está 
de acordo com o diagnóstico de um choque hipovolêmico classe III? 
a) Perda sanguínea acima de 40% da volemia 
b) Frequência cardíaca superior a 120bpm 
c) Paciente
Página123