Buscar

Recursos e Execuções Trabalhista

Prévia do material em texto

Recursos e Execuções
Varas de trabalho > TRT > TST > STF.
Recurso ordinário > recurso de revista > recurso extraordinário.
O agravo de instrumento na justiça de trabalho serve única e exclusivamente para destrancar recursos.
Da decisão monocrática que trancar o processo no TRT, caberá agravo interno.
Da mesma forma, da decisão monocrática proferida pelo ministro do TST que tranca o processo no juízo de admissibilidade, cabe agravo interno.
O recurso em execução se chama 'Agravo em Petição'. 
O recurso de revista é utilizado em casos em que há divergências na aplicação da lei federal ou constitucional. 
1. Requisitos de Admissibilidade
1.1 Tempestividade
· Dentro do prazo. 
· Em regra, 8 dias.
· Úteis.
· * Embargos de declaração: 5 dias. 
· * Obs.: feriados locais -> necessita de prova. Necessário informar a Tempestividade devido o feriado e prová-lo.
1.2 Preparo
· Custas + depósito recursal.
· Custas: 2% do valor da condenação. 
· Valor min: 10,64. 
· Valor max: 4x teto do INSS. 
· O depósito recursal é uma garantia da condenação. É o valor integral da condenação até o limite do depósito. 
· Limites do depósito Recurso Ordinário: 12.296,38 (alterado anualmente).
· No caso do recurso de revista, o valor do limite do depósito é o dobro: 24.592,76.
· No caso de agravo de instrumento, o depósito recursal é metade do valor do recurso que irá destrancar.
· 'Deserto' é o recurso sem preparo.
· Caso o valor do depósito recursal seja inferior ao devido, a parte deverá ser notificada para complementar o depósito no prazo de 5 dias sob pena de deserção. 
· Na prática, é possível utilizar desse pagamento parcial para ganhar prazo para pagar o restante.
· Isenção do depósito recursal:
· Justiça Gratuita. 
· Entidade Filantrópica.
· Recuperação Judicial (Súmula 86 do TST).
· Não ocorre deserção de recurso da massa falida por falta de pagamento de custas ou de depósito do valor da condenação. Esse privilégio, todavia, não se aplica à empresa em liquidação extrajudicial. 
· A empresa em liquidação extrajudicial deve pagar. 
· A massa falida é o patrimônio que sobrou da empresa que faliu. Não paga. 
· Metade do depósito recursal (metade do valor da condenação até o limite):
· Empregador doméstico. 
· MEI. 
· Microempresa ou EPP. 
· Entidade sem fins lucrativos.
1.3 Cabimento 
· Decisão tem que ser recorrível. 
· Adequado. O recurso apresentado deverá ser o correto. 
1.4 Interesse
· Decorre, geralmente, da Sucumbência. Se eu perdi algum pedido, ou foi decidido da forma que eu não pedi, tenho interesse.
1.5 Ausência de Fato Extintivo ou Impeditivo
· Pagamento da condenação;
· Renúncia;
· Desistência do recurso. 
1.6 Representação
· Ex.: situação de jus postulandi em que busco um advogado para recorrer e ele recorre, mas sem juntar procuração.
2. EFEITOS RECURSAIS
· Efeito suspensivo (impede uma execução provisória) - não existe efeito suspensivo em regra. 
· Efeito devolutivo - devolve ao judiciário a apreciação da demanda. 
· Extensão do efeito devolutivo (eficácia horizontal) - são os capítulos da sentença de que estou recorrendo. Só das horas extras, dentre todos os pedidos, por exemplo. Posso recorrer de tudo ou só de algum (uns). 
· Profundidade do efeito devolutivo (eficácia vertical) - deste capítulo que eu recorri, a justiça terá acesso a todas as provas produzidas no processo, e não apenas as que eu aleguei.
· Efeito obstativo - obsta o trânsito em julgado. 
· Efeito translativo - permite ao órgão recursal conhecer matéria não suscitada pela parte recorrente, tendo em vista a natureza de ordem pública das questões que admitem tal efeito.
· Efeito expansivo - quando por ocasião do julgamento do recurso houver decisão mais abrangente que o objeto impugnado. Dessa forma o recurso expande seus efeitos iniciais, abarcando matéria que não foi objeto de impugnação recursal.
· Objetivo - caso da prescrição, que atinge todos os demais objetos. 
· Subjetivo - caso dos litisconsortes. 
· Efeito regressivo - trata da possibilidade de a autoridade prolatora da decisão objurgada retratar ou reconsiderar seu entendimento, com amparo nos princípios da simplicidade, da celeridade e da economia processual.
· Efeito substitutivo - o efeito substitutivo ocorre apenas quando o juízo recursal analisa o mérito da questão impugnada, isto é, somente nos casos em que a fase de admissibilidade é ultrapassada. Ocorrendo isso, o tribunal ad quem julga o mérito e, se der provimento ao inconformismo do recorrente, substitui a decisão impugnada. 
Recursos em Espécie
1. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO
· Art. 1.022, CPC e art. 897-A da CLT, que dispõe:
· “Art. 897-A da CLT – Caberão embargos de declaração da sentença ou acórdão, no prazo de cinco dias, devendo seu julgamento ocorrer na primeira audiência ou sessão subseqüente à sua apresentação, registrada na certidão, admitindo efeito modificativo da decisão nos casos de omissão e contradição no julgado e manifesto equívoco no exame dos pressupostos extrínsecos do recurso”.
· Possui natureza jurídica de recurso.
· Prazo: 05 dias úteis.
· A interposição dos embargos de declaração interrompe o prazo do recurso principal.
· O prazo volta a correr do início, ou seja, reinicia a contagem do prazo para interpor o recurso principal, por exemplo, o ordinário, de 08 dias. (É diferente de suspensão. Na suspensão, o prazo continua de onde parou)
· A oposição dos embargos de declaração interrompe o prazo para interposição de outros recursos por qualquer das partes, conforme previsão explícita no art. 1.026 do Novo CPC:
· Art. 1.026. Os embargos de declaração não possuem efeito suspensivo e interrompem o prazo para a interposição de recurso.
· As pessoas jurídicas de direito público possuem o prazo em dobro para oposição de embargos de declaração, conforme previsto no Decreto-lei 779/1969 e na OJ 192 da SDI-I/TST.
· OJ SDI-1 192. EMBARGOS DECLARATÓRIOS. PRAZO EM DOBRO. PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PÚBLICO. DECRETO-LEI Nº 779/69 (inserida em 08.11.2000). É em dobro o prazo para a interposição de embargos declaratórios por Pessoa jurídica de direito público.
· Finalidades:
· Sanar omissão, obscuridade ou contradição, mediante o esclarecimento, complementação do julgado ou corrigir erro material (art. 1.022 CPC);
· Obter efeito modificativo do julgado. Em caso de omissão, contradição ou manifesto equívoco no exame dos pressupostos de admissibilidade recursal;
· Prequestionar determinada matéria não apreciada na decisão, objetivando futura interposição de recurso de natureza extraordinária (recurso de revista, embargos, recurso extraordinário).
· Embargos de declaração com efeitos modificativos:
· Quando há possibilidade de alterar a sentença;
· É obrigatória a notificação da parte contrária para se manifestar no prazo de 05 dias quando a decisão dos embargos tem a possibilidade de alterar a sentença.
· Súmula nº 278 do TST. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO NO JULGADO (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. A natureza da omissão suprida pelo julgamento de embargos declaratórios pode ocasionar efeito modificativo no julgado.
· O prazo para oposição de embargos de declaração é de cinco dias, contados da intimação da sentença ou do acórdão, não havendo a oposição de contrarrazões pelo embargado, salvo se houver pedido de efeito modificativo do julgado pelo recorrente, quando se torna obrigatória, sob pena de nulidade, a oitiva da parte contrária, conforme demonstra a OJ 142 da SDI-I/TST.
· OJ SDI-1 nº 142. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. EFEITO MODIFICATIVO. VISTA À PARTE CONTRÁRIA. (inserido o item II à redação) – Res. 178/2012, DEJT divulgado em 13, 14 e 15.02.2012. 
I - É passível de nulidade decisão que acolhe embargos de declaração com efeito modificativo sem que seja concedida oportunidade de manifestação prévia à parte contrária. 
II - Em decorrência do efeito devolutivo amplo conferido ao recurso ordinário, o item I não se aplica às hipóteses em que não se concede vista à parte contrária para se manifestar sobre os embargos de declaração opostos contra a sentença.
· Embargos de Declaração protelatórios· Cabe multa que pode ser ampliada na hipótese de apresentação de sucessivos embargos.
· Embargos com objetivo de prequestionamento
· É possível para o tribunal firmar tese jurídica e possibilitar o manejo do recurso de revista.
· Embargos intempestivos
· Não interrompe o prazo para apresentar o recurso principal.
· Caso uma das partes já tenha apresentado o recurso principal e a outra parte apresentou embargos de declaração, o juiz julgará os embargos e, se a sentença dos embargos modificar a sentença original, a parte que já apresentou o recurso pode complementá-lo.
2. RECURSO ORDINÁRIO
· Previsão legal: art. 895, CLT.
· Prazo: 08 dias úteis.
· Cabimento:
· Art. 895, CLT. Cabe recurso ordinário para a instância superior: 
I - das decisões definitivas ou terminativas das Varas e Juízos, no prazo de 8 (oito) dias; e 
II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais, em processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito) dias, quer nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos.
· A Súmula 158 do TST esclarece que, da decisão de Tribunal Regional do Trabalho em ação rescisória, é cabível recurso ordinário para o Tribunal Superior do Trabalho.
· Súmula nº 158 do TST. AÇÃO RESCISÓRIA (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. Da decisão de Tribunal Regional do Trabalho, em ação rescisória, é cabível recurso ordinário para o Tribunal Superior do Trabalho, em face da organização judiciária trabalhista (ex-Prejulgado nº 35).
· No mesmo sentido, a Súmula 201 do TST dispõe que da decisão do Tribunal do Trabalho em mandado de segurança cabe recurso ordinário, no prazo de oito dias, para o Tribunal Superior do Trabalho, e igual dilação para o recorrido e interessados apresentarem razões de contrariedade (contra-razões). 
· Súmula nº 201 do TST. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. Da decisão de Tribunal Regional do Trabalho em mandado de segurança cabe recurso ordinário, no prazo de 8 (oito) dias, para o Tribunal Superior do Trabalho, e igual dilação para o recorrido e interessados apresentarem razões de contrariedade (CONTRARRAZÕES).
· Outra hipótese de utilização de recurso ordinário em face de decisão interlocutória de natureza terminativa do feito ocorre quando o magistrado acolhe exceção de incompetência em razão do lugar e determina a remessa dos autos à Vara do Trabalho submetida à jurisdição de outro Tribunal Regional do Trabalho, conforme bem esclarece a Súmula 214 do TST.
· Também cabe nos casos de acolhimento da exceção de incompetência territorial que remete os autos para tribunal diverso.
3. RECURSO ADESIVO
· O recurso adesivo é uma forma de interpor um recurso que depende de outro recurso já interposto pela parte contrária. Ele só é cabível quando há sucumbência recíproca, ou seja, quando ambas as partes são vencedoras e perdedoras em algum aspecto da decisão judicial. 
· O recurso adesivo não é um tipo de recurso específico, mas uma forma de interpor outros recursos previstos na legislação, como apelação, recurso especial ou recurso extraordinário. Ele tem como vantagem permitir que a parte recorra após o prazo comum, mas, como limitação, está subordinado ao recurso principal.
· Não tem previsão explícita na CLT, sendo aplicável subsidiariamente, o §1º do art. 997 do Novo CPC, conforme estabelecido na Súmula 283 do TST:
· Art. 997. Cada parte interporá o recurso independentemente, no prazo e com observância das exigências legais. 
§ 1º Sendo vencidos autor e réu, ao recurso interposto por qualquer deles poderá aderir o outro.
· Nos termos da súmula 283, do TST, o recurso adesivo somente será admitido nas seguintes situações: 
· interposição de recurso ordinário 
· interposição de recurso de revista
· interposição de agravo de petição
· interposição de embargos no TST
· interposição de extraordinário.
· Súmula nº 283 do TST. RECURSO ADESIVO. PERTINÊNCIA NO PROCESSO DO TRABALHO. CORRELAÇÃO DE MATÉRIAS (mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003. O recurso adesivo é compatível com o processo do trabalho e cabe, no prazo de 8 (oito) dias, nas hipóteses de interposição de recurso ordinário, de agravo de petição, de revista e de embargos, sendo desnecessário que a matéria nele veiculada esteja relacionada com a do recurso interposto pela parte contrária.
· A regra é de que as partes interponham seus recursos de forma autônoma e independente, mas, se houver sucumbência recíproca, ao recurso interposto por uma parte poderá aderir à outra.
· Ao recurso adesivo se aplicam as mesmas regras do recurso independente, no que se refere às condições de admissibilidade, preparo e julgamento no tribunal Superior. Isto significa que, se o aderente for o empregador, deve completar as custas processuais ou depósito recursal, se for o caso.
· Preenchidos os requisitos do recurso adesivo, o seu procedimento será o mesmo do recurso principal.
· O prazo para a interposição é o mesmo que a parte dispõe para responder o recurso principal, ou seja, após a análise dos pressupostos de admissibilidade, abre-se vista à outra parte para que apresente contrarrazões, no prazo de 8 dias, momento em que, poderá interpor também o recurso adesivo. [Art. 500, I, CPC]
· O recurso adesivo é dependente do recurso principal, de forma que se o recurso principal não for conhecido ou se houver desistência dele, o adesivo também não será processado. [Art. 500, III, CPC]
· O recurso adesivo não dispensa a parte do preparo, ou seja, da realização do depósito ou do recolhimento das custas. [Art. 500, § único, CPC]
4. AGRAVO POR INSTRUMENTO
· Serve para destrancar recurso inadmitido no juízo "a quo".
· Inadmitido = não passou pelos requisitos de admissibilidade.
· Previsão Legal:
· Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias: 
b) de instrumento, dos despachos que denegarem a interposição de recursos.
· Prazo: 8 dias contados da decisão que inadmitiu o recurso.
· Cabimento: para destrancar recurso inadmitido (que não passou pelos requisitos de admissibilidade) no juízo a quo.
· Preparo: 50% do valor do recurso que pretende destrancar.
· Destranca os seguintes recursos: (1) recurso ordinário; (2) recurso de revista; (3) agravo de petição. Esses são recursos que vão para instância superior.
5. AGRAVO INTERNO / REGIMENTAL
· Serve para levar o julgamento de forma colegiada, retirando de análise monocrática.
· Ex.: Relator do TRT inadmitiu o recurso por não ter passado pelos requisitos de admissibilidade.
· Ex.: impugnar decisões monocráticas que denegou seguimento a recurso prolatada pelo juiz relator no exercício de segundo juízo de admissibilidade (juízo ad quem);
· Ex.: impugnar decisão monocrática do Presidente do Tribunal Superior do Trabalho que nega seguimento ao recurso de embargos no Tribunal Superior do Trabalho.
· Prazo: 8 dias.
6. AGRAVO DE PETIÇÃO
· Cabe em decisões na execução.
· Ex.: fui condenado em 100 mil reais, mas eu entendo que o correto seria de 50 mil. Não recorri e transitou em julgado. Interposto o embargo de execução… 
· Deve delimitar a matéria e valores.
· Hipóteses de cabimento:
· Em face de sentença de embargos de execução, embargos de adjudicação ou embargos à arrematação. 
· Em face de sentenças em ações de Embargos de Terceiros e; 
· Em face de incidentes à execução ou decisão que extinguiu a execução.
· Prazo: 8 dias.
7. RECURSO DE REVISTA
· O recurso de revista é um recurso de natureza extraordinária, que só cabe no Direito do Trabalho. Ele visa uniformizar a interpretação das leis federais, estaduais e constitucionais no âmbito da Justiça do Trabalho.
· O recurso de revista é cabível contra decisões proferidas em grau de recurso ordinário pelos Tribunais Regionais do Trabalho, quando houver divergência de interpretação entre os TRTs, ou entre estes e o Tribunal Superior do Trabalho (TST), ou quando houver violação literal de lei federal ou da Constituição Federal.
· Não discute fatos.
· Discute-se a aplicação da norma legal.
· Recurso de natureza extraordinária. 
· Hipótese de cabimento:· Decisão do TRT contrária à legislação federal. 
· Decisão do TRT contrária à Constituição Federal. 
· Decisão do TRT contrária à Súmula Vinculante. 
· Decisão do TRT contrária à Súmulas do TST. 
· Decisão do TRT contrária à orientação jurisprudencial.
· Decisão do TRT contrária de outro TRT. 
· Requisitos específicos de admissibilidade:
· Prequestionamento
· Tribunal firmar tese em relação à matéria objeto do recurso de revista.
· Transcendência
· Ultrapassa as partes que estão envolvidas.
· Transcendência econômica: em razão do valor da causa.
· Transcendência social. 
· Transcendência política.
· Transcendência jurídica. 
· Apenas é analisado no juízo "ad quem" (TST).
· Prazo: 8 dias. 
· Preparo: dobro do recurso ordinário.
8. EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA
· É aplicado no âmbito do TST quando ocorrem decisões divergentes entre turmas.
· Prazo: 8 dias. 
9. EMBARGOS INFRINGENTES
· Alguns dissídios coletivos são iniciados no TST. 
· Dissídios coletivos são ações judiciais que visam solucionar conflitos coletivos de trabalho, ou seja, conflitos que envolvem interesses comuns a uma categoria de trabalhadores ou empregadores.
· Prazo: 8 dias. 
Exercício de Fixação
Na situação abaixo, identifique todos os meios de impugnação apresentados:
· Juliana foi dispensada quando estava grávida. Através de seu advogado, ingressou com a ação competente pedindo ainda, como tutela de urgência, a reintegração imediata. Em decisão interlocutória a reintegração foi indeferida, levando sua impugnação pelo meio cabível [mandado de segurança]. O processo principal seguiu, sendo designada audiência una. Em audiência, o juiz indeferiu a apresentação de testemunhas por Juliana, pelo que seu advogado impugnou [protesto]. A sentença julgou improcedentes os pedidos de Juliana. O advogado apresentou o recurso cabível [recurso ordinário], mas teve o seguimento negado por suposta intempestividade, levando em apresentação de novo recurso [agravo por instrumento], levando o processo ao tribunal regional. Após apreciação, o acórdão manteve a sentença, necessitando que Juliana apresentasse o meio de impugnação [embargos de declaração] para prequestionar matéria constitucional. Após novo julgamento no TRT, Juliana apresentou recurso [recurso de revista] para o TST. O ministro relator negou o conhecimento do recurso por ausência de transcendência. Após novo recurso [agravo interno] e superada a questão, a turma do TST negou provimento ao recurso. Observando posicionamento favoráveis de outras turmas do TST, o advogado de Juliana apresentou recurso [embargos de divergência] para a SDI-I quando, enfim, Juliana teve êxito e venceu a demanda.
Av2
1 LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA
As sentenças líquidas são aquelas que já determinam o valor da condenação a ser pago pelo empregador ao empregado, ou seja, o valor da indenização ou das verbas trabalhistas já é especificado na sentença.
Já as sentenças ilíquidas determinam apenas o direito do empregado (fgts, férias, 13°, adicional de horas extras), sem especificar um valor para a condenação. Nesses casos, o valor é apurado em liquidação de sentença, em que se faz o cálculo das verbas devidas ao trabalhador.
Em resumo, as sentenças líquidas já indicam o montante a ser pago pelo empregador, enquanto as sentenças ilíquidas determinam apenas o direito do trabalhador, mas sem estipular um valor específico devido. 
Quando a sentença é ilíquida, o juiz estima provável valor para ser base de depósito recursal.
1.1 FORMAS DE LIQUIDAÇÃO
1.1.1 POR CÁLCULO
· As partes
· Auxiliar do juiz: normalmente o juiz manda o auxiliar elaborar. 
Se os cálculos foram apresentados por uma das partes, é dado vistas à outra parte para que se manifeste no prazo de 8 dias. 
Elaborado os cálculos pelo auxiliar do juiz, é dado vistas às partes para que se manifestem no prazo de 8 dias.
O referido prazo é preclusivo. Se as partes não impugnarem os cálculos, não será possível questioná-los na execução.
A decisão que homologa os cálculos é irrecorrível neste primeiro momento.
1.1.2 POR ARBITRAMENTO
Reconhecimento da natureza salarial da habitação.
O reconhecimento da natureza salarial da habitação no direito do trabalho ocorre quando o empregador fornece moradia ou habitação como uma forma de pagamento ou parte do salário do empregado. Nesse caso, a habitação é considerada como parte integrante da remuneração do empregado e, portanto, deve ser contabilizada para fins de cálculo de horas extras, férias, 13º salário, FGTS e outros benefícios trabalhistas.
O reconhecimento da natureza salarial da habitação é importante para garantir os direitos do trabalhador e evitar violações da legislação trabalhista. Caso a habitação seja fornecida pelo empregador como parte do salário, é necessário que essa informação esteja devidamente registrada nos documentos trabalhistas, como a carteira de trabalho e o contracheque.
Vale ressaltar que nem sempre a habitação fornecida pelo empregador é considerada como salário. Se a habitação for concedida gratuitamente, sem qualquer tipo de desconto na remuneração do empregado, ela não é considerada como parte do salário e, portanto, não deve ser contabilizada para fins de benefícios trabalhistas.
Digamos que eu trabalhe numa empresa e além do salário, me dão uma moradia, aluguel de apartamento. Não sei quanto é o aluguel, mas eu entendo que isso é parte do salário. Disto, então, incide FGTS, férias, 13°e etc.
 
É quando as partes não possuem conhecimento suficiente, nem o juiz, em questões muito difíceis de apresentar os cálculos, e se arbitra um perito para que este faça os cálculos.
1.1.3 POR ARTIGOS
Depender de prova do fato.
Na prática, a liquidação por artigos é utilizada nas situações em que a liquidação depende da comprovação de fatos que não foram totalmente esclarecidos no processo de conhecimento. Assim, é necessário esclarecer os pontos para valorar a quantia devida na execução.
2.0 EXECUÇÃO
Serve para satisfazer o crédito existente.
Como se inicia?
Antes da reforma trabalhista, era possível que o juiz iniciasse de ofício.
Após a reforma trabalhista, a execução se inicia por requerimento da parte.
No caso de jus postulandi, pode, o juiz, iniciar de ofício. 
A execução das contribuições previdenciárias incidentes dos títulos inseridos em sentença também podem ser iniciadas de ofício pelo juiz.
Transitou em julgado, a sentença está líquida, o juiz intima a parte credora para informar se tem interesse em iniciar a execução. A parte requer a notificação da parte sucumbente para que inicie a execução. O juiz notifica.
O exequente pode apresentar uma 'impugnação à sentença de liquidação'.
 
O executado pode interpor embargos à execução.
2.1 RESPONSABILIDADE
A terceirização é uma relação triangular (tomador, empresa prestadora e empregado prestador).
A responsabilidade, no caso de terceirização, é subsidiária. Primeiro se intima a empresa prestadora (empresa de limpeza do shopping) a pagar. Não sendo pago, se intima o tomador (shopping).
Temporário: subsidiária.
Grupo econômico: solidária.
2.2 TIPOS DE EXECUÇÃO
2.2.1 EXECUÇÃO PROVISÓRIA
O CPC determina que o credor pode requerer a execução provisória, desde que ponha uma caução. A exceção, também prevista no CPC, é no caso de natureza alimentar. O direito trabalhista tem natureza alimentar.
2.2.2 EXECUÇÃO DEFINITIVA
2.2.2.1 PROCEDIMENTO
Requerimento de execução -> citação.
A citação deve ser pessoal. O devedor vai ser citado para, em 48h, pagar, garantir o juízo (quando for embargar) ou nomear bens à penhora.
Garantindo o juízo ou nomeando bens à penhora, o executado tem o prazo de 5 dias para interpor embargos à execução. 
Embargos à execução é a defesa do executado no curso da execução.
2.2.2.1.1 EMBARGOS À EXECUÇÃO
Necessita garantia do juízo (seja através de dinheiro, seja através de bens).
Alternativamente, caso não tenha a garantia do juízo, pode, o executado, apresentar a exceção de pré-executividade.
A exceção de pré-executividade é a defesa do executado que não tem a garantia do juízo.
PONTOS ABORDADOSNA REVISÃO DE TADEU SERÃO 4 QUESTÕES ABERTAS
1. AGRAVO DE INSTRUMENTO: recurso utilizado para destrancar o recurso anteriormente apresentado que não foi admitido.
2. AGRAVO INTERNO: mesmo objetivo do agravo de instrumento só que dentro do tribunal, ou seja, não retira um recurso do juízo de primeiro grau para o tribunal ou do TRT para o TST. Retira da análise monocrática (do revisor) para a análise do colegiado (pleno).
3. RECURSO DE REVISTA: 
· Requisitos específicos de admissibilidade:
· Prequestionamento: para o tribunal firmar tese com relação à matéria objeto do recurso de revista. Caso não tenha ocorrido o prequestionamento, o mesmo pode ser apresentado através de embargos de declaração.
· Para que o Recurso de Revista tenha a sua análise de mérito por uma das Turmas do TST, o tema tem que ter sido ventilado na decisão recorrida, qual seja, o acórdão do TRT. Dessa forma, incumbe à parte interessada opor embargos de declaração para fins de prequestionamento, desde que a matéria tenha sido invocada no recurso principal, sob pena de preclusão e “trancamento” do recurso.
· Transcendência: a matéria deve ser relevante/ impactar outras demandas, não é relevante apenas para as partes da demanda recorrida, ou seja, é a relevância da matéria debatida para além do indivíduo, com reflexo para toda a sociedade.
· OBS: Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo (ATÉ 40 SALÁRIOS MÍNIMOS), NÃO CABE RECURSO DE REVISTA EM DESCUMPRIMENTO DE OJ.
· É cabível a interposição de recurso de revista no procedimento sumaríssimo. CONTUDO, vale ressaltar que o Recurso de Revista no procedimento sumaríssimo somente apresenta três hipóteses de cabimento: Quando o acórdão do TRT contrariar Súmula do TST; Quando o acórdão do TRT contrariar a Constituição Federal; e Quando o acórdão do TRT contrariar a Súmula Vinculante do STF.
· ASSIM, no Procedimento sumaríssimo, se o acórdão do TRT contrariar OJ, não, é cabível a interposição do recurso de revista (Súmula 442/TST), Nos demais procedimentos trabalhistas, se o acórdão do TRT contrariar OJ, é cabível a interposição do recurso de revista (OJ 219 do SDI-1/TST)
4. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO COM OBJETIVO DE PREQUESTIONAMENTO 
· PARA O TRIBUNAL FIRMAR TESE JURÍDICA E POSSIBILITAR O MANEJO DO RECURSO DE REVISTA 
5. AGRAVO DE PETIÇÃO: recurso apresentado na fase de execução. Cabível nas decisões judiciais proferidas no curso do processo de execução.
· PRESSUPOSTO ESPECÍFICO DE ADMISSIBILIDADE:
· deve delimitar a matéria e valores.
6. EMBARGOS NO TST 
6.1: DE DIVERGÊNCIA: divergência de julgamentos entre turmas
6.2: INFRINGENTES: nas ações de dissídio coletivo que inicia no TST

Continue navegando