Buscar

Título APOL Objetiva 2 (Regular) - HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DA ESCRAVIDÃO DO BRASIL - 2 Tentativa - NOTA 100

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 9 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 9 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 9 páginas

Prévia do material em texto

Questão 1/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia o fragmento de texto:
“Uma boa quantidade de estudos tem demonstrado que o tráfico intra e interprovincial fora responsável por
processos migratórios intensos, volumosos e prolongados, quando igualmente se verificaram profundas
transformações na sociedade brasileira. "
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: PIRES, Maria de Fátima Novaes. Travessias a caminho – Tráfico
interprovincial de escravos, Bahia e São Paulo (1850-1880). Revista África(s), v. 04, n. 8, p. 63-78, jul. dez. 2017. p. 64.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre o tráfico intrarregional e interprovincial de escravos no século
XIX:
A O tráfico intraprovincial ocorria quando o escravo era vendido em uma região próxima, já o
interprovincial era a venda do escravo na mesma cidade.
B O tráfico intrarregional ocorria quando o escravo era vendido numa região próxima, já o tráfico
interprovincial era realizado entre regiões distantes.
Você assinalou essa alternativa (B)
C O tráfico interprovincial no século XIX ocorria de regiões do Sudeste, onde a produção de café
diminuía, para a região Nordeste onde o comércio de cana-de-açúcar crescia.
D A dinâmica de deslocamento do tráfico de escravos está relacionada à baixa expectativa de vida e
natalidade, ou seja, regiões com baixa taxa de natalidade vendiam escravos para regiões com
índices elevados.
E O tráfico intrarregional e interprovincial se estabeleceu de acordo com a variação da pujança
econômica das regiões, porém não tem relação com a questão da extinção do tráfico
transatlântico.
Questão 2/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia a passagem de texto:
“As pequenas explorações policultoras desenvolvidas no entorno da grande exploração monocultora apoiando
sua manutenção por meio de uma produção diversificada, em um primeiro momento, foram chamadas de
agricultura de subsistência. ”
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: RABALIOLLI, J. A.; da Cunha, A. S.; Oliveira, I. L. de; Miorin, V. M.
F. Evolução das categorias de propriedade da terra no Brasil. Revista OKARA: Geografia em debate. João Pessoa - PB. v. 9, n. 3, p. 410-427. p. 421.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre as pequenas propriedades de terra e o trabalho nelas
empregado:
A A maioria das pequenas propriedades se dedicava a monocultura e mantinha imensa escravaria.
B As pequenas propriedades produziam arroz, feijão, milho, trigo, para exportação, e possuíam
poucos escravos.
C As pequenas propriedades produziam gêneros voltados ao abastecimento interno, em geral tinham
poucos escravos.
Você assinalou essa alternativa (C)
D As pequenas propriedades produziam para o mercado externo com umas vasta mão de obra
escrava.
E As pequenas propriedades usavam força de trabalho variada, homens brancos pobres, escravos,
mas sua produção em todos os estabelecimentos era para subsistência.
Questão 3/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia o excerto de texto:
“Não obstante ser destacado o papel da pressão dos abolicionistas neste processo, fundamental foi também a
participação dos próprios escravos, com sua atuação cotidiana ao longo do século XIX e nas últimas décadas
do escravismo".
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: PRADO JÚNIOR, Manoel Batista do. Conflitos e estratégias sociais
em torno da liberdade: famílias escravas em Mangaratiba no século XIX. In. Caminhos da liberdade: histórias da abolição e do pós-abolição no Brasil.
ABREU, Martha Abreu. PEREIRA, Matheus Serva (orgs.) Niterói: PPGHistória: UFF, 2011. p. 84-85.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre as medidas tomadas pelos abolicionistas antes da Lei Áurea:
A Os caifazes, que era uma sociedade organizada que lutava pela abolição da escravatura, atuavam
à luz do dia, por exemplo, quanto incentivavam abertamente a revolta de escravos.
B As elites brancas protagonizaram as ações das sociedades secretas, principalmente arrecadando
fundos para fugas de escravos e obtenção de alforrias.
C Os escravos participavam ativamente das sociedades e clubes abolicionistas, assim como os que
já estavam livres, que também promoviam ações em prol da abolição da escravidão no Brasil.
Você assinalou essa alternativa (C)
D Por não saberem ler ou escrever, os escravos ou negros livres se organizavam de maneira violenta
na causa da abolição, ou seja, não combatiam através da justiça ou ainda através de jornais.
E Podemos apontar a Lei Áurea como um grande evento, e como os grandes eventos, ele não foi
influenciado por eventos que o antecederam, como as lutas pela emancipação das sociedades
abolicionistas.
Questão 4/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Considere o trecho de texto:
“Um produto que bem exemplifica o uso ambivalente e as estratégias encontradas para demarcar as
fronteiras, pelos pratos, entre senhores (ou livres) e escravizados é o milho, muito comum na América então
portuguesa”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: VIOTTI, Ana Carolina de Carvalho. Da obrigação de alimentar os
escravos no Brasil colonial. Estudos Históricos Rio de Janeiro, v. 32, n. 66, p. 5-32, jan. abr. 2019, p. 21.
Considerando o anúncio acima e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão no
Brasil, assinale a alternativa correta sobre a alimentação dos escravos:
A A dieta dos escravos permanecia a mesma em termos de variedade e quantidade em diferentes
regiões e diferentes senhores.
B A cachaça era recusada pelos senhores porque a experiência demonstrou que muito escravos se
tornavam viciados no produto.
C Havia relatos de alimentação variada em algumas fazendas, enquanto em outras os escravos se
viravam como podiam, inclusive capturando ratos para incrementar a alimentação.
Você assinalou essa alternativa (C)
D Os escravos ficavam o dia inteiro sem comer, eram alimentadas assim que chegavam do eito à
noite.
E Não havia relatos de boa alimentação, pelo contrário, a alimentação era boa variada e com
porções mínimas em todas as fazendas.
Questão 5/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia o fragmento de texto:
“Com a Lei do Ventre Livre, de 1871, houve a criação do fundo de emancipação dos escravos, mas que
deveria se pautar pela matrícula dos mesmos. Independentemente do tempo, no entanto, se o escravo não
fosse matriculado, o senhor poderia perder sua propriedade. [...] "
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: REZENDE, Rodrigo Castro. Paternalismo e liberdade no norte de
Minas Gerais oitocentistas. In. Caminhos da liberdade: histórias da abolição e do pós-abolição no Brasil. ABREU, Martha Abreu. PEREIRA, Matheus
Serva (orgs.) Niterói: PPGHistória: UFF, 2011. p. 154-155.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre as influências da Lei do Ventre Livre:
A Foi uma lei transformadora que mudou completamente a relação entre o senhor e o escravo, até
porque o senhor tinha o dever de indenizar os seus escravos logo quando nasciam.
B Era um instrumento legal que foi utilizado para pressionar os donos de escravos, que tinham que
matricular os seus cativos, bem como permitia ao escravo obter a alforria, sem a autorização do
senhor, e possibilitava a acumulação de um pecúlio.
Você assinalou essa alternativa (B)
C A Lei do Ventre Livre foi um passo importante para a completa libertação dos escravos, porém não
podemos esquecer que ela não permitia que osescravos comprassem sua alforria, o que em parte
desestimulou as instituições que mantinham fundos para a abolição.
D A Lei do Ventre Livre foi a única lei de caráter emancipatório do século XIX, e por isso teve um
efeito importante para o fim da escravidão no Brasil.
E A Lei do Ventre Livre possibilitava ao escravo comprar sua alforria sem autorização do senhor, mas
ela era categórica em prever que os escravos não poderiam guardar um pecúlio, claramente tal
dispositivo legal agia no sentido de defender as posições escravistas, uma vez que assim o
escravo jamais compraria sua liberdade.
Questão 6/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia o seguinte trecho de texto:
“Fato que salta à vista para quem procura se informar acerca da escravidão no Paraná no século XIX é o
reduzido número de cativos. [...] Por exemplo, para o ano de 1824, a então freguesia (de São José dos
Pinhais) teve o maior índice dos proprietários com cinco ou menos cativos de todo o Paraná (85,5%). "
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: BORGES, Luiz Adriano Gonçalves. Família e trabalho escravo.
Sociedade e poder em São José dos Pinhais no século XIX.
http://www.escravidaoeliberdade.com.br/site/images/Textos3/luiz%20adriano%20gonalves%20borges.pdf. Acesso em: 04 nov. 2019
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre a escravidão fora do perímetro da plantation:
A Podemos afirmar que o número de escravos era elevado nas regiões de periferia, ou seja, distante
do modelo de economia baseada no latifúndio e exportação.
B Nas regiões periféricas e de intensa presença de cafezais como o Vale do Paraíba, as fazendas
tinham reduzido número de escravos.
C A escravidão não ocorria apenas nos grandes centros agroexportadores, apesar de em número
menor, o trabalho não prescindia desta mão de obra.
Você assinalou essa alternativa (C)
D O caso de São José dos Pinhas é emblemático, pois aí o número de escravos ultrapassava em
número de cativos, inclusive, de áreas cafeeiras ou de mineração.
E São José dos Pinhais foi o maior centro de venda de escravos no século XIX, pois era importante
no fornecimento de charque para a região cafeeira.
Questão 7/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia o extrato de texto:
“Quando analisamos estas fontes primárias manuscritas, em um primeiro momento, notamos ter sido a maior
parte dos cativos transacionada em grupos de três ou mais indivíduos, nos quais os homens jovens
constituíram a grande maioria.”
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: ROSSINI, Gabriel Almeida Antunes. Apreciações acerca do
tráfico interno de escravos no oeste da Província de São Paulo (Rio Claro, 1861-1869). p. 21.
https://www.anpec.org.br/encontro/2012/inscricao/files_I/i2-a1b58c1a5ce70c392c2a5bd4fe631f9a.pdf. Acesso em: 06 nov. 2019.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre o perfil dos escravos vendidos através do tráfico interno na
segunda metade do século XIX:
A O auge do tráfico interprovincial aconteceu no início do século XIX, os senhores anteviam que as
regras e a burocracia iriam dificultar tal comércio e investiram em novos planteis na década de
1820.
B As crianças eram a maior parte dos escravos transferidos no período, porque assim podiam ser
empregadas imediatamente, além de terem muitos anos para serem exploradas.
C Com o fim do tráfico transatlântico adquirir mulheres como escravas era considerado um problema,
porque elas eram mais caras que os homens e seus filhos, a partir de 1850, já nasciam livres.
D O tráfico interprovincial era muito importante, porque para os escravos esta prática beneficiava a
formação de novas famílias.
E A maior parte dos escravos transferidos ocorreu na segunda metade do século XIX, em sua
maioria eram jovens e do sexo masculino.
Você assinalou essa alternativa (E)
Questão 8/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia o trecho de texto:
“Sendo o escravo ao ganho aquele que se lançava às ruas por própria conta, em busca do ganho de cada
dia, prestando contas ao senhor ou senhora ao final do dia ou em dias estipulados, sua inserção se
contrapunha àquela do escravo meramente alugado pelo seu senhor e que trabalhava sob a supervisão de
outrem que substituía a autoridade senhorial”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: MACHADO, Maria Helena P. T. Sendo Cativo nas Ruas: a
Escravidão Urbana na Cidade de São Paulo. IN: PORTA, Paula (org). História da Cidade de São Paulo. São Paulo: Paz e Terra, 2004. p. 17.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre os “negros de ganho”:
A Os negros eram contratados para serviços diversos, como carpinteiros, carregadores, vendedores,
a maior renda o senhor deixava para os próprios cativos.
B A prática do ganho existia no século XVI e XVII, e entrou em declínio no século XIX com o aumento
das cidades.
C A prática do ganho era pouco disseminada, portanto, sua regularização era desnecessária
segundo as autoridades.
D A prática do ganho abarcava diversas atividades, os escravos eram barbeiros, carpinteiros,
carregadores, vendedores, e ao final do dia entregavam a maior parte do “seu ganho” para o
senhor.
Você assinalou essa alternativa (D)
E Negros de ganho eram aqueles que os senhores ganhavam como herança, ou seja, quando um
senhor morria, eles transferiam o plantel em testamento.
Questão 9/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Leia os excertos de texto:
“O resultado foi que os negros, ex-escravos, optaram por permanecer no campo ocupando pequenos
pedaços de terras, ao menos os que lograram tal feito, geralmente sob um sistema de parceria, nos quais
cedia parte de sua produção ao dono da terra que cultivava. "
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CAÇÃO, Felipe Quartim Barbosa. REZENDE FILHO, Cyro de
Barros. Papel dos escravos negros após a abolição. Revista Semina. v. 9, n. 2, 2011. p. 10.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre os negros no período pós abolição:
A Com o fim da escravidão um grande corpo de desempregados se formou, na maior parte dos
casos os libertos deixaram as fazendas e foram para as cidades para serem empregados na
indústria.
B Os negros foram incorporados na sociedade branca, que já cansada da escravidão, os considerava
indivíduos como quaisquer outros.
C Os negros foram vistos como “classe perigosa”, alguns setores defendiam o alistamento no
exército para discipliná-los.
Você assinalou essa alternativa (C)
D Os senhores ficaram tranquilos com relação a retaliações ou revoltas, até porque os libertos apesar
da imensa desigualdade e competição que enfrentavam nas mais diversas carreiras, não
conseguiam se unir em prol de seus interesses.
E Os libertos conseguiam trabalhos como assalariados com as mesmas condições que eram obtidos
pelos brancos, ou seja, a mudança de suas condições de escravos para libertos alterou
completamente a forma com que a sociedade branca os encarava.
Questão 10/10 - História e Historiografia da Escravidão do Brasil
Atente para trecho de texto a seguir:
“Foram estabelecidos, pois, dispositivos que naturalizavam e legalizavam o castigo físico, bem como a
sujeição das populações escravizadas e "formas de governo", institucionalizadas pelas leis e pela circulação
de ideias como aquelas presentes em manuais especialmente elaborados para o uso dos senhores".
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: SCHWARCZ Lilia Moritz; GOMES, Flávio dos Santos (Orgs).
Dicionárioda escravidão e liberdade: 50 textos críticos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018. p. 27.
Considerando a passagem de texto e os conteúdos do livro-base História e Historiografia da Escravidão
no Brasil, assinale a alternativa correta sobre os castigos físicos contra os escravos:
A A violência, no entanto, não era aceitável e nem tolerável, a negociação sempre prevalecia.
B Os castigos eram um elemento fundamental para disciplinar os escravos, estavam ligados
diretamente ao sistema produtivo predominante.
Você assinalou essa alternativa (B)
C Os castigos eram utilizados principalmente quando os escravos chegavam às fazendas, a maior
parte dos historiadores acredita que eram utilizados com o intuito de disciplinar na chegada do
escravo, e pouco utilizados no cotidiano de trabalho.
D Diversos tratados católicos propagandeavam o uso da violência nos castigos como única forma de
expiação dos pecados dos negros, portanto a Igreja como instituição não amenizou tais abusos por
parte dos senhores.
E Um escravo era sempre colocado como “carrasco”, ou seja, era ele que na maior parte das
fazendas era responsável por desferir os piores castigos, a explicação é simples, quando um negro
batia em outro, a obediência era maior por parte de quem era castigado.

Continue navegando